Obskure: som bem característico e inconfundível

Resenha - Obskure (Rock80, Fortaleza, 07/12/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Enviar Correções  

A empolgação do meu filho com um quebra-cabeças novo e minha terrível habilidade em estacionar, mesmo durante a noite, me fez entrar bem tarde em minha primeira visita ao bar Rock80, quando o OBSKURE já ia iniciar a terceira música de seu show. Eu estava ali por um motivo especial. Era o último show do ano do OBSKURE, uma das mais cultuadas bandas da cena underground alencarina. Apesar do longo tempo de estrada, já superando a marca das duas décadas, os shows da banda não são tão frequentes, então, cada oportunidade não pode ser desperdiçada.

publicidade

O sexteto, formado por Germano Monteiro (vocais), Daniel Boyadjian (guitarra), Amaudson Ximenes (guitarra), Jolson Ximenes (baixo), Wilker D'Angelo (bateria) e Fábio Campos (teclado) estava divulgando o seu segundo full-length, "Dense Shades of Mankind" e o EP, lançado em vinil de 7 polegadas, "Opressions in Obscurity". Embora já tivessem se apresentado durante todo o ano em festivais em Fortaleza e Sobral, e até já tivessem o álbum pronto quando seu nome foi incluído naquele festival no Maranhão do qual não gostamos de falar, o show no Rock80 era o show oficial de lançamento do excelente "Dense Shades of Mankind". Para ter uma idéia do poder desta obra-prima, acesse a resenha do disco no link abaixo:

https://whiplash.net/materias/cds/151797-obskure.html

publicidade

O bar, inaugurado este ano em Fortaleza, já se tornou um point muito especial, trazendo bandas de várias vertentes do rock todas as noites dos finais de semana, tanto covers quanto autorais e reunindo tanto roqueiros da velha guarda quanto metalheads novatos. Embora a acústica do bar seja muito boa, o que é mais digno de nota é a excelente decoração. Nas paredes do bar estão todos aqueles discos que eu, você e qualquer roqueiro normal quer ouvir pelo menos umas mil e uma vezes antes de morrer. Sim, esta é uma referência ao livro de Robert Dimery. E a maioria dos discos na parede, também está neste livro.

publicidade

O show começou com "Christian Sovereign", faixa para a qual a banda gravou seu primeiro vídeo clipe (que você pode conferir abaixo).

publicidade

Em seguida, "Aton's Servant", uma das melhores faixas de "Overcasting", o primeiro full-length da banda. Uma faixa que ultimamente não tem sido tão frequente nos set lists da banda, devido a divulgação dos novos trabalhos. Esta faixa, assim como todas as outras do mesmo CD pode ser ouvida no canal oficial da banda no YouTube, cujo endereço é:

http://www.youtube.com/user/ObskureDeathMetal

publicidade

publicidade

Falha minha ter chegado ao pub tão tarde, mas fui muito bem recebido pela belíssima "Tension Eve Massacre", uma das quatro jóias raras que abrem o "Dense Shades of Mankind" e lhe garantem o status de um dos melhores lançamentos do metal extremo no país neste ano de 2012. Em seguida, "Vermin's Banquet", que você pode conferir no vídeo abaixo:

publicidade

Como não poderia ser diferente em um show oficial de lançamento de um trabalho, nesta noite, que era a noite em que a banda oficialmente lançava dois discos (o full-length "Dense Shades of Mankind", em CD, e o EP "Opressions in Obscurity", em vinil) a tônica da apresentação seriam estes dois álbuns. Assim, "Memories of a Recent Past" foi mais uma do "Dense Shades" a entrar na lista.

A OBSKURE, além da força das composições do seu death metal, das reflexões presentes em suas letras, da competência de seus músicos foi uma das primeiras a incluir teclados em suas músicas, o que faz com que seu som seja bem característico e inconfundível. Os duelos entre o teclado e as duas guitarras são épicos e sempre acompanhados pelas vidadas furiosas de Wilker D'Ângelo e do baixo preciso de Jolson Ximenes.

Um dos momentos mais marcantes da noite seria o que viria a seguir, principalmente na opinião deste redator e de todos aqueles que tem acompanhado a trejetória do OBSKURE nestas duas décadas de atividade. O guitarrista Daniel Boyadjian, que é também ex-vocalista da banda, assume os vocais para um breve trecho. Daniel deu voz a "Opressions in Obscurity", "Noise...Death...War" e "Gate to Suicide", todas do EP "Opressions in Obscurity". É desnecessário, mas importante dizer o quanto este momento foi especial. O relançamento desta demo, hoje distribuida em toda a Europa, é importante não só para a banda, mas para toda a cena underground cearense. E o reencontro de Boyadjian com os vocais do OBSKURE, apesar destes serem muito bem defendidos atualmente por Germano Monteiro, trás um teor de saudosismo em todos que admiram o som desta banda pioneira.

O show continuou com "Unraveling", mais uma faixa de "Overcasting", novamente com Monteiro nos vocais. Em seguida, sobe ao palco Claudine Albuquerque para participar (com muita competência, como de costume) de "Hidden Essence Rescue", outra belíssima faixa de "Dense Shades of Mankind".

O show prosseguiu com muito entrosamento entre banda e público, mais faixas de "Dense Shades..." e um emocionado depoimento do baixista Jolson Ximenes (também baixista de um sem-número de outras bandas) que revelou ter tido o desejo de ter uma banda aos 12 anos de idade, e hoje devia ao OBSKURE a possibilidade de viver da música. Outro momento que bem que poderia ter acontecido seria a participação de Sílvio Bezerra, vocalista da tão pioneira quanto e infelizmente extinta BEOWULF, nos vocais em uma das músicas. O convite foi feito, mas, infelizmente não foi dessa vez que pudemos ter novamente o vozeirão de Sílvio dominando o recinto. Promessas foram feitas e quem sabe numa próxima oportunidade se torne algo concreto. Tales Groo, guitarrista da DARK SIDE e ex-guitarrista da BEOWULF, aceitou o convite e dividiu com Germano os vocais em "Electric Funeral", cover do BLACK SABBATH.

Enfim, "Factoring Sarcasm", a única faixa da demo "Opressions in Obskurity" que ainda não tinha sido executada na noite pôs fim ao show, mas não a festa. Grandes amigos continuaram no bar. Novos e velhos fãs (refiro-me a quando se tornaram fãs da banda), fãs mais novos e mais antigos (refiro-me mesmo a idade destes), membros de bandas importantes na cena como TREM DO FUTURO, KRENAK, DARK SIDE, entre outras, festejaram o OBSKURE até altas horas da noite. Afinal, que lugar melhor para festejar a longevidade de uma banda com mais de 20 anos de estrada que um bar, com uma temática tão preciosa quanto o rock dos anos 80 e cujo nome é, não por acaso, Rock80.

Crédito para as fotos: Ghandi Guimarães (Arquivo Underground)

Set List

Intro
Christian Sovereign
Aton´s Servant
Tension Eve Massacre
Vermin´s Banquet
Memories of a Recent Past
Opressions in Obscurity - c/ Daniel Boyadjian nos vocais
Noise...Death...War - c/ Daniel Boyadjian nos vocais
Gate to Suicide - c/ Daniel Boyadjian nos vocais
Unraveling
Hidden Essence Rescue
Barren Evolution
From One Who Stopped Dreaming
Eletric Funeral - com Tales Groo
Factoring Sarcasm

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Obskure: lançados vídeos para "The Singing of Hungry" e "Abscense of Knowledge"


Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados

Metal contra o câncer: festival aceita cabelo como ingressoMetal contra o câncer
Festival aceita "cabelo" como ingresso


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin