Turisas: forte candidato a um dos melhores shows de 2013

Resenha - Turisas (Carioca Club, São Paulo, 16/03/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Como é bom fazer parte de eventos em que tudo acontece de maneira impecável e profissional. A primeira passagem da banda finlandesa TURISAS pelo Brasil deixa uma marca extremamente positiva para todos os envolvidos com o Heavy Metal no país, servindo de exemplo a ser seguido.

5000 acessosHall Of Shame: as melhores músicas ruins da história do Metal5000 acessosPsicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Fotos por Leandro Anhelli (www.anhelli.com.br)

De um lado, a produção em alto nível. Organização, pontualidade, conforto para público e profissionais da imprensa. De outro, qualidade de som, banda afinadíssima e um público com uma energia incrível, agitando a cada música tocada.

Com todos esses fatores, o show do TURISAS só poderia mesmo ser o sucesso que foi. Às 19hs em ponto, “The March of the Varangian Guard” começou a ser executada e assim o TURISAS dava início à apresentação de suas canções, trazendo seu Folk Metal que alterna momentos mais cadenciados com outros acelerados, em uma mistura de Power Metal e Metal sinfônico.

A banda trouxe ainda muita simpatia para com os presentes no Carioca Club. O vocalista Mathias foi muito comunicativo durante todo o show e, já no início, falou do prazer de tocar pela primeira vez em terras brasileiras, anunciando que proporcionaria ao público uma “aventura” que nunca se tinha visto antes.

Em outra ocasião, fez uma pausa na apresentação para dizer que quando a banda está em turnê, eles gostam de aproveitar a cultura local, incluindo a experiência com a comida, a bebida e as garotas do país em que estão. Nesse momento, provou algumas cervejas de marcas brasileiras diversas e pediu a opinião da plateia a cada gole, para que votassem na melhor. Um momento divertido e engraçado que precedeu a execução de “One More”.

Com uma presença de palco incrível, todos os músicos respondiam ao agito do público na pista e camarotes com muita empolgação, revezando-se nas posições e ocupando cada espaço disponível. Em “In The Court Of Jarisleif”, Mathias e o guitarrista Jussi ainda dançaram e pularam um contra o outro, enquanto Olli solava em seu violino, à frente do palco.

No público, pequenas e grandes rodas se abriam durante as músicas e a agitação era geral. Muitos estavam com as caras pintadas de vermelho e preto e se via também fãs com capacete e machados viking.

Antes de anunciar “Miklagard Overture”, uma música de mais de 8 minutos, Mathias lembrou que a banda costuma tocar muitas vezes em grandes festivais e o tempo de show acaba ficando limitado a 45 minutos, anunciando que naquela noite seria diferente, pois o concerto era deles e poderiam tocar o que quisessem. Com essa longa canção, o TURISAS se despediu do público.

Luzes apagadas por alguns minutos, a volta para o bis se deu de forma avassaladora: primeiro com a ótima “Stand Up and Fight”, seguida pela acelerada “Sahti-Waari” e por “Battle Metal”, que serviu para aumentar ainda mais a empolgação dos fãs presentes, que deram uma aula de energia e agitação.

Ah sim, faltava mais uma, que não poderia ficar de fora. O público gritava “Rasputin” e Mathias brincava que não estava entendendo o que todos queriam. Mas é claro que a banda não deixaria de tocar essa versão da canção originalmente gravada pelo grupo alemão BONEY M., e assim a apresentação ao vivo do TURISAS se encerrou, sob fortes e calorosos aplausos do público.

Talvez seja cedo para falar, porque ainda estamos no terceiro mês do ano, mas o show do TURISAS já é forte candidato a figurar na lista de melhores apresentações do ano de 2013. Anotem aí e me cobrem em janeiro de 2014.

Abertura

Antes do TURISAS subir ao palco, a banda paulistana de Pagan Folk Metal SIGFADHIR abriu a noite, promovendo a demo "Galdra Smidr", lançada em 2011. Formada por André Frekihugr (vocais, gaita de fole, harpa de boca, tambor, flauta), Victor Maldonado e Fenris Fenrir (guitarras), Felipe Malavazzi (baixo) e Dubh Vandræðaskáld (bateria), a banda apresentou, além canções próprias, um cover de “Roman Land”, do grupo alemão FALKENBACH, tocando por cerca de 30 minutos.

Mais informações:
http://www.facebook.com/Sigfadhir

Agradecimentos a Heloisa Vidal e 8X8 Live pela atenção e credenciamento.

TURISAS - Banda:

Mathias "Warlord" Nygård – vocal
Jussi Wickström – guitarra
Olli Vänskä – violino
Robert Engstrand – teclado
Jesper Anastasiadis – baixo
Jaakko Jakku – bateria

Set List:

The March of the Varangian Guard
Take the Day!
To Holmgard and Beyond
The Great Escape
One More
In the Court of Jarisleif
Five Hundred and One
Hunting Pirates
Miklagard Overture

Bis

Stand Up and Fight
Sahti-Waari
Battle Metal
Rasputin

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 17 de março de 2013

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Turisas"

TurisasTurisas
Vocalista reclama da cerveja brasileira em show

Lá lá lá láLá lá lá lá
De Mary Hopkin a Turisas: as origens do clássico do Patrão

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Turisas"

Hall Of ShameHall Of Shame
As melhores músicas ruins da história do Metal

PsicografiaPsicografia
Uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Fãs de RockFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um

5000 acessosNirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?5000 acessosGarimpeiro das Galáxias: Beldades globais e sua paixão pelo rock5000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose conversa com fãs e abre o jogo!5000 acessosBon Jovi: Richie fala do ultimato de Jon que o tirou da banda5000 acessosKerrang: os melhores singles já lançados5000 acessosAfro-Americanos: 10 nomes que estão destruindo no metal

Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online