Próximo álbum do Slayer pode ser o último

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Silvio Somer, Fonte: Worcester Magazine, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Michael Baronas, da revista Worcester, conduziu recentemente uma entrevista com Tom Araya, baixista/vocalista do SLAYER, que falou sobre a atual turnê com MARILYN MANSON e os planos futuros da banda.

5000 acessosKerry King: revelando qual a sua música favorita do Metallica5000 acessosGuitarristas: os maiores do Hard & Heavy segundo a revista Burnn

Sobre a turnê com MARILYN MANSON:

"Aparentemente nosso empresário tomou para si a tarefa de perguntar, algum tempo atrás, a respeito de uma turnê conjunta com MANSON, e quando eu digo 'um tempo atrás' pode ter sido mais que quatro anos - e eles disseram 'não.' Eles declinaram a oferta. Dessa vez o pessoal do MANSON o chamou e ele disse, 'Deixe-me discutir isso com a banda e te darei a resposta.' E essa é a história que me contaram... Minha primeira resposta foi, 'Uau, isso soa meio que interessante.' Isso deixaria uma noite interessante. É um chamariz, grande o bastante para atrair muitos tipos de pessoas e eu, sinceramente, acho que [a platéia] ficará dividida".

Sobre os fãs do SLAYER serem conhecidos por gritarem o nome da banda durante shows inteiros das bandas de abertura:

"Muitas bandas querem que nós façamos o encerramento, mas algumas preferem tocar por último, como na turnê do SLIPKNOT que nós participamos em 2004. Nós sempre achamos que a primeira banda pega o melhor horário, entende o que quero dizer? Todos estão prontos entre as oito e nove [da noite]. Não ficamos desconfortáveis por abrir para qualquer um, porque isso significa que eles terão de nos seguir. Não quero soar como um babaca, mas para nós, quem toca depois assina seu atestado de óbito. Mas acho que o Manson já tem algo preparado".

A respeito do fim do SLAYER:

"Bem, têm rolado alguns comentários [depreciativos] sobre se assistir um headbanger velho. E eu tenho que concordar. Acho que os STONES podem fazer isso, provavelmente sair e fazer o show deles até uns 80 anos de idade, mas isso não pareceria correto [para nós], entende?"

"Na verdade isso é bem desgastante. É por isso que não vejo como continuar depois de um certo tempo. Nós temos mais um álbum para lançar, que é nosso contrato com [o superprodutor Rick] Rubin e teremos que sentar e discutir o futuro. Mas não consigo me ver fazendo isso quando estiver em idade avançada".

A respeito de sua vida depois do SLAYER:

"Sempre fui o tipo de pessoa que vai na onda e aceita o que lhe é oferecido. Você meio que deixa a vida te levar e tenho sido afortunado o bastante por minha vida ter sido assim desde que me formei na escola. Depois da escola eu estava trabalhando e queria uma folga. Não me deram a folga, então eu saí".

"Lembro de quando o supervisor me perguntou, 'Bem, o que você vai fazer?', eu olhei pra ele e disse, 'Não sei. Vejamos onde a música me leva' Fui cabeça-dura e afortunado o bastante para conhecer uns caras que tinham a mesma visão e direção. A coisa mais difícil a fazer quando se trabalha com música é conseguir pessoas que pensem como você. Acredito que isso tem muito a ver com o motivo de chegarmos onde chegamos, porque compartilhamos a mesma visão".

"A oportunidade sacode sua cabeça e se mostra para você, que precisa ter a iniciativa de vê-la e seguir o que lhe está sendo oferecido. Fomos sortudos o bastante porque a oportunidade apareceu diversas vezes e fomos espertos o bastante para reconhecê-la e agarrá-la".

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Kerry KingKerry King
Guitarrista revela qual a sua música favorita do Metallica

757 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores902 acessosBody Count: divulgado videoclipe de covers do Slayer758 acessosBody Count: veja o vídeo para "Raining Blood", do Slayer0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Slayer"

ExodusExodus
O Metallica é, de longe, a maior banda de Metal do mundo

Heavy MetalHeavy Metal
25 bandas que fizeram o gênero ser o que é

Kerry KingKerry King
"Não gaste com caixão, as minhocas me comerão!"

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Slayer"

BurnnBurnn
Os maiores guitarristas Hard & Heavy da história

AnittaAnitta
"Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

Kiko LoureiroKiko Loureiro
Filha ajuda o guitarrista a aprender "Holy Wars"

5000 acessosPink Floyd: dupla sertaneja desvirtua clássico da banda5000 acessosPhil Anselmo: mandou um "White Power" mas nega ser racista5000 acessosIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock5000 acessosMetallica: "One" fez a ponte entre o Venom e eles4148 acessosScreaming Lord Sutch & the Savages5000 acessosLed Zeppelin: sexo explícito na entrega de discos de ouro em 1973

Sobre Silvio Somer

Inicialmente meu gosto musical foi marcado por bandas como Black Sabbath, Iron Maiden e Deep Purple, mas o que revolucionou minha forma de perceber a música foi a primeira vez em que ouvi o álbum "2112" do Rush, embora eu já conhecesse algumas músicas da banda, foram os acordes de "Overture" que colocaram tudo em uma nova perspectiva. Foi assim que aos 14 anos de idade coloquei o mundo que me cercava em cheque. Meu gosto por literatura, então, encontrou sua contra-parte de forma bastante harmônica e ambos são essenciais em minha vida. Atualmente moro em Florianópolis e estudo piano e faço o curso de letras. "We've taken care of everything / The words you hear the songs you sing".

Mais informações sobre Silvio Somer

Mais matérias de Silvio Somer no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online