Carniça: um grupo que não gosta de perder tempo

Resenha - Nations of Few - Carniça

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O odor pode ser sentido de longe. A Carniça putrefata traz seu terceiro 'full-length', calcado no Thrash/Death Metal. Aliás, vale lembrar que o grupo surgiu em 1991, ou seja, temos um veterano do underground que, mesmo tendo dado uma pausa entre 2004 e 2008, conta com várias demos lançadas. Em suma, é um grupo que não gosta de perder tempo.

Capas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhosOzzy Osbourne: tudo que você sempre quis saber sobre ele

E, dificilmente escapando dessa influência, o grupo puxa por alguns riffs à la Slayer, como é possível perceber na veloz "Liars", para citar uma. E se o guitarrista e backing vocal Parahim Neto tem essa capacidade, não é de se estranhar que seus solos sejam inspirados e demolidores, seguindo a escola dos monstros americanos. São os melhores momentos do disco!

As composições contam com bons arranjos, divididos em momentos mais extremos e outros até com um pouco de melodia, e o melhor: sem exageros de nenhum dos lados! Um bom exemplo é a cadenciada e trabalhada "Corruption", que soube aproveitar a competência do trio, partindo para um lado mais melancólico.

Certamente é um dos destaques do álbum. "Nations of Few" conta ainda com um cover ousado de "I Wanna Be Somebody", da W.A.S.P., que ficou bem interessante e claro, muito mais extremo, com os bumbos comendo solto! E, se a levada da música original já é empolgante, com essa roupagem mais agressiva, a faixa torna-se outro ponto forte do CD.

O que ficou um pouco aquém do desejado foi a gravação do material, crua e priorizando a bateria de Marlo Lustosa. Ah, se não fosse esse percalço...

A capinha é um verdadeiro capricho, mérito do artista Anderson Neves, que deve se orgulhar de seu feito. E no encarte, muito legal contar com as letras em inglês, língua adotada nas canções, mas com a tradução para o português logo ao lado.

É Thrash/Death tradicional, 'old school', sem enfeites, coisa rústica mesmo! Pois sim, às vezes, ter carniça por perto pode ser gostoso...

Carniça - Nations of Few
Voice Music - 2012 - Brasil

http://www.carnicaband.com
http://www.facebook.com/CarnicaMetal
http://www.myspace.com/carnicaband
http://www.youtube.com/carnicareborn

Tracklist:
1. The Protester 02:42
2. Liars 04:08
3. Nations Of Few 04:48
4. Corruption 05:27
5. Diablo Politician 04:29
6. Prayers Before the Death 03:24
7. I Wanna Be Somebody (W.A.S.P. cover) 11:19
Total: 36:17


Outras resenhas de Nations of Few - Carniça

Carniça: aumentam o caráter extremo de cada composiçãoCarniça: para colocar os gaúchos como grandes do Thrash/Death




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Carniça"


Capas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhosCapas
10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhos

Ozzy Osbourne: tudo que você sempre quis saber sobre eleOzzy Osbourne
Tudo que você sempre quis saber sobre ele

Ozzy Osbourne: dando chega mais em Mônica Apor na coletivaOzzy Osbourne
Dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva

Metallica: Perguntas, respostas e curiosidades diversasDave Mustaine: Maroon 5 o deixou boquiabertoNirvana: Dave Grohl explica por que não contribuía nas composiçõesIron Maiden: Steve Harris e sua paixão intensa pelo Prog Rock

Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.