The Hangovern: Raízes calçadas no hard dos anos 70, folk e blues

Resenha - Hangovern - Hangovern

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Claudia Nascimento
Enviar correções  |  Ver Acessos


Classic Rock. Um estilo cuja autoria pode ser atribuída à banda de rock The Hangovern, que acaba de lançar seu primeiro extended play (EP) no SoundCloud.

Kerrang: os melhores singles já lançadosMetal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A principal influência, sem sombra de dúvidas, é o Led Zeppelin, que foi essencial para aproximar os quatro integrantes. Outra nítida e forte influência da The Hangovern é o Rolling Stones. Além dos dois grupos lendários, bandas tais como The Who, Black Sabbath, Uriah Heep, Black Crowes e os grandes mestres do blues inspiraram e continuarão a inspirar o som da banda!

Uma marca interessante da banda é o pulso firme para tocar suas músicas com vontade e atitude ao melhor estilo Rock'n'Roll!

Como podemos observar logo na primeira música do EP, Moving On tem uma pegada bem enérgica, com riffs quentes e bem pra frente, que saem dos instrumentos de cordas, com solos e fraseados muito bem executados! Outro ponto forte é a pegada incondicional do baterista DeVilla, que vem cheio de ataques e viradas bem características do rock clássico, dando uma dinâmica bem interessante para a banda. Sem contar um vocal muito bem cantado e expressado de forma bem diferente! Com uma letra que fala das noitadas, de boas noitadas, mas como elas podem ser ruins também, nem sempre tudo esta legal, quando bate a paranóia, é quando isto acontece é hora de sair fora!

Na segunda música, Out to the Track, tem um lance que me chama a atenção é o começo, que não sei o que, mas me lembra muito a música Helter Skelter do Beatles, que, com certeza deve ter os influenciado muito. Out to the Track já é um pouco mais "stoner" com as influências mais sutis, e uma levada um pouco mais suave, que não faz dela uma música menos pegada que as demais! (Como havia dito, uma das marcas era a energia com que eles executam os sons). Com um lance de harmonia mais soada, e com acordes abertos que trazem uma sensação bem enérgica, trazendo certa nostalgia, que fazem dela uma grande música! Essa letra foi feita baseada no livro Desespero do Stephen King, um livro que conta a trajetória de um grupo de pessoas que acabam tendo suas vidas na mão de um espirito indígena que se apossa dos corpos das pessoas e as aprisionam, tomando suas almas.

Gaze Brightness é uma típica balada romântica. Com uma levada bem tranquila e suave aos ouvidos, lembra muito Led Zeppelin e Aerosmith! Muito mais limpa e mais soada, é uma música pra se colocar e deixar rolar e apenas "viajar"! Com um lance de harmonia mais soada, e com mais acordes, e efeitos bem vintages, traz uma sensação bem agradável os ouvidos, que fazem dela uma outra grande música! Esta é uma balada, com country-rock, pegada porem uma canção de amor que fala de olhar além do que existe no físico. "Tudo que eu queria, era estar livre desta dor incurável, e toda vez lembro das lágrimas derramadas, amor e tristeza, então lembro que seu coração se foi..."

Sweet California já começa com um riff de guitarra bem impulsivo e pra frente. Essa é uma música em que a guitarra tem mais destaque, diga-se de passagem, e ao grande estilo Rock'n'Roll, ela tem todas as características dos anos 70 e mais um pouco! Com um ritmo bem dançante e animado, ela ainda tem um solo estridente com um wah wah arrasador que berra bem sujo em nossos ouvidos! "Acordando tarde, tentando manter o olho aberto, pensando na noite anterior, torcendo pra nada ter sido mentira, viajando o dia todo, cantando uma canção, esperando pelo momento de reencontrar minha garota. Você tem que se mexer, tem que me provar, tu só precisa disto mais uma vez, é como perder a cabeça". Ela retrata a vida vivida com liberdade, sem se preocupar com o amanhã, sem futuro, só passado e presente. Fala das doideras da vida, da curtição da noite passada, da vida na estrada. É uma Ode ao Rock'n'Roll, com uma pegada bem STONES.

E por último, pra mim a música que vale o EP inteiro! Heaven or Hell é uma canção que faz qualquer um parar pra ouvi-la! Pouco se vê uma música assim, com uma levada tão sutil e que te faça ir tão longe, perdendo a noção do que está a nossa volta, é quase como uma ligação espiritual.
Essa vem acompanhada de um violão bem maroto, com uma afinação aberta e uma batida bem leve, que da um clima bem de levitação para os ouvidos!

Outro lado que é bem explorado nessa música são as leves psicodélicas que são adicionadas com vocais e guitarras de fundo que complementam ainda mais a música que pra mim é a música do EP! São características que não se vê mais muito nas músicas modernas, que eu particularmente acho que é um grande desperdício, quando se pode ir tão longe musicalmente falando. Essa música fala da ideia de certo e errado, põe em questão em questão as pessoas que sub-julgam o certo e o errado, dizendo o que se deve fazer ou não fazer para "garantir" seu lugar no céu, quase como o "juízo final".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "The Hangovern"


Kerrang: os melhores singles já lançadosKerrang
Os melhores singles já lançados

Metal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21Metal Sucks
Os melhores álbuns de metal do século 21


Sobre Claudia Nascimento

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336