Paul McCartney: Johnny Marr fala das sessões com o ex-Beatle

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 14/02/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Imagem
Assalto em Niteroi: A inacreditável manchete do Meia-HoraAxl Rose: ajudando a confortar garçonete que sofreu ofensa racista

JOHNNY MARR concedeu um raro relato do tempo que ele passou trabalhando com PAUL MCCARTNEY logo após ele ter deixado os SMITHS em 1987.

Logo após seu desligamento da banda de Manchester, Marr tornou-se músico de estúdio e foi convidado para tocar com McCartney, já que o ex-Beatle estava ‘de olho nele’. Apesar de tais sessões nunca terem progredido para algo permanente ou alguma gravação oficial, Marr se abriu em uma nova entrevista com o site The Auto Jubilator sobre o tempo deles juntos: ”Eu não fiz nenhuma sessão de gravação com ele, por assim dizer, mas nós nos encontrávamos para jornadas de 8 a 9 horas num dia, e só tocávamos e tocávamos e tocávamos muito intensamente, e bem alto. O que era muito bom, obviamente. Ele era muito bom!”, afirmou Marr.

“Ele consegue tocar aquele baixo e cantar muito bem, devo dizer. Foi um período divertido. Foi a primeira coisa que fiz quando os Smiths se separaram. Eu o vi umas duas vezes depois disso. Não tocamos juntos, mas ele é sempre muito amigável e muito educado.”

Perguntado sobre o que a dupla havia tocado enquanto conduziam jams juntos, ele mandou: “Tocávamos ‘I Saw Her Standing There’, ‘Twenty Flight Rock’, ‘Tutti Frutti’. Eu o fiz tocar ‘Things We Said Today’, e eu acho que tocamos umas coisas do Wings. Lembro-me de ‘C-Moon’. Foi divertido. Eu e ele cantando as harmonias de ‘I Saw Her Standing There’ – foi um belo momento também. Eu só tinha uns 23, talvez 24 anos de idade.”

“Eu acho que ele só estava me testando, porque ele tinha gostado do que eu tinha feito. Os Smiths tinham convidado Linda para tocar e cantar em ‘The Queen Is Dead’, o que ela infelizmente não pôde fazer, então ele ficou sabendo da gente. Eu acho que ele gostava do jeito que eu tocava, então foi legal.”

Texto na íntegra – em inglês- no link abaixo:

http://playadelnacho.wordpress.com/2013/02/14/johnny-marr-re...

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Beatles
A ocasião em que Ringo Starr saiu da banda

Assalto em Niteroi: A inacreditável manchete do Meia-HoraFloyd, Beatles, Dylan: não gostariam de começar a carreira hojePaul McCartney: K7 exclusivo será lançada na Record Store DayBeatles: a história do integrante temporário vai virar filmeBeatles: "Sgt Peppers" ganha edição de 50 anos com faixas extrasTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

Vegetarianismo
Nomes do Rock e do Metal que não comem carne

Charges
O que diriam as capas clássicas se pudessem falar

Bundesliga
Revista alemã faz tabela como se fosse um show

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de fevereiro de 2013

Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Beatles"Todas as matérias sobre "Smiths"Todas as matérias sobre "Paul McCartney"

Axl Rose
Ajudando a confortar garçonete que sofreu ofensa racista

Iron Maiden
Felipe Dylon toca clássicos da donzela

Dave Mustaine
Aquela foi a pior "Master of Puppets" que ele já ouviu

David Lee Roth: o vergonhoso teste de Matt Sorum para a bandaHelloween: a banda que não soube ser grandeMax Cavalera: "até hoje não gosto de tomar banho"Queen: veja versão incrível de Bohemian RhapsodyBlack Metal: versão pesada de "Hello Kitty" da Avril LavigneAerosmith e Guns N' Roses: O acordo sobre drogas em 1988

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online