Ghost: novo álbum define o som da banda

Resenha - Infestissumam - Ghost

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Guilherme Niehues
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O site Horns Up traz em primeira mão um review do novo álbum da banda Ghost. Lembrando que esta é a nossa opinião sobre o álbum e somente nossa.
1366 acessosGhost: Hetfield é gente como a gente e vai para galera em show5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1985

Confira abaixo o que achamos do novo álbum:

Ghost é uma banda que ganhou bastante destaque na mídia não só pela música, que até então se demonstrava única e acessível a grande massa, mas também devido ao seu teor artístico em shows e por nunca revelar a identidade de seus integrantes. Com o novo álbum a caminho, Infestissumam, a banda demonstra que realmente deve ser elogiada por sua música.

O típico som da banda ainda é encontrado neste novo play, porém com alguns elementos a mais que demonstram toda a versatilidade e criatividade da banda. Mas, a grande diferença que é encontrada do seu álbum de estreia Opus Eponymous é a linha de vocal utilizada.

O álbum abre com a faixa título do álbum, uma abertura que traz coros e um instrumental mais alegre, se comparado com a abertura do disco anterior, Deus Culpa.

A próxima música denominada, Per Aspera Ad Inferi demonstra a marca registrada da banda, o típico som que remete aos anos 70, onde a inovação realmente fica por conta da utilização dos teclados em todo o conjunto, criando uma faixa digna para abrir a bolacha.

Secular Haze, já conhecida pelo grande público, por ser o primeiro single a ser liberado pela banda retrata um som mais soturno, especialmente em sua abertura, além de saber hipnotizar o ouvinte não apenas no refrão, mas sim em toda a música.

A música Jigolo Har Megiddo traz uma boa abertura, que provavelmente muitos se perguntarão: "eu já ouvi algo parecido em algum lugar!", o ponto forte da música é o solo cheio de feeling, porém no mais, não retrata nenhuma inovação, se comparado às duas faixas anteriores.

Ghuleh / Zombie Queen, é o play mais longo da bolacha. E, aqui percebemos a primeira grande balada da banda e também um dos pontos fortes do novo álbum. Em meados dos três minutos, a música lenta e cadenciada passa a ser executada de uma forma mais Ghost de ser. Essa música facilmente entraria em um play de uma festa de 15 anos, tanto por sua parte mais lenta quanto pela parte mais animada.

A faixa Year Zero, traz algo de novo logo de inicio, um coro rápido vociferando algumas palavras, entre elas Satanás e Lúcifer, para logo entrar a voz de Papa Emeritus II.
Uma nova badalada é encontrada na faixa Body and Blood, que segue a mesma linha da Ghuleh, sendo mais cadenciada e lenta do que as demais.

As últimas faixas do álbum, Idolatrine, Depth of Satan's Eyes e Monstrance Clock retratam o som do Ghost sem maiores avanços e segue a mesma linha das faixas já apresentadas no enredo do álbum.

Em um resumo bastante simples, o Ghost continua a executar o som que lhe trouxe ao estrelato, um heavy metal com pegadas dos anos 70 e liricamente falando, o tema satanismo está em alta. Mas, talvez para a grande massa, a grande decepção seja que todas as músicas se assemelham de uma forma ou outra e não trazem uma grande novidade ao público.

De qualquer forma, vale ressaltar que ainda se trata de um álbum que vale a pena ser ouvido e manter por perto, afinal, hoje em dia não são todas as bandas que executam um som parecido deste.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Infestissumam - Ghost

5000 acessosGhost: ou você ama ou odeia o trabalho do grupo2687 acessosGhost: uma mistura ainda muito maior de influências4356 acessosGhost: difícil missão de continuar o sucesso de crítica5000 acessosGhost: casamento profano entre Heavy Metal, Pop e Hard Rock5000 acessosGhost: o segundo disco veio para confundir ainda mais5000 acessosGhost: Mais voltado ao Pop Rock, com sonoridades nada macabras5000 acessosGhost: O trabalho é "ame ou odeie", não há meio termo5000 acessosGhost B.C: um passo atrás na curta discografia da banda

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 24 de abril de 2013

GhostGhost
James Hetfield curte show da banda no meio da galera

1366 acessosGhost: Hetfield é gente como a gente e vai para galera em show0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Ghost"

SarcófagoSarcófago
Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito mais

Metal InjectionMetal Injection
Dez canções para Satã

Depeche ModeDepeche Mode
5 belos covers feitos por bandas de Rock e Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Ghost"

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1985

RockstarsRockstars
As filhas mais lindas dos astros do rock

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1986

5000 acessosAve, Satan!: As dez melhores músicas sobre o Inferno5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19925000 acessosHeavy Metal: Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire5000 acessosBlack Sabbath: todos os instrumentos que Tony Iommi tocou nos discos5000 acessosLars Ulrich: O motivo pelo qual o Big Four tocou "Am I Evil"5000 acessosAC/DC - Perguntas e Respostas

Sobre Guilherme Niehues

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online