Matérias Mais Lidas

Rainbow: o curioso método de teste para entrar na banda de Ritchie BlackmoreRainbow
O curioso método de teste para entrar na banda de Ritchie Blackmore

Timo Tolkki: citando Andre Matos, ele cancela masterclass após vender 5 ingressosTimo Tolkki
Citando Andre Matos, ele cancela masterclass após vender 5 ingressos

System of a Down: a música escatológica que gerou briga e quase acabou com a bandaSystem of a Down
A música escatológica que gerou briga e quase acabou com a banda

Greta Van Fleet: Não temos nada a ver com o MetallicaGreta Van Fleet
"Não temos nada a ver com o Metallica"

Supertramp: A bizarra coincidência entre o 11 de setembro e o álbum de 1979 da bandaSupertramp
A bizarra coincidência entre o 11 de setembro e o álbum de 1979 da banda

Charlie Brown Jr: a briga de Chorão com Marcelo Camelo, detalhada por Tadeu PatollaCharlie Brown Jr
A briga de Chorão com Marcelo Camelo, detalhada por Tadeu Patolla

Metallica: 10 das performances vocais mais subvalorizadas de James HetfieldMetallica
10 das performances vocais mais subvalorizadas de James Hetfield

Iced Earth: após acordo, Jon Schaffer é liberado; veja vídeo da saída do tribunalIced Earth
Após acordo, Jon Schaffer é liberado; veja vídeo da saída do tribunal

Iron Maiden: quais eram os discos favoritos de Steve Harris e Adrian Smith em 1985Iron Maiden
Quais eram os discos favoritos de Steve Harris e Adrian Smith em 1985

Jimmy Page: quando o guitarrista arregou para Pepeu Gomes em canja no BrasilJimmy Page
Quando o guitarrista arregou para Pepeu Gomes em canja no Brasil

Rainbow: a situação que deixou Ritchie Blackmore desiludido de vez com DioRainbow
A situação que deixou Ritchie Blackmore desiludido de vez com Dio

Scorpions: a reação de Klaus Meine ao ouvir versões forró para músicas da bandaScorpions
A reação de Klaus Meine ao ouvir versões forró para músicas da banda

Pitty: cantora publica foto nua na internet e bate recorde de curtidasPitty
Cantora publica foto nua na internet e bate recorde de curtidas

Paul Stanley: Só porque eu não gosto de alguma coisa, não significa que seja ruimPaul Stanley
"Só porque eu não gosto de alguma coisa, não significa que seja ruim"

Restart: após uma década, como está garota do meme puta falta de sacanagemRestart
Após uma década, como está garota do meme "puta falta de sacanagem"


Rush: Um marco pra música daquela década que começava

Resenha - Moving Pictures - Rush

Por Tiago Meneses
Em 23/03/16

Nota: 10

Sempre vai existir questionamentos por parte de algumas pessoas se o RUSH é ou não uma banda de rock progressivo. Bom, de fato que nem sempre eles soam como uma, sendo muitas vezes um hard rock mais técnico, mas ainda assim, tem em sua discografia discos que sem sombra de dúvidas são extremamente progressivos e que hoje são vistos inclusive como clássicos da vertente.

Desde o seu primeiro álbum, "Rush", em 1974, quando contava ainda com o seu primeiro baterista, JOHN RUTSEY, e que a partir do segundo daria lugar ao lendário NEIL PEART, a banda foi sofrendo uma tremenda evolução em o seu som, saindo da "simplicidade" e buscando um caminho mais complexo, que vão desde os seus arranjos, musicalidade a até suas letras. Tendo provavelmente conseguido o seu apogeu através de "Moving Pictures". Confesso que não é bem o meu álbum favorito (apesar de ser um dos) do grupo, mas é aquele que considero ser o mais importante do trio canadense.

O disco abre com "Tom Sawyer", se você se considera alguém familiarizado com o rock clássico, mas não conhece essa música, de duas uma, ou você tem que rever o conceito de familiarizado ou o rock clássico que falamos são diferentes. Esta é uma música extremamente bem trabalhada e é a canção mais conhecida do Rush por uma razão, ela consegue equilibrar uma base de rock mais acessível com compassos ímpares e estrutura artística que soam perfeitamente. Os sintetizadores aqui são maravilhosos, assim como toda a instrumental da banda que também é muito boa. Uma excelente faixa que nos faz cantar junto. Como curiosidade, no Brasil também ficou conhecida por conta de ser a música de abertura de "MacGyver - Profissão Perigo", transmitido pela Rede Globo na segunda metade dos anos 80. Só que fica o detalhe, a emissora que fez a sua própria versão de abertura, sendo a música e abertura originais bem diferentes da transmitida por aqui.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Red Barchetta", bom, esta canção eu tenho algo pessoal com ela, por algum motivo (que eu até saberia dizer, mas como eu disse, é pessoal) ela me traz boas lembranças. A atmosfera criada com minhas lembranças é a ideal, a instrumentação de novo é maravilhosa e o solo de guitarra de ALEX LIFESON quase no meio da música é simples e mágico. O trio realmente consegue criar uma canção perfeita. Sem exageros, excessos, mas principalmente, sem furos.

A faixa seguinte é a famosa instrumental, "YYZ". Absurdamente incrível com todos os três músicos extremamente inspirados mantendo tudo em equilíbrio. Possui feeling, virtuosismos, excelentes arranjos, entrosamento. Apesar de como dito, todos os três instrumentos serem destaque, algo que sempre me encanta aqui é a maneira cavalar que o GEDDY LEE executa o seu baixo. Surreal.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Agora é chegada a vez de "Limelight". Já que no começo mencionei as letras da banda, aqui trata-se da opinião do baterista NEIL PEART sobre estar no centro das atenções. O Rush é uma banda incrivelmente inteligente com suas letras em todo o álbum (principalmente por causa de NEIL PEART, seu principal letrista), falei dessa em especial apenas por ser a minha (letra e não música) preferida do álbum e quis deixar uma nota particular. Como de costume outra instrumentação grandiosa. A guitarra de ALEX LIFESON realmente faz uma trilha maravilhosa. Faixa comovente.

"The Camera Eye", é a mais longa do álbum, com mais de 10 minutos de duração. Inclusive, depois dessa composição, a banda não fez nenhuma música que ultrapassassem os 10 minutos em nenhum dos seus álbuns posteriores. Não há muito o que falar aqui, a não ser que eles criaram uma música que é extremamente expressiva desde a sua introdução até toda a passagem instrumental (sejam em conjunto, sejam em solos de ALEX LIFESON), tudo soa sempre interessante e com abundância de elementos de prog rock.

"Witch Hunt", está aí algo que eu não entendo, o motivo dessa faixa costumar ser tão esquecida. Tem seu começo com Lifeson "assombrando" com um riff de guitarra extremamente propício pro momento, assim como o vocal que define em um tom perfeito a canção. Bateria de NEIL PEART, sintetizadores e vocal por conta de GEDDY LEE, além claro, do baixo que também complementa essa música perfeitamente, culminando em uma explosão emocional junto com as não menos brilhantes letras de PEART. Fantástico é o mínimo.

O álbum encerra através de, "Vital Signs". Em se tratando de "Moving Pictures", costuma ser aquela faca de dois gumes, a quem a considere fraca para o álbum e a quem a considere a melhor música do disco. Mas sinceramente, não a vejo com o melhor momento, mas longe de querer dizer que não cai bem no trabalho. Possui uma excelente introdução com sintetizadores, um grande trabalho de guitarra jazzy por parte de LIFESON, a bateria de PEART que dispensa maiores comentários e o baixo de LEE fazem uma linha musical completamente coesa e impressionante, e falando em LEE, seus vocais aqui também merecem destaque, emotivos e únicos para a música.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nos anos anteriores, já tinham atingido sua popularidade e mostrado a capacidade de criação em obras grandiosas que haviam lançado. Mas não há dúvida alguma que nenhum álbum deu a visibilidade ao Rush no mundo da música como aconteceu em "Moving Pictures", também pudera, uniram tudo em um álbum só, acessibilidade, complexidade, excelentes letras entre outros vários elementos. Um marco pra música daquela década que começava e que tornou-se um disco de importância atemporal.

FORMAÇÃO:

Geddy Lee - Vocal, baixo e sintetizadores
Alex Lifeson - Guitarra
Neil Peart - Bateria

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

💬 Ler e postar comentários


Stamp
publicidade
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Gabriel Wintter: Clássico do Rush em versão acústica

Aquiles Priester: versão só com baixo e bateria de Everyday Glory, do RushAquiles Priester
Versão só com baixo e bateria de "Everyday Glory", do Rush

Neil Peart: Seus 7 melhores livros, segundo a LoudersoundNeil Peart
Seus 7 melhores livros, segundo a Loudersound

Rush: A História da canção Countdown (vídeo)Rush
A História da canção "Countdown" (vídeo)

Rush: em vídeo, análise faixa a faixa do Moving PicturesRush
Em vídeo, análise faixa a faixa do "Moving Pictures"

Regis Tadeu: os 40 anos de Moving Pictures, do RushRegis Tadeu
Os 40 anos de "Moving Pictures", do Rush

Mike Portnoy: Led e Queen perderam integrantes, um parou e outro prosseguiu...Mike Portnoy
Led e Queen perderam integrantes, um parou e outro prosseguiu...

Neil Peart: por que ele é melhor que John Bonham, segundo Mike PortnoyNeil Peart
Por que ele é melhor que John Bonham, segundo Mike Portnoy

Neil Peart: Mike Portnoy conta como se tornou amigo da lendaNeil Peart
Mike Portnoy conta como se tornou amigo da lenda

Rush: o aspecto deles que o Dream Theater sempre quis ter, segundo PortnoyRush
O aspecto deles que o Dream Theater sempre quis ter, segundo Portnoy

Rush: em vídeo legendado, Geddy Lee explica a música Red BarchettaRush
Em vídeo legendado, Geddy Lee explica a música "Red Barchetta"

Rush: qual é o melhor álbum da banda, na opinião de Alex LifesonRush
Qual é o melhor álbum da banda, na opinião de Alex Lifeson

Rush: Alex Lifeson tem certeza que ele e Geddy Lee escreverão novas músicas no futuroRush
Alex Lifeson tem certeza que ele e Geddy Lee escreverão novas músicas no futuro

Rush: como Neil Peart se tornou o responsável pelas letras da bandaRush
Como Neil Peart se tornou o responsável pelas letras da banda


Joan Jett: relembrando brigas com Rush, Scorpions e outrosJoan Jett
Relembrando brigas com Rush, Scorpions e outros

Rush: o aspecto deles que o Dream Theater sempre quis ter, segundo PortnoyRush
O aspecto deles que o Dream Theater sempre quis ter, segundo Portnoy

Rush: em vídeo de 2002, fazendo propaganda para as Lojas AmericanasRush
Em vídeo de 2002, fazendo propaganda para as Lojas Americanas


Slayer: quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanistaSlayer
Quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanista

Guitarristas e vocalistas: os 10 melhores casamentosGuitarristas e vocalistas
Os 10 melhores "casamentos"


Sobre Tiago Meneses

Um amante do rock em todas as suas vertentes, mas que desde que conheceu o disco Selling England by the Pound do Genesis, teve no gênero progressivo uma paixão diferente.

Mais matérias de Tiago Meneses no Whiplash.Net.