General Surgery: junção perfeita de Death Metal com Goregrind

Resenha - Corpus In Extremis; Analyizing Necroticism - General Surgery

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8


Apesar dos seus 25 anos de carreira, "Corpus In Extremis: Analyizing Necroticism" é apenas o segundo disco destes suecos de Estocolmo. Não que a banda não goste de trabalhar, já que lançou dezenas de trabalhos se juntarmos os formatos Demos, EPs e Splits.

Slash: "Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia comporCinema: 60 filmes pra quem ama Rock e Metal

A junção perfeita de Death Metal com Goregrind a que a banda se arrisca só pôde ter gerado verdadeiros massacres sonoros, de onde pode se notar influências dos mestres dos estilos, tais como Carcass (dos primórdios) e Morbid Angel.

A arte de unir partes rápidas com quebradas que geram pesados ritmos cadenciados é tirado de letra pelo quinteto. Principalmente quando se nota uma cozinha coesa e versátil, que não economiza nos 'breaks' e 'blast beats'. Tudo acompanhado por ótimos riffs, solos alavancados e vocais guturais doentios.

Impressiona a capacidade da banda em produzir composições insanas e brutais como Restrained Remains, Necroticism, Exotoxic Septicity, Virulent Corpus Dispersement e Plexus Necrosis. São verdadeiros hinos enfermos, que irá atrair, principalmente, as mentes mais insanas e necrológicas.

Como não poderia ser diferente, tudo é destilado em uma produção de qualidade, que dá ainda mais vigor à sonoridade do trabalho. Esse relançamento da Shinigami Records ainda traz o encarte recheado com todas as letras e sua bela arte gráfica, além de fotos e todas as informações necessárias.

http://generalsurgery.se/



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "General Surgery"


Slash: Sweet Child é a coisa mais gay que alguém poderia comporSlash
"Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia compor

Cinema: 60 filmes pra quem ama Rock e MetalCinema
60 filmes pra quem ama Rock e Metal


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.