Crown: mescla de Thrash e Death venenosa e assustadora

Resenha - Doomsday King - Crown

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Formado na Suécia de 1998, o The Crown emplacou quatro álbuns que caíram nas graças do público e crítica, mas as sucessivas dificuldades para se manter com dignidade chegaram a tal ponto que não sobrou muitas alternativas a não ser anunciar o fim de suas atividades em 2004. O The Crown nunca foi um nome particularmente grande, mas foi triste e revoltante observar o desabafo do desamparado baterista Janne Saarenpää na ocasião...
Guitarras: as 10 melhores guitarristas de todos os temposNamore um cara que goste de Metal

Mas algumas necessidades de expressão são muito fortes para simplesmente serem contidas. Sua história pode não ter dado certo no passado, mas muitos não aceitam esse motivo para mudar a atitude em relação à música, não é mesmo? E é com esta integridade que o The Crown retorna, com os mesmos instrumentistas e contando agora com Jonas Stålhammar, um vocalista que está impecavelmente integrado à proposta da banda.

Assim sendo, a conhecida mescla de Thrash e Death Metal Melódico, tão venenoso e assustador, é a matéria prima de “Doomsday King”, o álbum que marca o renascimento e mostra um The Crown renovado, mas com a milimétrica selvageria tipicamente sueca, com estruturas por vezes mais complexas e melódicas, mas sempre com uma intensidade perturbadora e quase enegrecida.

Explosões sônicas como “Angel Of Death 1839” e “Age Of Iron” (talvez a mais brutal canção do grupo até a data) possuem tal ferocidade que nem parece que o The Crown ficou fora de cena por tanto tempo. Há muitas outras faixas matadoras, mas “Soul Slasher”, a variada “Blood O.D.”, “Through Eyes Of Oblivion” e “From The Ashes I Shall Return” são outros exemplos que apenas reforçam ainda mais a confiabilidade sobre o nome The Crown.

Pode ter levado anos para o The Crown se reagrupar, mas a espera valeu a pena. “Doomsday King” é um excelente disco, com apelo mais do que suficiente para ser admirado pelos fãs de At The Gates, Legion Of The Damned, The Haunted e afins... Agora, se esta nova fase proporcionará o reconhecimento que o passado não concedeu, só o tempo dirá! Mas a banda faz por merecer, com certeza!

Contato: www.myspace.com/thecrownonlineswe

Formação:
Jonas Stålhammar - voz
Marko Tervonen - guitarra
Marcus Sunesson - guitarra
Magnus Olsfelt - baixo
Janne Saarenpää - bateria

The Crown - Doomsday King
(2010 / Century Media Records - importado)

01. Doomsday King
02. Angel Of Death 1839
03. Age Of Iron
04. The Tempter And The Bible Black
05. Soul Slasher
06. Blood O.D.
07. Through Eyes Of Oblivion
08. Desolation Domain
09. From The Ashes I Shall Return
10. He Who Rises In Might - From Darkness To Light

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Crown"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Crown"

Guitarras
As 10 melhores guitarristas de todos os tempos

Humor
Namorar um headbanger é sair da zona de conforto

Evanescence
Estranha criatura em foto de Amy Lee com seu filho

Paul Stanley: a passagem dele na história do Guns N' RosesGaleria - Musas - Simone SimmonsChico Anísio: um bom disco de rock nacionalTOP 7: Bandas (NÃO TÃO) conhecidas da FinlândiaEdguy: "nunca disse que odeio os EUA", diz Tobias SammetSexo e Rock and Roll: músicas com conotação sexual

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online