Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemO dia que Serguei fez um react do clipe de "Recomeçar", o hit do Restart

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagem"Metal Tour Of The Year" chega ao fim e Megadeth agradece bandas participantes

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"


Running Wild: Mais uma vez provando sua força

Resenha - Resilient - Running Wild

Por Junior Frascá
Em 20/10/13

Nota: 9

Finalmente os lobos do mar saem novamente dos locais mais longínquos dos sete mares e retornam para ocuparem o posto mais alto do power metal alemão! Passada a fase de retorno (com "Shadowmaker", após a balela de encerramento de suas atividades, que durou alguns poucos meses), Rock’n’Rolf e sua trupe de piratas retornam com mais um petardo do mais puro hard/heavy.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se, no ano passado, com "Shadowmaker", a banda já dava mostrar que essa nova fase seria de muitas glórias, com "Resilient" isso fica ainda mais claro, pois trata-se sem dúvida de um discaço, bem melhor que seu anterior, e digno da excelente discografia dos caras.

"Soldiers of Fortune" é uma das típicas faixas da banda, no melhor estilo power metal germânico, com muito peso, e um refrão muito cativante, remetendo a álbuns como os clássicos "Pile of Skulls" e "Death or Glory". Já a faixa título tem aquela pegada mais hard, também característica do som dos alemães, e que remete ao álbum "Victory" (2000), e a bandas como SAXON. Contudo, há ainda momentos em que a banda mescla com maestria seu lado mais heavy com seu lado mas hard, como na ótima "Adventure Highway".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ou seja, como já se percebe nas três primeiras faixas, "Resilient" traz todos os elementos clássicos do RUNNING WILD, com faixas cativantes e marcantes, sendo o melhor disco da banda desde "Black Hand Inn" (1994).

Outros faixas de destaque são as ótimas "Desert Rose" (com riffs e licks de guitarra marcantes, em um "baixão" pulsante e pesadão), "The Drift" (melódica e com Mr. Rolf cantando com muita energia) e "Bloody Island" (a mais épica do disco, e que remete ao clássico "Under Jolly Roger").

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A versão bônus do álbum, em digipack, ainda traz duas faixas bônus ("Payola and Shenanigans" e "Premonition", ambas muito boas, mas abaixo das demais que entraram na versão regular), e um pôster.

Pode não ser um disco comparável aos clássicos da banda, mas certamente "Resilient" é um excelente disco, e terá lugar de destaque a discografia dos alemães.

Resilient – Running Wild
(2013 – SPV - Importado)

Track List:

1. Soldiers of Fortune
2. Resilient
3. Adventure Highway
4. The Drift
5. Desert Rose
6. Fireheart
7. Run Riot
8. Down to the Wire
9. Crystal Gold
10. Bloody Island

Bonus Tracks:
11. Payola and Shenanigans
12. Premonition

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Resilient - Running Wild

Resenha - Resilient - Running Wild

Resenha - Resilient - Running Wild

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metal: as 35 melhores músicas lançadas em 2021, segundo o staff do site LoudwireMetal: as 35 melhores músicas lançadas em 2021, segundo o staff do site Loudwire




Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.