Howard C. Scott: morre o inventor dos Long Plays

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Ele pode não ter sido um nome conhecido, mas HOWARD C. SCOTT teve muito a ver com o modo pelo qual várias gerações de fãs de música viveram o trabalho de seus artistas favoritos - e ajudou a revolucionar a indústria fonográfica junto.

Scott, que sucumbiu ao câncer no dia 22 de setembro, aos 92 anos, fora parte crucial da equipe que ajudou a Columbia Records a desenvolver o disco de longa duração, ou LONG PLAY [LP], expandindo a quantidade de música que poderia ser inclusa num álbum. O padrão anterior da indústria, o disco de 78 RPM, permitia no máximo 4 minutos em cada lado, mas depois da ascensão do LP, as gravadoras - e mais importante, os artistas - puderam lançar mais de 40 minutos de música em apenas um título.

O projeto altamente secreto, que havia sido concatenado por seis anos na Columbia quando Scott entrou na equipe em 1946, exigiu que Scott e seu time 'colassem' vários discos de 78 rotações por meio de temporização de transições entre toca-discos adjacentes. "Para fazer isso", lembra o jornal New York Times, "o Sr. Scott e seus colegas alinharam uma quantidade impressionante de discos de música em 78rpm, e - com o Sr. Scott estalando os dedos coordenadamente - mudavam o sinal de áudio no exato momento de um toca-discos pro outro."

Scott saiu da Columbia no começo dos anos 60, passando para cargos executivos [e uma carreira vencedora do Grammy como produtor de discos de música clássica] antes de voltar à Columbia em 1986, onde ele supervisionou as transferências de fitas master para CDs.

Apesar de ele ter se aposentado em 1993, Scott viveu o suficiente para testemunhar o renascimento do vinil - algo que ele comentara em uma entrevista com o NY Times, dizendo, "eles viveram de 1948 a 1978, quando o CD chegou. Agora eles estão voltando. As pequenas empresas estão prensando novamente. Eu ainda sou um fã de LPs."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Indústria Musical"


Não culpe as gravadoras: você que é um tosco mesmo!Não culpe as gravadoras
Você que é um tosco mesmo!

Lojas de Discos: as 27 que você deve conhecer antes de morrerLojas de Discos
As 27 que você deve conhecer antes de morrer

Vinil: comprar toca-discos com USB para converter LP é estupidezVinil
Comprar toca-discos com USB para converter LP é estupidez


Metal: Mapa revela os países com mais bandas do estiloMetal
Mapa revela os países com mais bandas do estilo

Motley Crue: Vince Neil detona Sharon Osbourne em biografiaMotley Crue
Vince Neil detona Sharon Osbourne em biografia

Floor Jansen: Eu não sou uma puta arroganteFloor Jansen
"Eu não sou uma puta arrogante"

Bon Jovi: Jon e Sambora viveram triângulo amoroso com atrizBon Jovi
Jon e Sambora viveram triângulo amoroso com atriz

Bizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James DioBizarre Magazine
Quão bizarro é... Ronnie James Dio

Slayer: Nunca tentamos ser algo que não somosSlayer
"Nunca tentamos ser algo que não somos"

Substituição: as 10 mudanças mais controversas do mundo do rockSubstituição
As 10 mudanças mais controversas do mundo do rock


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336