[an error occurred while processing this directive]

Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Saint Spirit: Cuidado, o Kraken está a solta!

Resenha - Mea Culpa - Saint Spirit

Por Márllon Matos
Postado em 15 de janeiro de 2015

Nota: 9

E o Kraken foi finalmente liberto ! Foram 04 anos de espera, mas finalmente o trio carioca SAINT SPIRIT formado por Rodrigo Bizoro (vocal/bateria). Clamer (guitarra) e Michel (baixo), lança o seu 4º cd cheio, o controverso e impactante "Mea Culpa".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Controverso pois o seu conceito é integralmente baseado nos fatos ocorridos durante a existência do Hospital Colônia em Barbacena e impactante pois as atrocidades foram passadas para um instrumental poderoso e cativante, que prende o ouvinte desde o início, fazendo deste o melhor trabalho do trio.

Quem acompanha a banda e seus membros nas redes sociais sabe que o guitarrista Clamer Lúcio é um especialista em Djent (além de ser um excelente luthier) e se em "Vanitas Vanitatum" alguns pequenos detalhes do estilo eram percebidos, em "Mea Culpa" a dose aumentou, mas, claro, misturada ao Thrash Metal único e já característico da banda. Pode conferir sons como "Iceberg", "Mea Maxima Culpa" e "Bonsai" ,essa última com participação de Daniel Monteiro do "FOLHAS DE OUTONO", e atestar isso você mesmo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Um detalhe interessante e que só demonstra o dinamismo da banda é a inserção de melodias em suas canções e a melhor música a servir de exemplo para esta situação é "City Of Roses", que possui uma linha melódica cantada por Clamer além da participação vocal de Frank da banda "MAIEUTTICA". Mas pode ficar tranquilo que não ta nada "diabético" aqui, pois a melodia só serviu para evidenciar a pancadaria.

E por falar em pancadaria, ela está muitíssimo bem representada no cd. "Tortura" é de longe uma das faixas mais agressivas da história do SAINT SPIRIT e boa parte disso se deve a brutal participação de Bruno Max (PURITAN) que gravou a faixa por completa. As já conhecidas "Release The Kraken" e "Nameless" cooperam para isto. Chego a dizer que esta trinca é o destaque do álbum.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

Uma das coisas que mais gosto no Saint Spirit é a habilidade de construir refrões e partes grudentas, daquelas que com apenas uma escutada você já está cantando por ai. Acho isso de suma importância, pois ajuda e muito a escolher o que será ouvido naqueles dias entediantes, hehehe. "Hell Yard" é esse tipo de faixa, daquelas que já te conquistam nos primeiros segundos de execução.

Falando um pouco sobre o trabalho da cozinha da banda, Bizoro não é daqueles bateras ultra técnicos que vivem fazendo malabarismos, pode até se dizer que ele é de uma técnica simples, porém ai que está o pulo do gato. Seus arranjos são funcionais e dinâmicos e "jogam junto com o time". Sobre Michel, o seu grande destaque aparece na faixa "Indestructible" que fecha o álbum, mas não entendam isso como uma crítica a sua atuação em outras faixas, digamos que ele tem uma atuação mais discreta no restante do álbum.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Bem, este é o SAINT SPIRIT em 2015, um Kraken indomável e que tomará de assalto os seus ouvidos, além de conquistar um lugar cativo na sua lista de melhores trabalhos deste ano.

1 - SOLITUDE COLLECTIVE´S TRAIN
2 - RELEASE THE KRAKEN
3 - PREGNANT WOMEN
4 - CITY OF ROSES
5 - ICEBERG
6 - VOLT
7 - MEA MAXIMA CULPA
8 - TORTURA
9 - HELLYARD
10 - NAMELESS
11 - BONSAI
12 - ROGER THAT
13 - INDESTRUCTIBLE

Saint Spirit é :

Rodrigo Bizoro (D/V)
Clamer Lúcio (G)
Michel Mixa (B)

Link com explanação dos conceitos das letras

https://www.facebook.com/SaintSpiritBR/posts/830892740285658:0

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

Lyric video Nameless

Lyric Video Iceberg

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 6

Outras resenhas de Mea Culpa - Saint Spirit

Saint Spirit: Se firmando um dos nomes do Metal moderno nacional

Saint Spirit: Loucura como temática conceitual

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Perc3ption: a arte levada ao extremo

Resenha do Álbum do Insânia ao vivo no Underground Nativa III

Sentença de Morte: Death Metal para quem curte Death Metal bem executado

Triumph Of Death, projeto de Tom Warrior, resgata ao vivo parte do passado do Hellhammer

Spiritual Cramp acerta a fórmula, mas álbum satura em 26 minutos

Estreia do Superbloom traz de volta o grunge protagonista dos anos 1990

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Osbourne: pesado, mas antes de tudo moderno

Resenha - Dark Side of The Moon - Pink Floyd

Resenha - Vovin - Therion

Resenha - P.U.L.S.E. - Pink Floyd


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Márllon Matos

Nascido em 1990, despertou para o rock em 2002 e desde lá vem sendo o terror dos vizinhos, seja tocando bateria ou ouvindo Metal no mais alto volume. Cristão convicto, curte de Palavrantiga a Crimson Moonlight, e o seu sonho é conseguir ir para a Austrália ver algum show do Mortification.
Mais matérias de Márllon Matos.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS