RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemO ponto fraco de Yngwie Malmsteen segundo Ronnie James Dio, em 1985

imagemA reação de King Diamond ao ouvir Metallica tocando músicas do Mercyful Fate

imagemRoger Waters atende a Rússia e faz discurso para o Conselho de Segurança da ONU

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemO triste motivo pelo qual o Pink Floyd não podia fazer contato com Syd Barrett

imagemVeja Dave Grohl cantando e agitando em show do Mercyful Fate

imagemPor que Herbert Vianna gosta muito do riff de "Eu Quero Ver o Oco" do Raimundos?

imagemRússia pede para que Roger Waters fale com a ONU sobre a situação da Ucrânia

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemA opinião de Humberto Gessinger sobre movimentos separatistas da região Sul do Brasil

imagemO show do Engenheiros do Hawaii sem Humberto, que eles achavam que havia sido sequestrado


Def Leppard Motley Crue 2

Attractha: prog-metal para os fãs de Heavy, Thrash e Hard

Resenha - No Fear To Face What's Buried Inside Of You - Attractha

Por Willba Dissidente
Postado em 03 de março de 2018

Nota: 8

Um trabalho que chama atenção pela grandiosidade é como podemos definir o primeiro disco completo do ATTRACTHA. Seja por possuir a embalagem mais bonita já apresentada no Metal Nacional, pela produção impecável de Edu Falaschi (SYMBOLS, ANGRA, ALMAH etc) ou a técnica invejável dos músicos do quarteto. O disco "No fear to face what's buried inside of you" tem um nome enorme (não tema encarar o que está enterrado dentro de você) e bem poderia se chamar "nosso álbum não teme comparação com qualquer outra banda". Acompanhe agora essa viagem pesada do Prog-Metal por paisagens sombrias da psique humana.

Formada em 2007 foi só seis anos depois que o ATTRACTHA, originalmente com o baterista Humberto Zambrin (que também assina as letras e a parte gráfica) e o guitarrista Ricardo Oliveira como membros originais, estabilizou a formação e a proposta do grupo culminando no lançamento do EP "Engraved"; seu primeiro registro fonográfico. Após o EP, passam integrar o ATTRACTHA o vocalista Cleber Krichinak, do KINGS OF STEEL (que além do tributo ao MANOWAR também tem sons próprios), e o baixista Guilherme Momesso. Porém, antes mesmo de se começar a ouvir ao disco "No Fear..." o que chama atenção é o trabalho gráfico do presente lançamento. Reiteramos que essa redação desconhece um disco de Metal no Brasil que tenha tido tamanho zelo em apresentar sua obra.

Logo ao se deslacrar o CD, a embalagem abre em quatro partes com os pedaços do nome do disco na ordem correta e da roda do zodíaco na frente com o nome e foto de um integrante na traseira. Só isso por si só já seria inovador, mas atrás do baterista está um encarte de doze páginas no formato poster! É exagerado de tão grande. De um lado estão todos os dados da produção, letras, agradecimentos e congeneres e, do outro, um poster enorme com o nome completo do disco. Imagem essa que alguns blogs e zines estão, incorretamente, apontando como capa do disco. Em uma época de música descartável que artistas do momento lançam singles e somem da noite pro dia, que a maioria da população preferindo ouvir música em aplicativos de celular e as gravadoras lançando cd's com encartes de duas páginas é preciso muito ousadia para investir na maré contrária. Só por esse fato "No Fear..." já merece ser comprado pelos fãs de Prog-Metal e, ao menos, ser conferido pelos fãs dos diversos estilos do Metal.

O som do ATTRACTHA é um Prog-Metal que enérgico e virtuoso; mas que foge dos padrões DREAM THEATER ou PORCUPINE TREE. As músicas são viscerais e apresentam muita coisa de Metal Tradicional e Hard Rock setentista aqui e acolá. Os timbres de baixo e guitarra são modernos e o técnico Ricardo de Oliveira abusa de arpejos (aquela técnica que parece fazer a guitarra gritar no final dos riffs). A batera usa muitos bumbos duplos e conduções incomuns nos pratos. A prova disso é "Bleding in Silence", que abre o disco. Nessa, a linha de vocal na ponte é mais bonita que no refrão propriamente dito. A porradaria continua com "Unmasked Files", que tem o riff mais legal de guitarra no disco, o que não impede enfase no baixo antes e durante o genial solo. "Two Three One" é aquele som de andamento mais moderno do disco, porém que tem o refrão mais pegajoso.

"Move On" é aquele som que poderia abrir o disco, ou ser um cartão de visita do conjunto. Tem andamento mais cadenciado em relação as anteriores (e mais rápido se pesarmos as seguintes), porém após o solo a bateria parece uma metralhadora no estilo do HOLOCAUSTO! "Mistakes and Scars" é um Prog-Metal mais parado (exceto no solo) que abre espaço para a balada "No More Lies"; belíssima. Com participação de Maite Gondin esse épico de seis minutos só fica "pesado" após o refrão no meio da canção. Em seguida recebemos outro número lento "Holy Journey" que tem narrações retiradas do filme "O Livro de Eli" mostrando a religião como boa ou ruim; redentora ou podendo te afundar mais. Talvez o ATTRACTHA devesse ter alterado essa opção de colocar "três baladas", ou músicas com levada mais lenta predominante na sequência, para dar mais dinâmica ao cd.

E se você estava sentindo falta de peso, vem ai "Victorious" abrindo a dupla de destaques do disco com excelente refrão e linha de baixo mais cativante do trampo. Essa ainda é cadênciada, pois vêm ai "Payback Time", a melhor do disco e que poderia ser uma ótima pedida como faixa de abertura dos shows, pois poderia estar em qualquer disco de Thrash Metal; servindo até para abrir rodas e stage divings. Porém, o grupo não abandona Progressivo que lhe é característico, pois após o refrão ela fica mais lenta.

[an error occurred while processing this directive]

Encerrando, não podemos deixar de notar o excelente trabalho de lírico de "No Fear". Praticamente um Heavy Metal progressivo da auto-ajuda, as letras falam de se sentir perdido, obsoleto, ter errado muito na vida, viver por períodos obscuros e deprimentes por suas próprias condutas, mas encontrar em si mesmo a força para overcoming, superar esses contra-tempos e saber que após ser vitorioso vem a redenção. Obviamente, letras tão pesadas precisam de interpretação à altura e o vocalista Krichinak fez um invejável trabalho. Ainda que ele seja conhecido por ser cover de MANOWAR, suas linhas vocais soam originais e não como se fosse o Eric Adams cantando em outra banda.

[an error occurred while processing this directive]

Em suma, Prog-Metal que pode vir a agradar os fãs de cearas mais xiitas da música pesada como o Heavy, o Hard e até o Thrash; basta o ouvinte não temer a música enterrada no debut do ATTRACTHA!

ATTRACTHA:
Cleber Krichinak - Vocals
Ricardo Oliveira - Guitars
Guilherme Momesso - Bass
Humberto Zambrin - Drums

Discografia:
Engraved (EP, CD, 2013).
No Fear to face what's buried inside of you (Full-length, CD, 2016).

[an error occurred while processing this directive]

"No Fear to face what's buried inside of you" - CD- Dunna Records - Nacional - 45"13'.

01. Bleeding in Silence (04:33)
02. Unmasked Files (Revisited) (04:17)
03. 231 (04:24)
04. Move On (05:05)
05. Mistakes and Scars (04:52)
06. No More Lies (06:15)
07. Holy Journey (05:21)
08. Victorious (05:38)
09. Payback Time (04:48)

Site:
http://www.attractha.com/

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Heavynroll: editor do site escolhe os melhores de 2016


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Willba Dissidente

Willba Dissidente é fã das bandas de hard rock dos anos 70 e 80 e de metal oitentista dos mais variados países. Quem quiser saber mais deve acessar seu canal no youtube. Obrigado! Stay Hard (True As Steel)!
Mais matérias de Willba Dissidente.