Matérias Mais Lidas

Miranda: por que não faz sentido roqueiro criticar funk, segundo saudoso produtorMiranda
Por que não faz sentido roqueiro criticar funk, segundo saudoso produtor

Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoHá quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

Nightwish: Floor comenta saída de Marko e show interativo tocado em um banheiro verdeNightwish
Floor comenta saída de Marko e show interativo tocado em um "banheiro verde"

Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentaisSaúde
Mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

João Gordo: ele diz não ser representante do metal e cita os verdadeirosJoão Gordo
Ele diz não ser representante do metal e cita os "verdadeiros"

K.K. Downing: De onde o Iron Maiden tira tanta energia?K.K. Downing
"De onde o Iron Maiden tira tanta energia?"

Rita Lee: internauta viraliza ao trazer Manu Gavassi como sua equivalência modernaRita Lee
Internauta viraliza ao trazer Manu Gavassi como sua equivalência moderna

David Coverdale: post em solidariedade ao Brasil após 500 mil mortes por Covid-19David Coverdale
Post em solidariedade ao Brasil após 500 mil mortes por Covid-19

1983: 15 grandes álbuns lançados no ano que o mundo conheceu o Metallica e o Slayer1983
15 grandes álbuns lançados no ano que o mundo conheceu o Metallica e o Slayer

Thrash metal: dez grandes álbuns do estilo que foram lançados em 1990Thrash metal
Dez grandes álbuns do estilo que foram lançados em 1990

Darkthrone: Fenriz lista os 5 álbuns mais influentes do doom metalDarkthrone
Fenriz lista os 5 álbuns mais influentes do doom metal

DJ Ashba: ele ficou milionário com o Guns N' Roses, e conta o segredoDJ Ashba
Ele ficou milionário com o Guns N' Roses, e conta o segredo

Covers: nove versões inusitadas para clássicos da música pesada, em lista da KerrangCovers
Nove versões inusitadas para clássicos da música pesada, em lista da Kerrang

Metallica: a palavra mais presente nas letras da banda é...Metallica
A palavra mais presente nas letras da banda é...

Foo Fighters: Dave Grohl troca com Taylor Hawkins, que canta Somebody To LoveFoo Fighters
Dave Grohl troca com Taylor Hawkins, que canta "Somebody To Love"


Arte Musical
Stamp

Ripper Owens: carreira no Judas Priest revisada em Curitiba

Resenha - Ripper Owens (Hangar Bar, Curitiba, 23/10/2009)

Por André Molina
Em 27/10/09

O ex-vocalista do Judas Priest, Tim Ripper Owens, deu prosseguimento a sua turnê brasileira com show em Curitiba no dia 23 de outubro no Hangar Bar. No repertório formulado especialmente para o país, o cantor exibiu um conjunto de canções do Judas Priest e interpretações para consagradas músicas de heavy metal. Ele não se reservou a somente apresentar canções dos CDs que participou no Judas. O set list incluiu músicas das décadas de 70, 80 e 90. Quem acompanhou Ripper Owens foi a banda paulista Tempestt, que solidifica uma trajetória fazendo turnês ao lado de grandes nomes do metal. Ainda neste ano, o grupo foi banda de apoio de Jeff Scott Soto. O entrosamento entre BJ (vocal e guitarra), Leo Mancini (guitarra), Gabriel Triani (bateria) e Paulo Souza (baixo) deu segurança a Owens. O Tempestt exibiu arranjos fiéis aos originais.

Fotos: Karil Soar

Após breve abertura das bandas curitibanas Epilepsya e Shoot N’ Blaze, Ripper preferiu iniciar a apresentação já detonando com clássicas canções do Judas como "Painkiller", "The Ripper" e "Burn in Hell" (música do disco Jugulator – primeiro com Ripper Owens). Talvez pelo novo álbum solo "Play My Game" não estar ainda à venda no mercado brasileiro, o cantor preferiu basear o set list em canções do Judas Priest. Sorte do público que chegou a casa para prestigiar as interpretações de Ripper para as canções da consagrada banda inglesa.

Em seguida, os fãs receberam mais canções de Judas, entre elas "Electric Eye" (responsável por um dos melhores momentos da noite), a obscura "The Green Manalishi" do disco "Hell Bent For Leather" de 1979, "One On One" do "Demolition" (último álbum com o cantor) e Grinder.

O cantor também reservou uma parte do show para exibir alguns covers. O público chegou a esperar interpretações para "Highway Star" (Deep Purple), "Paranoid" (Black Sabbath) e "Gates of Babylon" (Rainbow) que constavam em outros repertórios, mas foram retiradas do set list de Curitiba. Ripper incluiu "Symptom of The Universe" (Black Sabbath) e "Flight of Icarus" (Iron Maiden), que agradou bastante o público. Vale dizer que a canção ficou muito boa na voz de Owens.

Para relembrar sua passagem na carreira do guitarrista sueco Yngwie Malmsteen, o ex-vocalista do Judas Priest executou "Rising Force". Estranhamente ele preferiu incluir a canção no lugar de qualquer outra música que ele gravou no álbum de Malmsteen do qual participou, o "Perpetual Flame", de 2008.

Do disco solo "Play My Game", a canção que agradou foi "Starting Over". Apesar da maioria dos fãs presentes não conhecerem, o novo trabalho teve uma boa receptividade.

Para fechar, o lendário cantor apresentou uma dobradinha clássica de Judas Priest, com "Breaking the Law" e "Living After Midnight", do álbum mais marcante da banda britânica, o "British Steel".

O show foi um dos melhores eventos de heavy metal em Curitiba no ano de 2009. É uma pena que pouca gente presenciou o espetáculo. Estima-se que o público foi inferior a 200 pessoas. Quem admira Judas Priest dificilmente vai poder presenciar evento de tal qualidade na capital paranaense.

Aberturas

As duas bandas que abriram o show de Ripper Owens executaram breves repertórios que esquentaram a platéia. Os curitibanos do Epilepsya aproveitaram a oportunidade para priorizar as composições próprias em meia hora. No estilo do grupo são nítidas as influências de Sepultura, Slayer e Pantera. O que se destaca na banda é a presença de palco. O vocalista e guitarrista, Cleiton Valle, exibe uma maneira de cantar que lembra Rob Zombie. Já o baixista Jeison parece espancar as quatro cordas.

Além das músicas de própria autoria, o Epilepsya também expôs versões de "Symptom of The Universe" (Black Sabbath) e "Ace of Spades" (Motorhead). Já o grupo Shoot n’ Blaze preferiu optar pelos covers, agradando o público com canções do heavy metal clássico, de bandas como Iron Maiden e Dio.

Tarde de autógrafos

No período da tarde, Tim Ripper Owens recebeu aproximadamente 30 fãs na loja de discos e roupas Let’s Rock, localizada no centro de Curitiba. Ele tirou fotos e autografou CD’s e DVD’s. Percebeu-se que os fãs esperavam ter a oportunidade de comprar o álbum "Play My Game", que ainda é uma raridade no Brasil. Após conversar com admiradores e curiosos, Ripper foi presenteado com um par de tênis , que estava exposto na vitrine da loja.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Pentral
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Ripper Owens: vocalista afirma que foi infectado pela Covid-19 mesmo usando máscaraRipper Owens
Vocalista afirma que foi infectado pela Covid-19 mesmo usando máscara

Iced Earth: Ripper diz que sua saída não foi das melhores e que não fala com SchafferIced Earth
Ripper diz que sua saída não foi das melhores e que não fala com Schaffer


Judas Priest: fase Ripper permanece bastante subestimadaJudas Priest
Fase Ripper permanece bastante subestimada

Tim Ripper Owens: Caí fora da banda de Malmsteen sem falar nadaTim "Ripper" Owens
"Caí fora da banda de Malmsteen sem falar nada"

Tim Ripper Owens: para ele, Stephen King é um perdedorTim "Ripper" Owens
Para ele, Stephen King é um perdedor


Death Metal: as 10 melhores bandas de acordo com a AOLDeath Metal
As 10 melhores bandas de acordo com a AOL

Lista: clássicos do rock e do metal que ninguém aguenta mais ouvir - Parte 1Lista
Clássicos do rock e do metal que ninguém aguenta mais ouvir - Parte 1


Sobre André Molina

André Molina é jornalista, economista e começou a ouvir heavy metal ainda quando era criança. Tem 30 anos de idade e Rock 'n' Roll é sua religião.

Mais matérias de André Molina.