WHIPLASH.NET - Rock e Heavy MetalWHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal

FacebookTwitterGoogle+RSSYouTubeInstagramApp IOSApp Android
MenuBuscaReload

Black Sabbath: o show da vida de muitos no Rio de Janeiro

Resenha - Black Sabbath, Megadeth (Praça da Apoteose, RJ, 13/10/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Leoni Coutinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Antes do show em si, é preciso ter consciência de que esse não é uma simples turnê, nem mesmo só uma grande turnê, é a maior turnê de toda uma geração. É a formação (quase) original do BLACK SABBATH se reunindo pra gravar um álbum e se apresentar pelos quatro cantos do mundo. O quê poderia ser maior que isso? (Talvez se os remanescentes do LED ZEPPELIN ou PINK FLOYD fizessem o mesmo, chegariam perto. Mas isso não passa de uma suposição). Esse é o maior show em décadas e, na minha opinião, vai demorar muitas mais décadas pra ser superado.

Megadeth: vídeo de "Symphony of Destruction" tocada no Boot CampLive and Dangerous: as 10 melhores bandas ao vivo

Os inventores do heavy metal vieram muito bem acompanhados. O MEGADETH executou um set direto, matador, sem tempo pra respirar. Dave Mustaine parece ter entendido que é importante fazer shows grandiosos e investiu em projeções nos telões e na movimentação da banda. Mustaine, David Ellefson (baixo) e Chris Broderick (guitarra) se movimentavam sem parar, alternando os lados e os microfones, fazendo uma apresentação técnica impecável, para os fãs do som da banda, e empolgante para os que, por algum motivo, não conheciam e/ou só estavam ali pra ver a principal atração da noite.

O MEGADETH encerrou sua apresentação com os mil megatons de força de “Holy Wars”, se despediu e, na mensagem final, depois de pedir aos presentes que voltassem pra casa com cuidado, pois queria vê-los novamente, Mustaine ainda agraciou a todos com um air guitar sensacional. Como qualquer headbanger que se preze já deve ter feito ao som de “Paranoid”. Essa atitude do frontman dos gigantes do thrash foi uma prova do clima dessa turnê: a descontração. Os dois shows da noite mostraram bandas com tesão pela música, com apresentações sorridentes e uma interação olho-no-olho do público. É algo difícil de explicar, mas todos ali, músicos e plateia, tinham consciência de que estavam presenciando história.

E meia hora depois, o êxtase. O pano desce, Ozzy provoca o público antes mesmo do contato visual. A sirene anuncia “War Pigs”. A parede de som do Sabbath explode nas caixas de som. Pra 30 mil fãs contemplarem, perplexos. Eles estão bem na nossa frente. Iommi, Butler e Osbourne. Os caras que criaram a trilha sonora da vida de tanta gente ali presente, tocando seus maiores clássicos. O público responde de imediato a cada “I CAN'T HEAR YOU” de Ozzy. O clima de descontração anteriormente citado é corroborado com as brincadeiras do vocalista no palco, como por exemplo o de morder um morcego jogado por um fã, e chutar duas vezes uma bola que veio da plateia. Até mesmo as expressões tímidas de Iommi eram reverenciadas. O show se desenrolou com porrada atrás de porrada, com o mesmo setlist apresentado nos shows de São Paulo (11) e Porto Alegre (09).

Imagem

É meio inútil destacar músicas, já que isso é bastante pessoal, e não há nesse setlist alguma canção que não beire a perfeição. É até previsível se emocionar com “Snowblind”, arrepiar até o último fio de cabelo com “Black Sabbath”, quase quebrar o pescoço com “Children of The grave” e enlouquecer com “Paranoid”. Mas mesmo sendo previsível, não diminui o quão perfeito é. O que há pra se destacar é que não foi algo burocrático e frio, como o que tantas bandas ditas grandes fazem hoje em dia, foi um concerto com toda a emoção que é característica de deuses como Ozzy, Tony e Geezer. Era o Sabbath com toda a força e paixão de mais de 40 anos de estrada. Foi o show da minha vida, uma emoção que pouquíssimas coisas nesse mundo podem proporcionar. E tenho certeza que também foi o de muita gente presente à Praça da Apoteose nesse 13 de outubro de 2013.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Black Sabbath, Megadeth (Praça da Apoteose, RJ, 13/10/2013)

Black Sabbath: Deixando os metaleiros de queixos caídos no RJBlack Sabbath: Um show nota 1000 no Rio de JaneiroBlack Sabbath: "Apoteozzy" no Rio de Janeiro

O Metal continua relevante?
As melhores músicas lançadas recentemente

Megadeth: vídeo de "Symphony of Destruction" tocada no Boot CampKiko Loureiro: Detroit Rock City, Xuxa e New Kids on the BlockKiko Loureiro: tocar covers ou músicas próprias?Megadeth: As 10 melhores músicas no Disco Voador RocksTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Black Sabbath"Todas as matérias sobre "Ozzy Osbourne"Todas as matérias sobre "Megadeth"

Live and Dangerous
As 10 melhores bandas ao vivo

Guns N' Roses
Tudo parece muito surreal para Slash

Rick Rubin: "Porra, que cara esquisito!", diz IommiMas afinal... o que é rock progressivo?John Lennon: 10 coisas que você não sabia sobre o BeatleMetallica: versão acústica (e bem diferente) de "Enter Sandman"Queen: As 10 melhores composições de Brian May, segundo a Classic RockMotorhead: a gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

Sobre Leoni Coutinho

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online