Bruce Dickinson: "Tattooed Millionaire", sua estreia solo

Resenha - Tattooed Millionaire - Bruce Dickinson

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ivan Carlos Miranda
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após sete anos como vocalista da banda de HEAVY METAL britânica IRON MAIDEN, BRUCE DICKINSON decide que é hora de experimentar algo diferente, e emprega todo seu talento e criatividade em um novo trabalho. Com uma pegada HARD ROCK e músicas muito diferentes dos grandes clássicos que o consagraram, é lançado em maio de 1990, TATTOOED MILLIONAIRE, primeiro álbum de sua carreira solo.
768 acessosBumblefoot: músico toca Iron Maiden, GNR e Kiss ao violão5000 acessosBon Jovi: o mistério de Tommy e Gina em "Livin' On A Prayer"

A gênesis da obra se deu quando DICKINSON, com a ajuda do guitarrista e velho amigo, JANICK GERS (ex-WHITE SPIRIT) gravou, no ano de 1989, "BRING YOUR DAUGHTER... TO THE SLAUGHTER", canção que fez parte da trilha sonora do filme "A NIGTMARE ON ELM STREET 5... THE DREAM CHILD" e posteriormente do álbum "NO PRAYER FOR THE DYING" do IRON MAIDEN. FABIO DEL RIO (bateria) e ANDY CARR (baixo) completam a banda. TATTOOED MILLIONAIRE, embora não figure entre os melhores álbuns de BRUCE DICKINSON, posições ocupadas por "ACCIDENT OF BIRTH" e "CHEMICAL WEDDING", faz-se indispensável pela interpretação perfeita de DICKINSON e pela qualidade de suas canções. Esse é sem dúvida um registro do vocalista em seu auge em agressividade, "cantando com as entranhas". Entre os anos de 1989 a 1992 o timbre de sua voz foi incomparável. Isso pode ser notado também nos álbuns do IRON MAIDEN no mesmo período.

A parceria DICKINSON e GERS deu tão certo em TATTOOED MILLIONAIRE, que quando ADRIAN SMITH decidiu deixar o IRON MAIDEN em 1989, DICKINSON o convidou para ser o novo guitarrista, cargo que ocupa até hoje, resistindo até mesmo à tempestades como a saída de DICKINSON em 1993, a era BLAZE e o retorno de ADRIAN SMITH e DICKINSON em 1999, quando ninguém imaginava que ele continuaria na banda. A prova de que a dupla sempre funcionou muito bem, esta no memorável DIVE! DIVE! LIVE!, um show com uma performance alucinante de GERS. Entre as composições inéditas de TATTOOED MILLIONAIRE, encontra-se um cover, "ALL THE YOUNG DUDES" de DAVID BOWIE.

Destaques do álbum: SON OF A GUN, TATTOOED MILLIONAIRE, BORN IN '58, ALL THE YOUNG DUDES e GYPSY ROAD.

Tracklist:

1 - SON OF A GUN - Uma música muito bem composta, vocal agressivo e pesado, alternados entre trechos suaves, em que pode-se ouvir somente bateria e voz, e outros mais poderosos em que a banda toda explode. Destaque para o momento que antecede o solo. Uma de minhas favoritas nesse álbum.

2 - TATTOOED MILLIONAIRE - Uma levada simples, mas empolgante. O refrão, com os vocais oitavados de BRUCE, é simplesmente perfeito e fica gravado na mente... Fantástica!

3 - BORN IN '58 - Uma canção intimista, com uma levada envolvente e suave, muito agradável. O drive leve e preciso da guitarra, aumenta de intensidade gradualmente, atingindo seu ápice no refrão, que é simplesmente maravilhoso. A letra dessa canção é uma referência de BRUCE a sua própria origem. Minha preferida nesse álbum.

4 - HELL ON WHEELS - Uma música em que se pode sentir toda a agressividade do vocal e o peso da banda. Um solo curto porém excelente. Destaque para a dupla JANICK GERS E BRUCE DICKINSON nos últimos trinta segundos da cansão. Muito legal.

5 - GYPSY ROAD- Uma cansão um tanto quanto melancólica, que fala sobre simplicidade e sonhos, o oposto da ostentação encontrada na letra de TATTOOED MILLIONAIRE. Belíssimas, letra e música.

6 - DIVE! DIVE! DIVE! - Mais um registro de um timbre vocal e uma agressividade que não se encontra mais em BRUCE... Algo que de algum modo surge e desaparece. Interpretação destruidora!!!

7 - ALL THE YOUNG DUDES - Uma versão que se integrou muito bem ao álbum. Muito legal! As guitarras dobradas harmonizam perfeitamente com refrão, criando uma atmosfera de certa nostalgia.

8 - LICKIN' THE GUN - Nessa canção percebe-se o bom entrosamento da banda, principalmente entre guitarra e baixo. Destaque para o vocal levado ao extremo.

9 - ZULU LULU - Letra e música descontraídas. Uma faixa não muito expressiva, embora não seja descartável.

10 - NO LIES - Qualquer letra que comece com uma frase dessa: "No lies, no angels, no heaven..." só poderia ser genial. Uma crítica vai para o intervalo de dois minutos em que pouca coisa acontece na música, e que segue até uma pausa completa dos instrumentos e retorna com o refrão, que é fantástico.

Um abraço a todos, viva o Metal!!!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Tattooed Millionaire - Bruce Dickinson

3941 acessosBruce Dickinson: primeiro solo aconteceu graças a Freddy Kruegger

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

O endereço do RockO endereço do Rock
8 locais imortalizados em músicas famosas

768 acessosBumblefoot: músico toca Iron Maiden, GNR e Kiss ao violão841 acessosIron Maiden: garota russa toca "The Trooper" no acordeon51 acessosEm 14/09/1981: Iron Maiden lança o EP Maiden Japan234 acessosEm 10/09/1990: Iron Maiden lança o single "Holy Smoke"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
Fã de 10 anos detona música com Nicko na batera

Iron MaidenIron Maiden
As 10 libras que mudaram a vida de Bruce

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris odiava os punks

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bruce Dickinson"0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

Bon JoviBon Jovi
O mistério de Tommy e Gina em "Livin' On A Prayer"

Mike ManginiMike Mangini
Um dos bateristas mais rápidos do mundo?

Iron MaidenIron Maiden
O que a equipe consome quando vai a um pub?

5000 acessosShaman: baixista desabafa sobre cena brasileira5000 acessosTradução - The Wall - Pink Floyd5000 acessosDiscórdia: alguns dos maiores insultos entre artistas3505 acessosMetallica: leitores da Metal Hammer escolhem as dez melhores músicas5000 acessosOut: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista5000 acessosCorey Taylor: "Aprendi que há limites de até onde você pode ir"

Sobre Ivan Carlos Miranda

Nascido em 81, meu primeiro contato com o mundo do Rock foi ainda na década de 80. Uma década em que tocavam no rádio bandas como Queen, Scorpions, The Police e etc. Sem falar em Tom Sawyer (Rush) cujo riff inicial era executado na abertura do seriado MacGyver. Outra grande influência foi o Rock Nacional, que viveu nesse período seu melhor momento. Mas foi em meados de 95 que a coisa ficou séria… Foi neste ano que conheci o Iron Maiden, banda pela qual fui influenciado em vários sentidos e que me despertou um interesse mais profundo pela música. Hoje sou músico amador e amante de Heavy Metal! Um abraço a todos, viva o Metal!

Mais matérias de Ivan Carlos Miranda no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online