Dr. Sin: Eles provaram que quando se quer, se consegue

Resenha - Dr. Sin II - Dr. Sin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leandro Fernandes
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quando referimos em técnica e qualidade, o Dr. Sin dispensa elogios, pois ambos sempre andaram junto à banda. “Dr. Sin II” é uma prova onde quando se quer, se consegue. O disco fora produzido “na unha” de forma independente e qualidade mostrada aqui é altamente absurda que beira a perfeição.

5000 acessosScott Weiland: vocalista é encontrado morto em ônibus de turnê5000 acessosGuitarristas: os sete mais influentes de todos os tempos

Lançado em 2.000, este disco encorpa uma roupagem diferente, pois além do Hard Rock diferenciado que a banda mostrava, uma pitada de Heavy Metal aqui veio a calhar muito bem. A qualidade de Edu Ardanuy sempre será indiscutível, pois se trata de um grande musico e totalmente completo. A banda deu vida a um disco bem diferente e instigante. Aqui encontramos excelentes riffs, solos e bases bem trabalhadas, assim como a cozinha que se supera a cada segundo e o talento de Michael Vescera que deixou o disco mais do que especial.

As boas vindas de “Time After Time” já mostra o que vem pela frente. “Danger” logo de cara já esquenta o clima com um Heavy Metal intenso e muito direto, sem firulas e enrolação. “Fates of Madness” é obscura e pesada, uma mescla interessante de Hard/Heavy, diferente de “Eternity” que entra em uma certa calmaria onde os trabalhos de teclado são primordiais pra isso, além de uma bela execução de violões durante toda a música que possui um excelente refrão, grande destaque.

“Fly Away” retoma a pegada Heavy, um pouco mais arrastada, diferente de “Miracles” onde de longe beira um AOR um pouco mais moderno, a banda flertava um pouco neste quesito. “Same old Story” tem como destaque uma bela linha de baixo, bem destacado e marcante, assim como os riffs variados e o fato se repete em “What Now” que possuí um refrão totalmente chiclete e agradável. “Pain” volta a dar uma quebrada essencial no disco, cadenciada e simples, mas sem perder o brilho e o ritmo já imposto.

“Devil Inside” é empolgante e suas nuances ora AOR ora Hard a torna bem atrativa, principalmente pelo refrão, esta se mostra completamente saudosista. Encerrando com a intensa “Suffocation”, “Dr. Sin II” deu uma nova cara a banda que a partir daí, evoluíram ainda mais em cada música feita. Quem sabe um dia teremos uma das melhores e mais completas bandas do nosso Metal Nacional?

Banda:
• Andria Busic – (Baixo/Vocal)
• Ivan Busic – (Bateria/Backing Vocals)
• Eduardo Ardanuy – (Guitars)
• Michael Vescera - (Vocal)

Músicas:
1. "Time after Time"
2. "Danger"
3. "Gates of madness"
4. "Eternity"
5. "Fly away"
6. "Miracles"
7. "Same old story"
8. "What now"
9. "Pain"
10. "Devil Inside"
11. "Suffocation"

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Dr. Sin II - Dr. Sin

2684 acessosResenha - Dr. Sin II - Dr. Sin


0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dr Sin"

Fafá de BelémFafá de Belém
"Meu espírito é heavy metal", diz a cantora

Rock nacionalRock nacional
10 solos de guitarra essenciais

Dr. SinDr. Sin
A crise do rock nacional

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dr Sin"


Scott WeilandScott Weiland
Vocalista é encontrado morto em ônibus de turnê

GuitarristasGuitarristas
Os sete mais influentes de todos os tempos

Regis TadeuRegis Tadeu
"Lemmy era tão poderoso que seu corpo não teve coragem de contrariá-lo"

5000 acessosRockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus5000 acessosBandas: Audiófilos elegem as maiores da história do rock5000 acessosRock Brasileiro: uma lista das 10 maiores bandas5000 acessosJack Black: entrevista completa ao The Noite com Danilo Gentili5000 acessosO espírito do Sepultura: Max e Igor tocam "Roots" na íntegra ao vivo5000 acessosCorey Taylor: "Aprendi que há limites de até onde você pode ir"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 28 de julho de 2017


Sobre Leandro Fernandes

Conheci o rock em 1992, tendo o primeiro disco do Iron Maiden. Com o passar dos anos me apeguei ao rock progressivo e tenho bandas como Pink Floyd, Jethro Tull, Rush e Uriah Heep sendo as favoritas. Profissional da área de T.I, casado e uma filha. Sempre buscando conhecimento no rock/metal em geral.

Mais matérias de Leandro Fernandes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online