Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemAndreas Kisser conta quais os dez álbuns que mudaram a sua vida

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemHalford relembra o dia que caiu em pegadinha armada por Tony Iommi e Geezer Butler


Stamp

Rachel Bolan: "nós despedimos Sebastian Bach"

Por Marco Néo
Fonte: KNAC.com
Em 17/05/07

O site KNAC.com entrevistou em 2007 o baixista e co-fundador do SKID ROW, Rachel Bolan. Na entrevista o baixista compara a época dos grandes hits e a nova fase do Skid Row.

KNAC.COM: O que você tinha em mente para que "Revolutions Per Minute" fosse diferente dos outros álbuns do Skid Row, para que a banda não soasse nostálgica?

BOLAN: "A única coisa que nós acertamos foi que não haveria baladas. Nós somos famosos por nossas baladas. Não foi um caso de deixar essa parte de lado, foi mais uma coisa de nós querermos fazer um álbum que tivesse um pouco mais de pegada, e um estilo um pouco diferente. A gente queria fazer algo inesperado. Fomos adiante e colocamos um sentimento mais punk nas coisas. Seguimos várias direções diferentes, a música 'You Lie', por exemplo, é quase uma música hardcore country. Queríamos correr riscos dessa vez. Nós nunca fizemos um álbum assim antes. Nós não queríamos perder tempo nos concentrando demais em um só estilo. Nós só entramos em uma sala, compusemos as músicas e o que ficasse bom entraria no álbum. Essa foi a nossa filosofia".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

KNAC.COM: Quando o Skid Row apareceu na cena, em 1989, vocês tinham algo a dizer, e nunca tiveram receio de se pronunciar. Mas muita gente considerou vocês uma banda de hair metal. Você acha que o Skid Row foi empurrado para essa categoria? Eu acho que vocês sempre foram muito mais do que isso, você não concorda?

KNAC.COM: "Sim, também acho. As pessoas ainda nos chamam de banda de hair metal dos anos 80, quer dizer, nosso primeiro álbum saiu em 1989. Nós realmente fizemos sucesso nos anos 90. Nós somos muito mais do que uma banda de hair metal, mas eu não me importo com o que os outros acham, desde que gostem da nossa música. Quer dizer, a mensagem mudou com o passar dos anos porque a gente viu muito mais coisas. Nós estamos mais velhos, não crescemos (risos) mas envelhecemos. As coisas mudam, você meio que trabalha melhor com experiência de vida do que com experiência geral, teoria".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

KNAC.COM: Como a cena grunge afetou o SKID ROW?

BOLAN: "Bom, ela nos afetou tanto quanto afetou toda a cena. Nos deixou sem emprego por um tempo. Tinha vezes que só de eu mencionar que era do Skid Row, o povo me olhava como se eu tivesse uma 'letra escarlate' (risos). [Nota do Editor: no início da colonização americana, as pessoas que cometiam algum ato considerado impróprio - principalmente as mulheres adúlteras - tinham bordada em sua roupa uma letra vermelha, para que todos soubessem de seu "erro"]. Foi duro. Meus amigos sempre diziam que esse estilo iria voltar a fazer sucesso. Eu falava, 'tomara'. Porque eu adoro sair em turnê e tocar. Isso nos preocupou por um tempo. Mas eu acho que isso acontece com todos os gêneros. Hoje em dia ninguém mais nem fala de grunge".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

KNAC.COM: Qual a diferença do clima no estúdio hoje em dia da época em que Sebastian ainda estava na banda?

BOLAN: "Hoje em dia rola muito menos estresse. Virtualmente não há estresse. Gravar discos com Johnny é uma bênção. O cara é muito preparado. Ele entra no estúdio e faz o que tem que fazer muito rápido, digamos assim. Ele sabe o que tem que fazer. Ele tem um ótimo senso de 'feeling' para as músicas que fazemos. A gente não tem que ficar falando muito o que ele tem que fazer. Ele vai lá, entra na sala e faz. Ele adora trabalhar com o Michael. Na primeira vez que ele trabalhou com Michael, ele tinha ouvido como o Michael pega pesado com vocalistas. Eu disse para ele se preparar; ele quer a melhor performace que você tem dentro de si. Michael falou, 'Oh meu Deus. Quisera eu que todos cantassem assim'. Ele termina tudo muito rápido, ele sabe o que quer".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

KNAC.COM: Quando o Sebastian saiu em 1996, vocês chegaram a ter algum tipo de reservas sobre o futuro da banda? Você chegou a pensar em se dedicar em tempo integral às corridas de carros?

BOLAN: "Só pra esclarecer as coisas: nós despedimos Sebastian. Quando voltamos com a banda, ele nunca foi convidado. Então fomos nós que não quisemos mais tocar com ele, não o contrário. Dito isso, eu sempre soube que voltaria para a música. É o que está dentro de mim. É o que eu faço. De tudo o que eu faço, isso é o que faço melhor. Corrida pra mim é um hobby. Eu corro pra me divertir e para liberar o estresse. Eu nunca cogitei deixar de trabalhar com música, mesmo que fosse só compor músicas para outras pessoas ou trabalhar com produção. Quanto mais velho eu fico, eu fico meio que de saco cheio às vezes de tanto fazer turnê. Daí quando eu fico parado por uns dois meses, como agora, que faz duas semanas que não fazemos shows, eu já fico subindo pelas paredes. Eu já fico assim, meio que 'tenho que subir no palco de novo'".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

KNAC.COM: Você ainda fala com o Rob Affuso, baterista original do SKID ROW?

BOLAN: "Sim, nós nos comunicamos por e-mail. Ele está muito bem".

KNAC.COM: Como está o Snake? Eu ouvi dizer que ele estava tendo dificuldades com a mão?

BOLAN: A princípio pensaram que era Síndrome do Túnel do Carpo [Nota do editor: uma doença que ocorre quando o nervo que passa na região do punho fica submetido à compressão - clique aqui para ler mais detalhes]. Mas tem a ver com um problema de disco na coluna. Ele caiu há algum tempo, quando a gente estava em turnê com o KISS, e machucou a bacia. Foi meio que um reflexo disso. Depois ele fez tratamento da coluna que resultou em um disco avariado. É uma daquelas coisas que você nunca sabe se vai dar certo ou não. Ele quer evitar cirurgia, e eu não o culpo. Então de vez em quando a mão dele fica boa por um mês. A gente sai em turnê, mas às vezes chega a um ponto em que ele sequer consegue segurar o braço da guitarra. Daí um amigo nosso, Kerri Kelli, que toca com o Alice Cooper, vem e substitui o Snake quando não dá pra ele".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

KNAC.COM: Rachel, tem mais alguma coisa que você queira dizer sobre o álbum "Revolutions Per Minute"?

BOLAN: "Vá até a loja e compre dez cópias. Eu gostaria de agradecer aos fãs por se manterem firmes por todos esses anos e constantemente irem aos shows. É sempre bom ver todos os amigos que já conhecemos, e todas as caras novas e o pessoal mais jovem vindo ver a gente tocar. É bem legal poder estar ainda por aí e mais importante de tudo poder lançar música nova".


Skid Row x Sebastian Bach

Dave 'Snake' Sabo nega volta do Skid Row original

Sebastian Bach: saudades do Skid Row?

Sebastian Bach comenta nova formação do Skid Row

Skid Row retruca Bach e anuncia lançamento

Bolan: "Reunir com Sebastian seria ridículo!"

Sebastian Bach: "O Skid Row está confundindo os fãs"

Skid Row: "ou gostam do Bach ou da gente"

Skid Row: "não queremos Sebastian Bach de volta"

Skid Row para Sebastian Bach: "vá se f*%#[email protected]!"

Sebastian Bach: cansado de falar no Skid Row

Sebastian Bach: sempre amarei o que fiz no Skid Row

Sebastian Bach: "Eu amo o Skid Row! Eu sou o Skid Row!"

imagemSebastian Bach: "Não faço música por dinheiro"

Skid Row: Radialista diz que reunião pode ocorrer no futuro

Radialista diz que não vai rolar reunião do Skid Row

Sebastian Bach: volta ao Skid Row é pouco provável

Sebastian Bach: "estão destruindo o nome do Skid Row"

Skid Row: Bach diz ter "toneladas" de raridades da banda!

Skid Row: Bach disponibiliza vídeos clássicos da banda

Sebastian Bach: "não pretendo me reunir com o Skid Row"

Sebastian Bach: reunião do Skid Row está descartada

Sebastian Bach: "o Skid Row perdeu toda a credibilidade"

Sebastian Bach: tocando o horror e com saudade do Skid Row?

Sebastian Bach: Cantor discute com Eddie Trunk via Twitter

Skid Row: Sebastian Bach admite conversa com guitarrista

Skid Row: baixista quer evitar saudosismo

Skid Row: "Não vejo reunião com Bach acontecendo!"

Skid Row: "nos livramos de Bach e nunca olhamos para trás"

Sebastian Bach: "parem de me perguntar sobre reunião"

Sebastian Bach: "estão sujando o nome Skid Row"

Sebastian Bach: jantando com baterista original do Skid Row

Sebastian Bach: vídeo de participação de Rob Affuso em show

Sebastian Bach: "eu era o Metalhead do Skid Row"

Sebastian Bach: empresários querem que volte ao Skid Row

Sebastian Bach: "não quero ser um artista nostálgico"

Skid Row: antiga banda quer Sebastian Bach no vocal

imagemSebastian Bach: dando preço pela sua volta ao Skid Row

Skid Row: "Sebastian Bach mal escrevia na banda"

Skid Row: Sebastian Bach confirma proposta por reunião

Skid Row: a tensão que levou à demissão de Bach

Skid Row: Sebastian Bach aceita reunião com antiga banda

Skid Row: vocalista rebate declarações de Sebastian Bach

Skid Row: "Nunca haverá reunião" diz Solinger sobre Bach

Skid Row: Sebastian rebate substituto e ataca jornalista

Todas as matérias sobre "Skid Row x Sebastian Bach"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Mariah Carey: Sebastian Bach fica indignado com justificativas


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Marco Néo

Nascido na primeira metade dos anos 70, teve seu primeiro contato com sons pesados quando o Kiss veio para o Brasil, em 83, mas não compreendeu bem o que era aquilo. A contaminação efetiva ocorreu um ano depois, quando conheceu Motörhead, Judas Priest, AC/DC, Iron Maiden. Desde então, tornou-se um apaixonado colecionador de tudo o que se refere a Metal e Rock'n'Roll, independentemente de subestilos.

Mais matérias de Marco Néo.