Stolen Byrds: banda continua a explorar seu universo em quarto álbum

Resenha - Wanderlust - Stolen Byrds

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes
Enviar Correções  

8

Wanderlust - do alemão "wandern" (fazer uma caminhada) e "Lust" (vontade, desejo). Um termo usado para designar um impulso ardente de viajar pelo mundo ou, num sentido mais amplo, empreender em uma jornada de autoconhecimento e descobertas diversas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um título bastante apropriado não apenas para este lançamento, mas para toda a discografia do quinteto paranaense Stolen Byrds, que nunca se contentou com qualquer tipo de zona de conforto. Na linha de seu antecessor 2019, a banda explora múltiplas possibilidades, desta vez sem sair muito do nebuloso universo do rock alternativo.

Podemos conferir tal fato na dupla de abertura "Soul Much Higher" e "Masterplan", esta última enfeitada com o charme de uma percussão brucespringsteenística.

"É Tão Bom" incorpora elementos psicodélicos em um som que poderia ter saído da excelente estreia do Joana Marte, De Outro Lugar. O mesmo vale, em menor grau, para a excelente "Unbearable Truth", com um dos pontos altos do disco em termos instrumentais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A sereníssima "Under the Water" engolfa o ouvinte no sentimento de estar, com efeito, submerso, e em muito destoa de sua sucessora "New Born Child", que resgata o stoner que sempre marcou, em menor ou maior grau, o som dos paranaenses.

"Tapete Preto", um interlúdio sereno que é pano de fundo de um monólogo sobre a vida na estrada do ponto de vista de um caminhoneiro e "Tell Me", com singulares camadas de metais ao fundo, são charmes à parte.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Sang D'CöCö", com aquela percussão africanizada de "Masterplan", é uma introdução para a última música "Green Dress", uma peça que começa serena (não tanto quanto "Under the Water"), revisita o clima progressivo de "É Tão Bom" e constrói um encerramento mais denso, fechando a obra com chave de ouro.

Em termos de qualidade musical, Wanderlust está em pé de igualdade com a discografia pregressa do Stolen Byrds e é naturalmente superior a 2019 que, com não muito mais do que 20 minutos distribuídos em seis faixas, não passava de um EP disfarçado.

publicidade

Abaixo, o álbum completo no canal oficial da banda:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track-list:
1. "Soul Much Higher"
2. "Masterplan"
3. "É Tão Bom"
4. "Unbearable Truth"
5. "Under the Water"
6. "New Born Child"
7. "Tapete Preto"
8. "Tell Me"
9. "Sang D'CöCö"
10. "Green Dress"

Fonte: Sinfonia de Ideias
http://bit.ly/stolenbyrdsw

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Maridos traídos: Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'AnnoMaridos traídos
Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'Anno

Europe: toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl RoseEurope
Toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

Cli336 CliIL Cli336 Cli336 WhiFin Cli336 Cli336