Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemRegis Tadeu explica porque o vinil e o Spotify vão despencar e o CD vai bombar

imagemOzzy Osbourne revela o único integrante de sua banda que saiu "do jeito certo"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemDavid Gilmour surpreende ao responder se o Pink Floyd pode voltar a fazer shows

imagemGene Simmons faz passagem de som antes de show do Kiss com roupa inusitada

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemMax Cavalera e o conselho dado por Ozzy Osbourne: "ambos nos sentimos traídos"

imagemQuem Glenn Hughes considera digno de substituí-lo como "a voz do rock"

imagemBill Hudson comenta sobre falta de público de Angra e outras bandas nos EUA

imagemJames Hetfield se emociona profundamente no show de BH e é amparado pelos amigos e fãs

imagemBrian May revela o inesperado álbum do Queen que é o seu favorito

imagemPink Floyd: Em entrevista de 1984, David Gilmour falou sobre "The Final Cut"

imagemDez grandes músicas do Iron Maiden escritas pelo vocalista Bruce Dickinson

imagemConheça a "melhor banda com as melhores músicas" para Robert Smith, do The Cure


PRB

Alice Cooper: Dias normais e noite de horror na capital paranaense

Resenha - Alice Cooper (Teatro Guaíra, Curitiba, 10/06/2007)

Por André Molina
Em 12/06/07

O show de Alice Cooper na capital paranaense não foi apenas uma apresentação de sua turnê. O evento se caracterizou como a inauguração da "Psycho Drama Tour", causando ansiedade aos fãs de todo o Brasil, que não sabiam como seria o repertório do cantor. Outra curiosidade era o roteiro do show. Muitos admiradores acreditavam que os efeitos especiais e os números teatrais seriam semelhantes aos do show "Brutally Live" (2000) e do material "Alice Cooper Box – Collector’s Edition".

O circo do horror começou pontualmente às 20h, no dia 10 de junho e utilizou como cenário o Teatro Guaíra. Muitos fãs contestaram o lugar em que o show foi realizado, mas após a apresentação confirmaram que a cidade não apresenta outro local para suportar o espetáculo.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Ao ser questionado sobre a realização de shows em teatros, o baterista Eric Singer defendeu a iniciativa. "É mais fácil para obter um som de qualidade e montar todo o cenário. Gosto de tocar em teatros. É melhor para a banda e para o público", disse.

O público que presenciou a abertura da turnê mundial de Alice Cooper não lotou o Guaíra. O motivo foi o preço do ingresso. A entrada inteira para a platéia custou R$ 200. Muitos fãs deixaram de ir ao teatro por causa do preço elevado.

A abertura do show foi extremamente criativa. Em uma cortina, a sombra de Alice Cooper apareceu com sua cartola e bengala, fazendo pose para a platéia. Após o público aplaudir com euforia, o verdadeiro Alice Cooper entra no palco e enterra uma espada no peito do falso Alice Cooper, representado na sombra anterior.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A canção que dá início ao espetáculo é "It’s hot tonight", que apresentou falhas iniciais no som, que com o decorrer da execução foram consertadas. O público nem notou por estar com a atenção presa ao cenário do palco e à presença do cantor. Em seguida, a banda expôs uma série de clássicos dos anos 70 como "No more Mr. Nice Guy", "Under my wheel", "I’m Eighteen" e "Is it my body".

Com o público conquistado no início do show, Alice cantou o novo clássico "Woman of mass destruction", do disco "Dirty Diamonds" (2005) e "Lost in America" do CD "The last temptation" (1994).

No decorrer do show, a banda aproveitou a ocasião para apresentar canções mais obscuras. Um dos fatos que chamou a atenção foi o intervalo entre as músicas. O grupo, praticamente, emendava todas e encarava o concerto como um teste. É relevante mencionar que a turnê começou no meio das gravações do novo disco "Along came a spider", que será no formato duplo e conceitual sobre a trajetória de um serial killer.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A apresentação voltou a aquecer os fãs curitibanos em "Welcome to my nightmare", iniciando mais uma série de clássicos setentistas. O momento mais esperado aconteceu após "Only women bleed". Ao começar "Dead babies", o público percebe que a execução de Alice Cooper está próxima. Em "Dwight Frye", Alice é preso na camisa de força até ser levado à forca.

A apresentação fechou com "School’s out" e "Billion dolar babies". É incrível como "School’s out" tem mais poder ao vivo do que no disco. A exposição da canção no final do repertório é bem adequada.

No bis, Alice cantou "Poison" (seu maior clássico na década de 80) e terminou a apresentação, definitivamente, com "Elected", pedindo votos ao público.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

CLique no link abaixo para saber mais sobre a passagem de Alice Cooper por Curitiba:

As aventuras de Alice Cooper em Curitiba

Set-List:
It's hot tonight
No more Mr. Nice Guy
Under my wheels
I’m Eighteen
Is it my body
Woman of mass destruction
Lost in America
Be my lover
Raped & Freezin
Long way to go
Muscle of love
Public Animal
Desesperado
Halo Flies
Welcome to my nightmare
Cold Ethyl
Only women bleed
Steven
Dead babies
Dwight Frye
Devil's food / Killer / I love the dead
School's out
Billion dollar babies
Poison
Elected


Outras resenhas de Alice Cooper (Teatro Guaíra, Curitiba, 10/06/2007)

Resenha - Alice Cooper (Teatro Guaíra, Curitiba, 10/06/2007)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Chuck Wright: ex-Quiet Riot lança single pedindo fim da guerra na Ucrânia


Eric Singer: "Eu nunca quis ser mais rápido que ninguém!"



Sobre André Molina

André Molina é jornalista, economista e começou a ouvir heavy metal ainda quando era criança. Tem 30 anos de idade e Rock 'n' Roll é sua religião.

Mais matérias de André Molina.