Kid Vinil: "Por que nós amamos a banda The Clash"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Emanuel Seagal, Fonte: Yahoo!
Enviar Correções  

O músico, radialista e ex-VJ KID VINIL, escreveu em sua coluna no Yahoo! sobre o The Clash. Confira abaixo alguns trechos da matéria.

Esta semana o jornal inglês New Musical Express publicou uma matéria com o título "Por que nós amamos The Clash", onde músicos ingleses falam da importância e da forte influência da banda em seus trabalhos. O primeiro da lista é o músico James Dean Bradfield, guitarrista e vocalista da banda do País de Gales, Manic Street Preachers. Ele lembra quando tinha 17 anos e viu pela primeira vez na TV o Clash tocando ao vivo num show em Manchester, músicas como "What’s My Name" e "Garageland", e cita o lado carismático do vocalista e guitarrista Joe Strummer. Bradfield ressalta também a maneira com que o Clash lidava com os temas políticos em suas letras. O Manic Street Preachers regravou no single La tristessa Durera, de 1998, a música "What’s My Name" e sempre adorava tocar ao vivo outras músicas do Clash, como "Train In Vain".

Por falar em Manic Street Preachers, o novo disco Postcards From a Young Man sai no dia 20 de setembro. Este é o décimo álbum do grupo e tem participação de Ian McCulloch, do Echo and Bunnymen, na música "Some Kind Of Nothingness", e tem também o genial John Cale (ex-Velvet Underground) na faixa "Auto Intoxication". Outra participação especial deste disco é de Duff McKagan, o ex-baixista do Guns’N Roses, uma das bandas favoritas dos Manics – depois do Clash, é claro.

publicidade

Essa paixão pelo Clash também atingiu o público brasileiro, tanto que temos até bandas que fazem tributo ao grupo inglês. Uma das mais famosas é o Combat Rock, formada por figuras importantes do punk rock nacional. Na guitarra e vocal temos o Clemente, dos Inocentes, na outra guitarra e vocal o Redson, do Cólera, e na terceira guitarra o Ari, do 365 e no baixo o Mingau (hoje baixista do Ultraje a Rigor). Com um time desses acaba virando uma super banda e nos shows se torna obrigatória a inclusão de clássicos dos Inocentes, do Cólera e do 365.

Leia a matéria na integra no link abaixo.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?E-Farsas
Papa Francisco era fã do Black Sabbath?

Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

WhiFin