Sodom: Longe de ser uma unanimidade para os fãs do grupo

Resenha - Masquerade In Blood - Sodom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Gleison Junior
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Em 1995 o músico e líder da banda Sodom, Tom Algelripper, se via novamente com uma formação nova em seu line-up, além de ser o fundador do grupo, o músico, era o principal letrista e criador das harmonias da banda, ainda no mesmo ano, o gênero conhecido como Thrash Metal, vivia uma fase de enfraquecimento, vide a banda Metallica que apresentava Load, os conterrâneos do Sodom, Destruction estava hibernado e sem nenhuma motivação para um novo lançamento, Mile Petrozza e seu Kreator lançavam o fraquíssimo “Cause for Conflict” que pela primeira vez apresentava elementos modernos em sua sonoridade, mas enfim aqui falamos de Sodom, a banda pode ser considerada uma das poucas que alteraram sua estrutura musical, mas mudanças foram feitas em “Masquerade In Blood” e isso vamos discutir nessa resenha.

464 acessosSodom: Fã cadeirante canta com a banda na Ucrânia5000 acessosGaleria - Heavy Metal: nem sempre o estilo é sujo, feio e bruto

Um dos principais aspectos que é perceptível logo de início é sua inclinação ainda maior ao Crossover, punk e hardcore, o disco “Masquerade In Blood” tem sua estrutura quase que completa criada sobre as bases desses estilos mencionados, músicas rápidas, secas e diretas, sçao grande maioria do álbum, salvando alguns raros momentos de Thrash Metal tradicional.

Dito isto, O Sodom, foi provavelmente o menos motivado a produzir álbuns medíocres, considerando o que a banda pretendia fazer e as tendências que as bandas à sua época estavam seguindo, foi comprovados que eles ainda soavam pesados e extremos, tanto que podemos confirmar que eles não se transformaram em uma banda de “Nu Metal” como fizeram os músicos do Anthrax, na verdade de todas as bandas ativas na década de 90, eu provavelmente diria que o Sodom decidiu se tornar o “Motorhead” do estilo, mantendo seu estilo principal, com uma ou outra variação.

Infelizmente para todas as intenções certas de se tornar um Motorhead alemão com um entrega de vocais ainda mais sujos e nojentos, não deu muito certa, pois o álbum não possui nenhum riff de valor após as primeiras faixas do disco, apesar da presença marcante e pesada do baixo, como de costume na sonoridade da banda.

O álbum pode ser divido em três partes, sendo a primeira obscura e cadenciada com pesos e melodias voltados ao Thrash Metal, lembrando que essa primeira parte é a menor de toda a segunda parte fica por conta das faixas mais motorhedianas de todo o álbum e a terceira e mais significante no álbum, as músicas com total influência de Punk, Hardcore e Crossover.

Comprovando o ultimo parágrafo dessa resenha, as músicas de abertura “Masquerade In Blood” vem com sua sujeira e sensação de aço batendo em aço, um dos melhores momentos do álbum, logo em sua abertura, seguida de “Gathering of Minds” com seus gritos desesperados, deixam o ouvinte atordoado e com a sensação de que esse álbum será brutal do início ao fim.

Porém na terceira faixa “Fields of Honour”, a banda já se apresenta como a versão alemã de Motorhead, tamanha a influência despejada na música, assim como “Peacemaker´s Law” e “Unwanted Youth”, que poderiam facilmente ser confundidas com covers do Motorhead.

Em contra partida o lado fraco do álbum, deixando claro que essa é a opinião exclusiva desse redator, que não é fã de Punk, o álbum se perde em mesclar músicas mais rápidas, fazendo com que o Sodom soe como uma banda de Punk mais pesada, outro ponto negativo é a mescla de vocais alternados, hora músicas com voz rasgada, outrora voz gutural e sem sentido na harmonia da música, vida as faixas “Verrecke!!” e “Peacemaker”, saberá o que quero dizer, mas o ponto mais fraco de todo o álbum é com certeza a música “Matelmann”, que parece ser de outro grupo, devido sua produção e andamento cansativo e chato.

Para sua época o disco é bom, mas para a discografia do Sodom, ele esta longe de ser uma unanimidade para os fãs do grupo.

Track List:
01 – Masquerade In Blood
02 – Gathering of Minds
03 – Fields Of Honour
04 – Braindead
05 – Verreck!!
06 – Shadows of Damnation
07 – Peacemaker´s Law
08 – Murder In My Eyes
09 – Unwanted Youth
10 – Mantelmann
11 – Scum
12 – Hydrophobia
13 – Let´s Break The Law

Formação:
Tom Angelripper (Vocal/Baixo)
Strahli – (Guitarra)
Atomic Steif (Bateria)

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Anos 90Anos 90
10 shows pouco comentados

464 acessosSodom: Fã cadeirante canta com a banda na Ucrânia573 acessosLoudwire: os dez melhores álbuns de thrash metal do século 210 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sodom"

AlemanhaAlemanha
As dez maiores bandas de Metal do país

Top 10Top 10
Os mais influentes álbuns de Thrash Metal

Metal AlemãoMetal Alemão
About.com elege as melhores bandas

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Sodom"

Heavy MetalHeavy Metal
Nem sempre o estilo é sujo, feio e bruto

Sammy HagarSammy Hagar
As bandas que o convidaram para cantar

PutitrainPutitrain
A aula de guitarra que virou um hilário meme

5000 acessosBruno Sutter: ouça em primeira mão o 1º single, "The Best Singer in the World"5000 acessosHard Rock - Aqueles que ficaram para trás - Parte 15000 acessosBob Dylan: é dele a "Maior Música de Todos os Tempos"3963 acessosJoe Perry: ele pensou em pedir aula de guitarra para Johnny Depp5000 acessosDave Grohl responde sobre carta aberta ao Metallica5000 acessosNarcisa Tamborindeguy: Ai, que badalo o show do Full Fighters!

Sobre Gleison Junior

Casado, Pai do Gustavo e do Bernardo - Amante do bom e velho Rock and Roll - Apresentador do programa Roadie metal, A Voz do Rock e idealizador das coletâneas Roadie Metal, além de criar e administrar o site Roadie Metal!

Mais matérias de Gleison Junior no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online