Ramones: Um álbum para ser escutado na ordem das faixas

Resenha - Ramones - Ramones

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por João Fernandes
Enviar correções  |  Ver Acessos

1976. O ano em que a música mudou. O ano em que quatro outsiders, desajustados e sem perspectivas conseguiram derrubar a música mainstream e iniciar uma revolução.

Patinhos feios: grandes álbuns que são subestimados - Parte 1Noisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

2016. Muitas bandas, dos mais variados estilos musicais afirmam que, sem os Ramones, seu som não seria o mesmo. Muitas cantoras e cantores pop, muitas atrizes e atores estampam no peito o selo do governo estadunidense um pouco modificado, com um bastão de baseball, flechas e quatro nomes: Johnny, Joey, Dee Dee, Tommy.

O disco RAMONES, lançado em 1976, contem uma música poderosa, crua, rápida, que mais parece uma porrada na orelha. Canções com mais de 3 acordes (sim! Johnny Ramone, em sua biografia, afirma que "os críticos não sabiam como definir nossa música, então diziam que éramos uma banda de três acordes), mas basta escutar "I DON'T WANNA GO DOWN TO THE BASEMENT" para perceber seus 6 acordes. Mas em relação ao tempo de cada música... realmente, músicas que não passavam dos 2 minutos e meio. Mas, além da música barulhenta, o que chama a atenção são os temas das letras.

Blitzkrieg Bop começa o ataque sonoro que a banda realizava em um período de grandes solos e técnica apurada. É um ode ao rock cru e rápido. Um simples ataque sonoro.

Já Beat on the Brat é sobre violência urbana e falta de respeito, pessoas sem nenhuma noção de nada que, segundo Joey, mereciam uma paulada na cabeça. Pura violência urbana.

Judy Is a Punk disserta sobre amor disfuncional, com jovens desiludidos aceitando qualquer ideologia como certa, mesmo rumando para a morte certa.

Chain Saw é uma homenagem aos clássicos filmes de terror, tão amados por Johnny. Neste caso, aos amantes do clássico "O massacre da serra elétrica". Afinal Johnny era um aficionado por filmes de terror.

Now I Wanna Sniff Some Glue então, é a música mais transgressora do álbum, com sua clara referencia ao consumo de drogas.

Mas a letra de I Don't Wanna Go Down to the Basement é extremamente forte, pois trata dos medos infantis sobre possíveis abusos psíquicos e/ou físicos praticados por adultos.

Loudmouth também possui uma letra forte, sobre casal com sérios problemas de relacionamento, em que agressão à mulher e violência doméstica são discutidos em praticamente duas frases.

Havana Affair é o ponto político do álbum, afinal versa sobre a mudança de paradigmas, uma analise sobre política externa e espionagem.

53rd & 3rd retrata a vivência das ruas, sobre os tempos de penúria de um dos membros da banda e há quem diga que é uma música autoral sobre prostituição masculina do Dee Dee Ramone.

I Don't Wanna Walk Around with You retoma a questão da violência doméstica, afinal foi escrita por Dee Dee para uma de suas namoradas (Connie Gripp). Em uma das brigas do então casal, Connie tentou esfaquear Dee Dee dentro da van de turnê, em meados de 1977.

O álbum fecha com Today Your Love, Tomorrow the World, sobre identidade e ideais. Dee Dee morou por muitos anos em Berlin, cresceu em uma família com casos de violência por parte de seu pai contra sua mãe, cresceu nos escombros de uma Berlin ainda em recuperação após a segunda grande guerra.

É um álbum para ser escutado na ordem das faixas. Johnny afirma que "as canções foram gravadas na ordem em que foram compostas". Rápido, cru, com letras fortes, capaz de influenciar músicos, a cultura, a moda e até você... alias aquela guitarra um pouco distorcida que escutamos em programas de televisão só é possível graças a este álbum lançado 40 anos atrás.

Referências: Livro "Commando: autobiografia de Johnny Ramone" e o DVD "End Of the century: the story of the RAMONES".


Outras resenhas de Ramones - Ramones

Ramones: em 1976, o início de uma longa historiaThe Ramones: O Punk Rock mais puro em sua estréiaRamones: Em 1976, o lançamento do 1º álbumRamones: Por que esse álbum me inspira?Resenha - Ramones - Ramones




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ramones"


Patinhos feios: grandes álbuns que são subestimados - Parte 1Patinhos feios
Grandes álbuns que são subestimados - Parte 1

Grandes covers: cinco versões para "Needles And Pins"Ramones: vários vídeos oficiais de clássicos da banda disponíveis no Youtube; confira

Ramones: Ana Maria Braga abre programa com música da bandaRamones
Ana Maria Braga abre programa com música da banda

Ramones: vídeo oficial de "Rock N' Roll High School" está disponível no YoutubeEm 04/11/1977: Ramones lançava Rocket To RussiaGrandes covers: dez versões para "Pet Sematary", do RamonesRamones: vídeo oficial de "Blitzkrieg Bop" ao vivo está disponível no YoutubeRamones: vídeo oficial de "Psycho Therapy" está disponível no Youtube

Ramones: vídeo oficial Pet Sematary está disponível em alta qualidade no YoutubeRamones
Vídeo oficial "Pet Sematary" está disponível em alta qualidade no Youtube

Ramones: o pacto entre Joey e a viúva de Johnny que segurou a bandaRamones
O pacto entre Joey e a viúva de Johnny que segurou a banda

Ramones: veja a foto da capa do Rocket To Russia colorida!Ramones
Veja a foto da capa do "Rocket To Russia" colorida!


Noisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metalNoisecreep
Os 10 clipes mais assustadores do heavy metal

Separados no nascimento: Robert Plant e Patrícia PillarSeparados no nascimento
Robert Plant e Patrícia Pillar


Sobre João Fernandes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336