Maroon 5: Competência e simpatia no Rio de Janeiro

Resenha - Maroon 5 (Praça da Apoteose, Rio de Janeiro, 20/03/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Gabriel von Borell
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.












Fechando a turnê 'On the Road' pelo Brasil, o Maroon 5 se apresentou na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, para um público de 35 mil pessoas (lotação máxima) no último domingo (20). A atual excursão da banda liderada pelo vocalista Adam Levine faz parte da divulgação do álbum mais recente do grupo americano, 'V', lançado em 2014. Antes deles subirem ao palco, o quarteto da Flórida Dashboard Confessional foi responsável pela abertura do show.

Competentes e simpáticos, a banda, uma das precursoras do emo, lá no início dos anos 2000, começou a apresentação às 20h e conseguiu atrair os olhares do público (que em sua maioria não conhecia o trabalho deles) com sucessos da careira como 'Don't Wait', 'Stolen', 'Vindicated' e 'Hands Down', além do cover do Coldplay 'Fix You'. Depois de pouco mais de 40 minutos de show, o Dashboard Confessional se despediu da plateia sob aplausos e então restava aos fãs esperarem por Levine e cia.

Para delírio das moçoilas presentes, que gritavam histericamente a qualquer movimentação no palco, o cantor jurado do The Voice americano surgiu no palco às 21h35, ao lado de James Valentine (guitarra), Mickey Madden (baixo), Jesse Carmichael (teclados e guitarra), PJ Morton (teclados e guitarra) e Matthew Flynn (bateria). De cara, o Maroon 5 deu início a noite com 'Animals', 'One More Night' e 'Stereo Hearts' em sequência, para ninguém ficar parado.

O show seguiu com 'Lucky Strike' e 'Wake Up Call'. Logo depois, Levine parou para falar com os fãs de forma mais discursiva pela primeira vez. 'Nós estivemos por todo o país com esta turnê e podemos garantir que vocês no Brasil formam o melhor público que nós já tivemos', disse o cantor, que domina a arte de agradar a plateia. De forma orgânica e com muita objetividade, o grupo executou 'Love Somebody', 'Maps' e 'This Love', enquanto o público carioca cantava em forte couro cada verso das canções.

Em seguida Levine apresentou os integrantes da banda, efusivamente aplaudidos por uma Apoteose lotada. 'Sunday Morning', 'Payphone' e 'Daylight' fecharam a apresentação antes da banda voltar para o bis. No retorno ao palco veio uma surpresa diante do setlist previsível de todo repertório dos shows no país. Ao invés de cantar 'Lost Stars', como aconteceu nas outras cidades brasileiras que receberam o Maroon 5 nesta passagem, Levine interpretou 'Garota de Ipanema', com direito a primeira parte da composição, eternizada na voz de Tom Jobim, cantada em português, e depois finalizada em inglês.

Apesar do frontman ter confessado que estava com medo de errar, o astro tirou de letra a situação e provou que manda bem quando arrisca palavras na nossa língua. A reta final do show continuou com a romântica 'She Will Be Loved', a dançante 'Moves Like Jagger' e, para encerrar, a envolvente 'Sugar', em uma apresentação curta para os fãs, que tiveram que voltar para casa com 'gostinho de quero mais' por volta de 23h. Fica para a próxima! Pelo menos Adam Levine prometeu pisar por aqui novamente. Alguém duvida?

Setlist:

1- "Animals"
2- "One More Night"
3- "Stereo Heart" (Gym Class Heroes cover)
4- "Harder to Breathe"
5- "Lucky Strike"
6- "Wake Up Call"
7- "Love Somebody"
8- "Maps"
9- "This Love"
10- "Sunday Morning"
11- "Payphone"
12- "Daylight"

Bis:

13- "Garota de Ipanema"
14- "She Will Be Loved"
15- "Moves Like Jagger"
16- "Sugar"

Fotos: Caio Mainenti

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Maroon 5"

Love Gods WayLove God's Way
Grupo religioso lista bandas e artistas "Gay"

TraduçõesTraduções
Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismo

MotorheadMotorhead
Escolhido o nome de banda mais legal pela Spin

5000 acessosCover: 15 bandas que são quase tão boas quanto o original5000 acessosBig Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferida5000 acessosCâncer na língua: Os músicos que sofreram deste mal5000 acessosAvenged Sevenfold: gostaria de ter 15 anos para curtir o novo do Metallica5000 acessosMax Cavalera: os primeiros álbuns e os primeiros shows da vida dele4576 acessosUltimate Classic Rock: lista dos melhores álbuns de 1981

Sobre Gabriel von Borell

Gabriel von Borell, nascido em 30/03/85, jornalista. Não vive sem música e também não se apega a rótulos musicais. Acredita que todo preconceito é burro, inclusive o musical. Escuta de tudo um pouco, considerando que um jornalista deve estar aberto pra conhecer e comentar sobre qualquer músico ou banda. Pode ser encontrado no Twitter em @gabrielborell.

Mais matérias de Gabriel von Borell no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online