Alice Cooper: Livres para desfilar os hits da fase clássica

Resenha - Alice Cooper (Teatro Guaíra, Curitiba, 10/06/2007)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karl Loss
Enviar Correções  

Depois de todo o tumulto cercando a vinda de Alice Cooper ao Brasil, incluindo cancelamentos, mudanças de data e local, chegou a hora da verdade. Curitiba teve a honra de sediar o primeiro show da nova turnê, a "Psycho Drama Tour".

Alice Cooper: "Cinco por cento da força policial tem um problema racial"

Lemmy Kilmister: A opinião da lenda sobre Sharon Osbourne e Iron Maiden

Sem a responsabilidade de promover um álbum novo - o possivelmente duplo "Along Came a Spider" teve seu lançamento adiado para 2008 - Cooper & cia. ficaram livres para desfilar os hits da fase clássica do artista, que definiu muitos padrões para o Hard Rock e Metal.

Após o menos conhecido tema de abertura - "It's Hot Tonight" - Tia Alice mandou três clássicos na seqüência: "No More Mr. Nice Guy", "Under My Wheels" e "I'm Eighteen", fazendo com que já na segunda música a galera esquecesse que estava num teatro: praticamente todos os presentes não se sentaram mais até o final do show.

O repertório também se destacou por cobrir praticamente toda a longa carreira de Alice Cooper, com destaque para canções menos conhecidas mas igualmente geniais como "Long Way To Go" e "Public Animal #9", que lembram que a obra do inventor do Shock Rock merece urgentemente ser redescoberta nesses tempos de tanto marasmo e conformismo (ou seria conformEMO?) na cena roqueira.

A competente banda de apoio, com destaque para o ex-Kiss Eric Singer na batera, mostrou toda sua força na longa "Halo Of Flies", com direito a percussão com os dois guitarristas apoiando Eric na introdução do seu solo de bateria. Essa canção, aliás, é um embrião do que hoje se conhece com Prog e teve influência direta sobre Steve Harris e seus comparsas. Quem duvida, que ouça a levada dos riffs.

A parte teatral como sempre é um show à parte. Mulheres espancadas e assassinadas, necrofilia, bebês mortos, Alice cantando com camisa de força e o climax no enforcamento do Mestre, obviamente ao som de "I Love The Dead". Antes do bis, Alice ainda canta seu maior sucesso, "School's Out".

No bis, o riff de bateria de "Billion Dollar Babies" esquentou os fãs mais recentes para Poison, cantada em uníssono pelas pelo menos três gerações de fãs presentes. E Alice ainda teve fôlego para encerrar com "Elected", canção onde faz o papel de um político pedindo votos, e disse para o público: "Curitiba tem problemas, São Paulo tem problemas, o Rio tem problemas, assim como todo o Brasil. E, pessoalmente, eu não dou a mínima!!!". Assim como todo o público presente, que, ao menos pela 1 hora e 40 minutos que durou o espetáculo, esqueceu de todos os problemas que nos assolam. E afinal, não é para isso que serve um bom show de Rock?


adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin