RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemA reação de King Diamond ao ouvir Metallica tocando músicas do Mercyful Fate

imagemO ponto fraco de Yngwie Malmsteen segundo Ronnie James Dio, em 1985

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemJason Newsted diz que estaria morto se tivesse continuado no Metallica

imagemPor que Herbert Vianna gosta muito do riff de "Eu Quero Ver o Oco" do Raimundos?

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemAs 20 melhores músicas do Nightwish, em lista da Metal Hammer

imagemRússia pede para que Roger Waters fale com a ONU sobre a situação da Ucrânia

imagemVeja Dave Grohl cantando e agitando em show do Mercyful Fate

imagemO show do Engenheiros do Hawaii sem Humberto, que eles achavam que havia sido sequestrado

imagemJimmy Page diz não haver gênio no rock - mas um gênio fez ele se contradizer


Stamp

Cólera: resenha da apresentação em São Leopoldo

Resenha - Cólera (Embaixada do Rock, São Leopoldo, 09/06/2018)

Por Anderson Severo
Postado em 28 de junho de 2018

Sábado, dia 09, de Julho, todas as minhas queixas acabaram e a redenção chegou.

Pioneiros do punk rock no Brasil, CÓLERA, fez uma incrível apresentação na Embaixada do Rock em São Leopoldo.

A banda fez seu show de lançamento no Rio Grande do Sul, do novo disco "Acorde! Acorde! Acorde!" lançado esse ano.

Com o falecimento do vocalista e guitarrista Redson em 2011, a banda continuou a sua carreira mantendo os integrantes Pierre (bateria) Irmão do Redson e o Val (baixo), e com eles, chamaram mais dois integrantes para completar o conjunto, o vocalista Wendel e o guitarrista Fábio. Onde já demonstraram um enorme respeito pelos grandes trabalhos realizados no disco e nesse show.

Dessa forma, a banda segue seu rumo, mantendo a mesma pegada que sempre tiveram, ou seja, punk rock de qualidade. Seja pelo excelente trabalho "Acorde! Acorde! Acorde!", pelo ótimo show que realizaram nesse dia na Embaixada do Rock, pela ótima receptividade dos fãs, enfim, a banda sempre honrará o grande nome que eles sempre possuíram.

Músicas eletrizantes, refrões marcantes, riffs de guitarra muito bem formados, um público super vibrante e empolgado, o CÓLERA fez um show muito divertido, memorável e de grande qualidade. Integrantes respeitáveis e talentosos, executaram o "Acorde! Acorde! Acorde!" inteiro e executaram também, grandes clássicos da banda que marcaram o punk rock no Brasil e marcaram a carreira do CÓLERA.

Como um ritual místico e sagrado a banda sobe ao palco e começaram a montar a bateria, regular a aparelhagem, Wendel trabalhou com Roadie da banda durante muitos anos isso facilita a montagem de palco. A Tranquilidade do Pierre ao montar cadas pela da bateria, Wendel regulando as caixa e auxiliando a todos foi o momento mais mágico do Show.

Fez valer a pena os KM rodados de Caxias a São Leopoldo.

E prosseguiram o show tocando as clássicas da banda. Executaram, "Subúrbio Geral", "1.9.9.2", "Humanidade", "Quanto Vale A Liberdade ?", "Medo" e "Pela Paz", O Wendel agradeceu muito Ao Pierre ao Val e Principalmente citou o Redson como nosso Mentor diversas vezes, tornando esses momentos muito marcante durante do show.

Continuaram com "X.O.T.", "Palpebrite", "São Paulo", "C.d.m.p", "Dia e Noite, Noite e Dia", e finalizaram com "Adolescente". Um repertório mega empolgante e de ótima recepção pelos fãs. O que gerou, mosh-pits o tempo todo, vários mergulhos do palco e grandes ovacionadas em cada música executada.

Com aproximadamente 90 minutos de apresentação, o CÓLERA houve um detalhe Interessante o val teve um piriri onde (passou mal, devido a ingestão de algum alimento que
não caiu mal).

Claro isso foi uma deixa perfeita para que Pierre Fizesse piada com o parceiro de longa data "Perde o amigo mas não perde a piada" citou o mesmo.

Tivemos oportunidade de dar um abraço, tirar umas fotos e trocar umas ideia com Val, Pierre e Fábio que circularam pela rua e ambiente durante os Shows de abertura das banda:
Punkada Animal, Escória, Atritus e Horda Punk.

Um dos fundadores da banda. O Pierre falou sobre o fechamento do Hangar em SP, e sobre valorização dos espaços de Shows que, muitos estão fechando. E da nossa responsabilidade em frequentar e manter as casas abertas apoiar a cena também nos shows das bandas locais.

Fizeram um show extremamente cativante e sem nenhum intervalo para respirar a não ser quando o Val teve que ir no banheiro no finalzinho do SET. Shows como esse, é um prazer imenso de presenciar. Uma banda que fez história no Brasil, foi uma das primeiras do gênero no país, influente e renomada, foi uma apresentação histórica, mostrando que o CÓLERA está na ativa. Agora, é esperar mais shows e mais discos dessa banda tão incrível que é o CÓLERA.

Assista um trecho da entrevista realizada pelo Canal Metal Despacho e um trecho do Show:

Setlist:
1-Suburbio Geral
2-X.O.T
3-Somos Cromossomos
4-Festa no Rio
5-Nabro 3
6-Dia e Noite
7-Capacete Vermelho
8-Décimo Terceiro
9-Somo Vivos
10-Medo
11-Humanidade
12-Supressão
13-Mil Turbulências
14-Verde
15-Deixa a terra em paz
16-Mister Gamble
17-Mezza Mezza
18-FÁ - Dó - Lá
19-O Caos
20-Hino

Line-up:

Pierre – Bateria
Val – Baixo
Fábio – Guitarra
Wendel – Vocal

Fotos:
Cólera AAA RS- Tatiana Oliveira
Fotos embaixada do Rock - Tatah Nunes e Veditta Productions

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Anderson Severo

Nascido em 1980, conheceu o rock n Roll em 1985 aos 5 anos de idade e nunca mais o abandonou. Nos anos 90, participou ativamente do movimento punk, fez parte de projetos como: (R) Existência Aflita, Kaos Eminente, Estado Critico. Formado em Designer, Tecnologia da informação, é um Geek viciado em novidades Hi Tech, Desenvolvimento Web e Mobile. Em 2014 Fundou a banda Insulto Verbal e o Coletivo Cultural de Artistas independentes na Serra Gaucha. A partir de 2015, Mudou - se para Caxias do Sul, e atua como baixista das bandas: Capa Preta Rock, Exclusão Social e No Mercy. Em Fevereiro de 2018 Fundou o Selo Sub_Discos e participa ativamente da cena underground regional e nacional colaborando, como redator e enviando textos a diversos sites de noticias de rock.
Mais matérias de Anderson Severo.