Metal Nacional: originalidade e ousadia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fabio Reis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Fazendo uma pesquisa sobre o que de novo a cena nacional está nos apresentando, me deparei com 4 bandas que considero totalmente diferenciadas das demais. É muito difícil soar original e inovador dentro do Metal hoje em dia, mas as vezes se consegue tal feito com ideias simples porém funcionais, que sendo executadas de forma correta, surtem efeitos mais que satisfatórios.

Cannibal Corpse: o pescoço gigante de George FisherMegadeth: os 10 bens mais preciosos de Dave Mustaine

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Metal cantado em português não é novidade pra ninguém, existe um grande número de grupos que usam desse artifício, muitos com desenvoltura e alguns poucos com maestria. Mas o que dizer de bandas que não se limitam e cantam em português, inglês e até mesmo Tupi Guarani? Além disso, ainda se utilizam de uma pesquisa bem fundamentada e apresentam em suas letras, fatos históricos, regionais, folclóricos, culturais, temas mitológicos e pagãos e tenham ousadia suficiente para embutir sonoridades que remetem a cada um dos assuntos abordados com uma desenvoltura assustadora.

Temos quatro preciosidades em nossa cena, que são grandes desconhecidas da maior parte do público, mas que possuem uma identidade musical muito forte, com temáticas bem elaboradas e uma sonoridade convincente. Apresentam um Heavy Metal executado com brilhantismo, técnica e muito conteúdo. Fogem totalmente do estereótipo das bandas atuais e dão uma nova roupagem a um segmento que não possui mais tantos caminhos a serem desbravados.

O Cavaleiro Dragão talvez seja a que menos inove em se tratando de musicalidade. Se fosse comparar com alguma banda, diria que se assemelham a um Grand Magus brasileiro. A diferença é a abordagem dos temas, que apesar de terem sido usados em exaustão por bandas internacionais, nenhuma brasileira o fez como eles, cantando sobre a época medieval, cavaleiros, reis e dragões, mas tudo isso em Português. Com letras bem feitas, arranjos grandiosos e uma capacidade enorme de não soar um clone de inúmeros grupos do estilo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A segunda banda, o Cruzadas, segue uma linha parecida, mas com certa diferença na sonoridade, que é mais pesada e direta. Os temas também são abordados de outra maneira, se diferenciam do Cavaleiro Dragão, pois, baseiam-se em fatores históricos, épicos, pagãos e mitológicos ao invés da ficção. Tudo isso, reflexo de muita pesquisa e estudo, levando o ouvinte a fazer uma verdadeira viagem sonora diretamente para os campos de batalha na idade das trevas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A terceira surpresa que tive foi ao ouvir o "Debut" do Armahda, que trata de temas regionais, Lendas e folclores brasileiros além de episódios históricos e da cultura de nosso povo. Tudo isso feito de forma impecável e se utilizando de um Heavy tradicional com generosas pitadas de Power Metal. Em alguns momentos nos remetem a sonoridade do Grave Digger e em outros mostra influências de Blind Guardian, mas sempre com muita personalidade e originalidade. As músicas são em sua maioria, cantadas em inglês, mas quando se aventuram no português, o fazem com perfeição.

Após a audição dessas três bandas, que me surpreenderam totalmente, não esperava encontrar mais nada que se enquadrasse nessa proposta. Foi quando comecei a ouvir o primeiro trabalho do Arandu Arakuaa e percebi que estava tremendamente enganado.

Além de inovar totalmente na sonoridade, usando ritmos indígenas em meio a um Metal muito competente, que transita entre diversos segmentos como o Heavy tradicional e o Thrash mais certeiro, abordam a temática da cultura Tupi, com uma diferença gigantesca do que o Sepultura fez com os índios da tribo Xavante em "Roots". As músicas são cantadas em Tupi Guarani, o que dá uma atmosfera única ao trabalho. A agressividade e fúria se alternam entre momentos onde ritmos e cantos tribais são incorporados à música trazendo uma originalidade até então inédita.

Recomendo as quatro bandas, todas elas com nuances de genialidade, cada uma a sua maneira, usando características próprias e abusando do direito de surpreender os ouvintes. O metal Nacional caminha mais lento do que pode e deve, mas segue caminhando. De tempos em tempos nos brinda com ótimas bandas e às vezes consegue se superar como nestes casos.

Quem aprecia grupos que não dão foco total na sonoridade e trazem temas interessantes, pertinentes, bem estruturados e que não deixam nada a dever a maioria das grandes bandas internacionais, terão na audição dessas ótimas revelações, uma experiência muito agradável e satisfatória.

Metal nacional há muito tempo merecendo ser tratado com mais respeito e dignidade.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "Cavaleiro Dragão"Todas as matérias sobre "Cruzadas"Todas as matérias sobre "Armahda"Todas as matérias sobre "Arandu Arakuaa"


Cannibal Corpse: o pescoço gigante de George FisherCannibal Corpse
O pescoço gigante de George Fisher

Megadeth: os 10 bens mais preciosos de Dave MustaineMegadeth
Os 10 bens mais preciosos de Dave Mustaine


Sobre Fabio Reis

Paulista, 32 anos, Editor do Blog Mundo Metal, fã de Rock Clássico e Diversos subgêneros do Metal. Banda favorita: Megadeth. Conheceu o Rock ainda quando criança por intermédio dos pais (amantes de Beatles) e com 11 anos já ia na galeria do Rock comprar seus primeiros LP's, desde sempre fez do Metal seu estilo de vida e até os dias de hoje essa paixão pela música só aumenta.

Mais matérias de Fabio Reis no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280