Rock in Rio: Andre Matos vai tocar "onde tudo começou"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Alessandra Martins, Fonte: Estadão
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 18/04/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


966 acessosAngra: Bruno Valverde é um dos melhores (Making of Pt. 18)5000 acessosBig Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Por Marcelo Moreira

O Rock in Rio é responsável por quase todo o rock de qualidade que surgiu no Brasil após 1985. A afirmação é audaciosa e exagerada, mas não está longe da verdade, ao contrário. E um artista internacional corrobora, indiretamente, para que a máxima seja adotada por muita gente. “É um sonho participar de um Rock in Rio após tantos anos de batalha e esforço. Mas jamais vou agradecer a Roberto Medina (empresário e organizador do festival) pelo convite. Tive a oportunidade de conversar com ele e agradecê-lo por ter organizado o Rock in Rio I, em 1985, que levou parte expressiva dos melhores músicos deste país a se tornarem músicos ou a cair de cabeça na música.”

Andre Matos não poderia sintetizar de outra forma o orgulho por tocar pela primeira vez no maior festival de música do Brasil, que será realizado pela quinta vez em 2013 no país. Ele é uma das grandes atrações do rock pesado nacional na atual edição, ao lado de Sepultura, Almah, Krisiun, Viper, Hibria e Kiara Rocks. Ele dividirá o seu tempo no palco com o Viper, sua primeira banda, que tomou forma justamente durante o Rock in Rio 1985.

“Entrei na banda em 3 de janeiro daquele ano, e o Rock in Rio começou dias depois. Ficamos fascinados com o que vimos e investimos tudo na carreira de músicos. O Viper foi uma banda de amigos de infância que moravam no mesmo bairro e que se esforçaram muito para que desse certo. E deu muito certo”, diz Matos, ansioso por tocar com sua banda solo e com os amigos de infância em um dos principais festivais do mundo.

A carreira do cantor sofreu um incremento nos últimos meses. Após um longo hiato e de algum tempo de negociação, ele finalmente acertou sua agenda e conseguiu fazer uma turnê com o Viper em 2012, me comemoração aos 25 anos do lançamento do primeiro álbum da banda, “Soldiers of Sunrise”. Deveriam ser alguns shows de reunião apenas, mas a coisa tomou tamanha proporção que virou uma turnê de quatro meses, com o quádruplo de apresentações em relação aos planos originais.

A turnê terminou, todo mundo voltou para suas vidas, e Matos logo engatou uma bem-sucedida turnê de divulgação do álbum “Turn of the Lights”, lançado no ano passado. Então seria o Rock in rio um grande epitáfio para o Viper? Um final mais do que adequado?

“Eu adoraria dizer que seria possível voltar a tocar com a banda, são meus amigos de infância, e a turnê do ano passado foi muito legal. Cada um tem sua vida, e o Viper estava hibernando antes de 2012 e aparentemente voltou a hibernar. Seria eventualmente um ‘gran finale’, mas não quero cravar que não haverá mais shows da banda. Prefiro dizer que será um momento histórico e fantástico no Rio para o grupo e que, ao menos por enquanto, será a única oportunidade de rever o Viper por algum tempo”, disse o cantor, alimentando esperanças de eventuais encontros no futuro.

O fato é que o Rock in Rio será a apoteose de uma carreira de 28 anos de um artista internacional que já tocou com o Angra, com o Shaman e nomes de peso como Sascha Paeth (guitarrista e produtor alemão) e Tobias Sammet (Edgay e Avantasia). O garoto que entrou em uma banda no mesmo momento em que astros mundiais tocavam no Rio de Janeiro correu bastante, carregou muitas pedras e se tornou referência musical no rock brasileiro e também na Europa.

Multi-instrumentista e maestro formado, construiu carreira sólida no underground musical do Brasil e é respeitado músico na Europa e no Japão. O que representa efetivamente o Rock in Rio para Andre Matos?

“É um reconhecimento de um trabalho de qualidade, e que o rumo de minha carreira, com todas as vitórias e problemas, foi o mais adequado, especialmente porque eu me sinto feliz por ter dado este rumo e perseguido o que achava que era correto e relevante. Mais do que isso, o convite a mim, ao Viper, e ás outras bandas brasileiras, é um sinal de que finalmente uma parcela importante do público roqueiro que ajudou a popularizar o gênero e a fortalecer a marca do festival foi ouvida e contemplada, independentemente da diversificação musical do festival. Não há preço que pague tamanho reconhecimento”, afirma Matos.

Andre Matos irá se apresentar no Rock in Rio no dia 22 de setembro. Ele não adianta como será a apresentação, até porque isso depende de uma conversa com o Viper para definir o repertório.

As duas bandas – a solo e o Viper – terão pouco mais de uma hora no palco Sunset para tocar. Na atual turnê, o cantor está fazendo uma homenagem aos 2o anos do lançamento de “Angels Cry”, a estreia do Angra, tocando o álbum na íntegra. Matos cantou no álbum e foi um dos principais compositores. Músicas do álbuns “Turn of the Lights” também deverão ser executadas. “Estar no palco do Rock in Rio é acima de tudo, motivo de honra. Esperei alguns anos para que isso acontecesse: para literalmente passar de um lado ao outro do palco. Mas tudo tem o seu tempo e acredito que esta seja a hora mais certa: nos sentimos no ponto ideal para desempenhar este desafio à altura.

Antes disso, em São Paulo, o músico promete um show especial no dia 11 de maio. Ele promete tocar na íntegra o álbum “Angels Cry”, a sua estreia no Angra, além de músicas do último CD e clássicos do Viper. O evento conta ainda com as bandas convidadas Madgator e King of Bones, duas grandes promessas do rock brasileiro.

SERVIÇO

ANDRE MATOS EM SÃO PAULO

Dia: 11 de maio

Local: Via Marquês, 20h

Pontos de venda (sem taxa de conveniência – consultar horário de funcionamento e formas de pagamento):
Via Marquês – Av. Marquês de São Vicente, 1589 – Barra Funda – São Paulo/SP
Hole – Galeria do Rock – Av. São João, 439 – 1º andar loja 275 – São Paulo/SP
Shopping Oriente 500 – Rua Oriente, 500 2º andar – Brás – São Paulo/SP
Chilli Beans – Vila Leopoldina – Rua Carlos Weber, 654 – Vila Leopoldina – São Paulo/SP
Sick’n’Silly – Alameda Jaú, 1529 – Jardim Paulista – São Paulo/SP
Metal Music – Rua Dona Elisa Fláquer, 184 – Centro – Santo André/SP
Age Of Dreams – Av. Marechal Deodoro, 1754 – 2º Andar loja 33/36 – Centro – São Bernardo do Campo/SP

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 18 de abril de 2013


Rock na PraçaRock na Praça
Andre Matos, Krisiun e outros de graça em São Paulo

966 acessosAngra: Bruno Valverde é um dos melhores (Making of Pt. 18)1623 acessosAndre Matos: Mini-documentário gratuito é lançado0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

Heavy TalkHeavy Talk
Andre Matos explica porque não retornou ao Angra

AngraAngra
Banda errou na escolha de Fabio Lione?

Kiko LoureiroKiko Loureiro
Afastamento do Angra começou antes do Megadeth

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Rock In Rio"0 acessosTodas as matérias sobre "Andre Matos"0 acessosTodas as matérias sobre "Viper"0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"


Big FourBig Four
Astros da cena Heavy escolhem banda preferida

CuriosidadesCuriosidades
10 músicas que foram "tomadas" emprestadas

Morreu DormindoMorreu Dormindo
As últimas horas de vida de Lemmy Kilmister

5000 acessosCensura: 53 nomes que você não pode dizer em uma rádio5000 acessosGuns N' Roses: Como Slash explica a separação em sua biografia?5000 acessosSlipknot: "pastor" detecta mensagens subliminares nas capas4240 acessosRick Allen: o baterista que merece todo o respeito do mundo5000 acessosSlipknot: veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais5000 acessosMetallica: o que James Hetfield pensa de música eletrônica e hip-hop?

Sobre Alessandra Martins

Alessandra Martins é metaleira assumida. Respira música desde que nasceu. É Assessora de Comunicação e Relações Públicas, Tradutora (inglês, espanhol e italiano) e Fotógrafa da empresa RockPressBrasil. Já trabalhou com bandas como Fear Factory, Shaman, Korzus entre muitas outras.

Mais matérias de Alessandra Martins no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online