Resenha - Alice Cooper (Teatro Guaíra, Curitiba, 10/06/2007)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por André Molina
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O show de Alice Cooper na capital paranaense não foi apenas uma apresentação de sua turnê. O evento se caracterizou como a inauguração da “Psycho Drama Tour”, causando ansiedade aos fãs de todo o Brasil, que não sabiam como seria o repertório do cantor. Outra curiosidade era o roteiro do show. Muitos admiradores acreditavam que os efeitos especiais e os números teatrais seriam semelhantes aos do show “Brutally Live” (2000) e do material “Alice Cooper Box – Collector’s Edition”.

O circo do horror começou pontualmente às 20h, no dia 10 de junho e utilizou como cenário o Teatro Guaíra. Muitos fãs contestaram o lugar em que o show foi realizado, mas após a apresentação confirmaram que a cidade não apresenta outro local para suportar o espetáculo.

Ao ser questionado sobre a realização de shows em teatros, o baterista Eric Singer defendeu a iniciativa. “É mais fácil para obter um som de qualidade e montar todo o cenário. Gosto de tocar em teatros. É melhor para a banda e para o público”, disse.

O público que presenciou a abertura da turnê mundial de Alice Cooper não lotou o Guaíra. O motivo foi o preço do ingresso. A entrada inteira para a platéia custou R$ 200. Muitos fãs deixaram de ir ao teatro por causa do preço elevado.

A abertura do show foi extremamente criativa. Em uma cortina, a sombra de Alice Cooper apareceu com sua cartola e bengala, fazendo pose para a platéia. Após o público aplaudir com euforia, o verdadeiro Alice Cooper entra no palco e enterra uma espada no peito do falso Alice Cooper, representado na sombra anterior.

A canção que dá início ao espetáculo é “It’s hot tonight”, que apresentou falhas iniciais no som, que com o decorrer da execução foram consertadas. O público nem notou por estar com a atenção presa ao cenário do palco e à presença do cantor. Em seguida, a banda expôs uma série de clássicos dos anos 70 como “No more Mr. Nice Guy”, “Under my wheel”, “I’m Eighteen” e “Is it my body”.

Com o público conquistado no início do show, Alice cantou o novo clássico “Woman of mass destruction”, do disco “Dirty Diamonds” (2005) e “Lost in America” do CD “The last temptation” (1994).

No decorrer do show, a banda aproveitou a ocasião para apresentar canções mais obscuras. Um dos fatos que chamou a atenção foi o intervalo entre as músicas. O grupo, praticamente, emendava todas e encarava o concerto como um teste. É relevante mencionar que a turnê começou no meio das gravações do novo disco “Along came a spider”, que será no formato duplo e conceitual sobre a trajetória de um serial killer.

A apresentação voltou a aquecer os fãs curitibanos em “Welcome to my nightmare”, iniciando mais uma série de clássicos setentistas. O momento mais esperado aconteceu após “Only women bleed”. Ao começar “Dead babies”, o público percebe que a execução de Alice Cooper está próxima. Em “Dwight Frye”, Alice é preso na camisa de força até ser levado à forca.

A apresentação fechou com “School’s out” e “Billion dolar babies”. É incrível como “School’s out” tem mais poder ao vivo do que no disco. A exposição da canção no final do repertório é bem adequada.

No bis, Alice cantou “Poison” (seu maior clássico na década de 80) e terminou a apresentação, definitivamente, com “Elected”, pedindo votos ao público.

CLique no link abaixo para saber mais sobre a passagem de Alice Cooper por Curitiba:
4739 acessosAs aventuras de Alice Cooper em Curitiba

Set-List:
It's hot tonight
No more Mr. Nice Guy
Under my wheels
I’m Eighteen
Is it my body
Woman of mass destruction
Lost in America
Be my lover
Raped & Freezin
Long way to go
Muscle of love
Public Animal
Desesperado
Halo Flies
Welcome to my nightmare
Cold Ethyl
Only women bleed
Steven
Dead babies
Dwight Frye
Devil's food / Killer / I love the dead
School's out
Billion dollar babies
Poison
Elected

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Alice Cooper (Teatro Guaíra, Curitiba, 10/06/2007)

733 acessosResenha - Alice Cooper (Teatro Guaíra, Curitiba, 10/06/2007)

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MudançasMudanças
10 bandas que não soam mais como em seus primeiros discos

308 acessosAlice Cooper: veja o lyric video de "Paranormal"2990 acessosAlice Cooper: Welcome to My Nightmare lançado em DVD2173 acessosAlice Cooper: Longe de se aposentar, quer ultrapassar Mick Jagger474 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta397 acessosRepublica: banda brasileira abre shows de Alice Cooper na Europa0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Alice Cooper"

Iron MaidenIron Maiden
Murray toca "Ace of Spades" em homenagem a Lemmy

Ultimate Classic RockUltimate Classic Rock
Os supergrupos mais improváveis do rock

UCRUCR
Os 5 piores comerciais com astros do rock

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Alice Cooper"

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1984

Duff McKaganDuff McKagan
3 litros de vodka, 3 gramas e meio de cocaína, e mais...

Legião UrbanaLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

5000 acessosO futuro do Rock nacional: bandas autorais devem "se tocar"5000 acessosMetal: As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos5000 acessosSemelhança: vocalistas de rock com vozes quase iguais5000 acessosBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história5000 acessosSlayer: tirando um som brutal de instrumentos infantis5000 acessosHeavy Metal: as 10 maneiras de se segurar a guitarra

Sobre André Molina

André Molina é jornalista, economista e começou a ouvir heavy metal ainda quando era criança. Tem 30 anos de idade e Rock 'n' Roll é sua religião.

Mais matérias de André Molina no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online