Rosa Tattooada: Um show especial nos 25 anos de carreira

Resenha - Rosa Tattooada (Bar Opinião, Porto Alegre, 20/10/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Dias
Enviar Correções  



















Velha conhecida do público gaúcho, a ROSA TATTOOADA preparou um show especial para Porto Alegre. São poucas as bandas que conseguem registrar a marca de 25 anos de carreira. Um dia muito especial para os integrantes atuais, ex-membros (que fizeram participação especial) e os fãs presentes que cantaram as músicas do início ao fim do show.

Fotos por Liny Rocks®
facebook/photoslinyrocks

Convidada pelo líder da ROSA TATTOOADA, a banda de country "pesado" DIABLO FCUK SHOW fez o público dançar e dar risadas em músicas como "Sujo, Violento e Malvado", "Meu avô era um alcoólatra cheirador de cola" e "Girls, Girls, Girls", abrindo o show da Rosa com muita competência. Apesar do som alto demais e pouco equalizado conseguiram agradar a um público que não é o seu alvo principal.

Antes do show o telão que cobria o palco mostrou imagens dos integrantes atuais da banda e vídeos com mensagens de parabéns de figuras ilustres do rock gaúcho como Serginho Moah (PAPAS DA LÍNGUA), Frank Jorge, Fred (COMUNIDADE NIN-JITSU), Iuri Sanson (HIBRIA), Nei Van Soria, Mr. Pi, entre outros.

O power trio liderado por Jacques Maciel (vocal, que lidera a banda desde o seu inicio em 1988), Valdi Dalla Rosa (baixo) e Dalis Trugillo (bateria) subiu ao palco do Bar Opinião aproximadamente às 22h detonando seu hard rock para os presentes no local. Com "Rendez-Vous" a banda deu partida para o longo set-list da noite. A próxima música "Rezar Não Vai Te Livrar Do Fim" que tem um vídeo clipe que foi lançado recentemente teve uma surpresa enquanto era executada pela banda, ao melhor estilo "Eddie" do IRON MAIDEN a "morte" sobe ao palco com sua foice nas mãos. Embora seja clichê e realizado por muitas bandas de rock and roll, foi divertida a participação do personagem no palco que combina muito bem com a música.

"Na Estrada" (do primeiro disco) e "Canção do Deserto" (do disco Rendez-vous), são apresentadas na sequência. Era evidente a satisfação da banda em fazer o show. O público participando em todas as músicas animava cada vez mais Jacques Maciel (vocal), que era o dono do palco. Jacques anuncia a próxima música e diz que compôs ela com apenas 15 anos de idade, saindo do hard rock com um estilo mais puxado para o blues rock "Só Um Beijo Da Sua Boca" é muito bem apresentada pela banda e "Veneno do seu olhar" (introduzida por Valdi) foi tocada em seguida (ambas do último trabalho XXV), encaminhando o final da primeira parte do show.

As primeiras participações especiais são anunciadas,Vini Tonello (teclado), produtor e ex-membro, e Marcos Delfino (vocal) da banda Sigma 7 são algumas das atrações. "Fora De Mim, Dentro De Você" e "Hard Rocker Old School" fecham o primeiro trecho de participações do show. Jacques tentou uma interação com o público gritando "ole, ole, ole..." com a vontade de que o público gritasse "Rosa... Rosa...", porém a galera não entendeu o recado e gritou o nome do mais conhecido e antigo clube de futebol de Porto Alegre que veste azul, preto e branco.

A ROSA TATTOOADA tem a influência de bandas como DEEP PURPLE, LED ZEPPELIN, MOTLEY CRUE e diversas outras do hard rock dos anos 70 e 80, porém há uma banda que tem um lugar especial no coração da banda e essa banda é o KISS. Jacques lembrou um dos momentos mais especiais para a banda, o show de abertura para o KISS no ano passado em Porto Alegre. Seguindo esse clima Jacques chamou ao palco o seu irmão e ex-integrante da banda também, Rodrigo Maciel para no baixo tocar um especial do KISS que teve músicas como "Strutter", "Parasite" e "Detroit Rock City".

Como se fosse apenas uma voz, o público respondeu ao vocalista Jacques no refrão de "Cerveja e Rock and Roll" com uma bela interação entre banda/ público. A cidade gaúcha Caxias do Sul é dita por Jacques como uma cidade especial e muitos fãs se pronunciaram na plateia nesse momento e em homenagem a banda toca "Cama de arame farpado".

Direto de Nova York, especialmente para o show, o guitarrista Paulo Cássio (um dos fundadores da banda) é chamado para dividir o palco com a banda e a clássica "Tardes de Outono" totalmente inspirada em "Hey, Hey, My, My" do NEIL YOUNG e "O Inferno Vai Ter Que Esperar" que é mais clássico ainda encerram o show.

Se o público pedisse o bis a banda retornaria e foi o que aconteceu porque faltava uma das músicas mais pedidas e esperadas pelo público. Jacques Maciel dedica "Carburador" ao grupo de motoqueiros "Hell Angels" e o show é finalizado com "Rock and Roll Até Morrer".

O saldo do show foi ótimo, seja para os novos ou velhos fãs da banda. Com certeza grande parte do público saiu do "Bar Opinião" (mesmo sendo quase meia-noite de um domingo) com um sentimento muito bom e de que a banda ainda tem muito a render, principalmente com a formação atual que está muito afiada e com a tendência de crescer ainda mais.



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Hard Rock: 10 Bandas nacionais ativas que todo fã deveria conhecerHard Rock
10 Bandas nacionais ativas que todo fã deveria conhecer


Eddie Van Halen: Eruption foi um acidenteEddie Van Halen
"Eruption foi um acidente"

Guitarristas e vocalistas: os 10 melhores casamentosGuitarristas e vocalistas
Os 10 melhores "casamentos"


Sobre Guilherme Dias

Fanático por heavy metal e hard rock desde os 12 anos de idade. Coleciona CDs e LPs, principalmente do Helloween e seus derivados. Colabora com o site desde 2013. Nasceu em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

Mais matérias de Guilherme Dias no Whiplash.Net.