Obskure: Brutalidade e revolta executadas com precisão

Resenha - Dense Shades of Mankind - Obskure

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Tendo sido gravado entre dezembro de 2007 e março de 2011 e só agora lançado, Dense Shades of Mankind, o segundo álbum da OBSKURE, foi aguardado ansiosamente por todos os cearenses conhecedores do bom trabalho da banda. O lançamento foi premiado pela confirmação da presença dos caras no palco do Metal Open Air (M:O:A), sabidamente o maior festival de metal da América Latina (até agora). E logo na primeira audição podemos perceber que eles fizeram por merecer. O som que se ouve aqui une brutalidade e revolta executadas com precisão a uma ambientação soturna, e algumas vezes até pungente, proporcionada pelo teclado sempre presente de Fábio Barros e as competentes guitarras de Daniel Boyadjian e Amaudson Ximenes.
80 acessosObskure: em estúdio produzindo novo trabalho5000 acessosChris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morte

A produção é extraordinária, principalmente se levarmos em conta que esta é uma produção independente. Uma banda que já na demo de inicio de carreira Uterus and Grave, gravada em extremas limitações, já mostrava a que veio, não poderia fazer diferente agora, quando já passa dos vinte anos de estrada. Os vocais de Germano Monteiro mantém o pique e a energia mesmo quando ocorrem mudanças no andamento da música e a criatividade e competência de seus companheiros de banda tornam este excelente trabalho uma obra de arte inconfundível. Impossível não repetir a nota dada em resenha da revista Roadie Crew, edição de março. As letras, embora com um leve escorregão no inglês aqui e ali (típicos de brasileiros compondo em um idioma que não é o seu), calcadas em temas existenciais e humanos, são um convite à reflexão e justificam o zelo na composição do encarte. É um CD que, além de ouvido, vale a pena ser lido. “É melhor ser amado ou temido”? A pergunta já é disparada na primeira faixa. “Nossas individualidades, nossos sentimentos mais primitivos, faces de uma mesma realidade” aparece mais adiante.

As quatro primeiras faixas merecem destaque especial e valeriam, por si só, o preço do CD. Christian Sovereign já é bem conhecida dos fãs por ter feito parte do EP From One Who Stopped Dreaming, de 2005, ser costumeiramente executada nos shows e ter clipe no Youtube. Anxious Passage Relief faz com que você exclame “O que é isso!!!” Pura qualidade, inovação surpreendente, mas, sem perder a ferocidade. Tension Eve Massacre tem o que pode ser o mais marcante solo de guitarra do metal extremo em 2012. É um som que gruda no ouvido e te faz querer ouvir repetidas vezes sem parar. Mas é melhor ir adiante e ser presenteado com a belíssima Hidden Essence Rescue e a participação especial de Claudine Albuquerque, resultando num excelente duelo entre vocais masculinos e femininos, culminando em uma última estrofe por Boyadjian, que foi vocalista da banda nos tempos de Overcasting, o primeiro full-length.

O play segue com outros petardos memoráveis como Unsticked (com a participação de Marcelo Barbosa, do Almah) e Barren Evolution, onde Wilker D’Angelo e Jolson Ximenes atacam seus instrumentos (batera e baixo, respectivamente) com perfeita selvageria, mas termina na direta e brutal Vermin's Banquet, o que talvez seja o único defeito desta coleção de excelentes composições: ela acaba de forma repentina. Problema facilmente resolvido, iniciando novamente a execução, o que não é algo difícil de fazer. Difícil sim seria escolher uma outra faixa para fechar este set sem deixar um certo gostinho de quero mais (uma reordenação talvez fosse uma boa idéia).

Resta torcer que a exposição causada pela participação no M:O:A garanta ainda neste ano uma edição Deluxe (já que esta já conta com um primoroso projeto gráfico e até mesmo com a inclusão do Video Clipe de Christian Sovereign) com gravações dos shows ou alguma faixa adicional guardada em segredo pelos irmãos Ximenes. Um registro em vídeo do show no M:O:A também seria muito bem-vindo. Desejamos que as gravadoras abram o olho e não tenhamos que esperar outros dez anos para por as mãos em um terceiro disco deste sexteto.

É, Amaudson Ximenes. Você errou. Os humanos não estão se tornando robôs, como “profetizado” na letra de Hidden Essence Rescue. Pelo menos não enquanto houver música de qualidade e conteúdo que nos faça refletir sobre a realidade que nos cerca.

O track list do CD é:

1. Christian Sovereign 04:06
2. Anxious Passage Relief 04:24
3. Tension Eve Massacre 05:24
4. Hidden Essence Rescue 06:40
5. Unsticked 04:31
6. Pieces from the Old Life 05:12
7. From One Who Stopped Dreaming... 04:08
8. Barren Evolution 04:06
9. Memories of a Recent Past 03:42
10. Vermin's Banquet 02:14

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Dense Shades of Mankind - Obskure

423 acessosObskure: possivelmente o maior nome do Metal cearense atual309 acessosObskure: Técnica apurada e peso na medida certa508 acessosObskure: Death com toques melódicos e técnica bastante apurada

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

80 acessosObskure: em estúdio produzindo novo trabalho0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Obskure"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Obskure"

Chris CornellChris Cornell
Relatório policial descreve últimas horas e morte

Heavy MetalHeavy Metal
Pesquisa indica que gênero é apreciado por alunos brilhantes

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1981

5000 acessosKiss: as 10 músicas mais "demoníacas" da banda5000 acessosHeavy Metal: Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire5000 acessosLed Zeppelin: Perguntas e Respostas sobre a banda4753 acessosCradle of Filth: Dani Filth alfinetando o Kiss em 19995000 acessosLed Zeppelin: as crianças da capa de "Houses Of The Holy"5000 acessosRick Rubin: produtor volta a comer carne e perde 60 quilos

Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online