Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Harpago e Decadência: viagem ao início do Heavy e Thrash

Resenha - Futuro Decadente - Harpago e Decadência

Por Willba Dissidente
Postado em 26 de novembro de 2012

Nota: 8

Um dos sonhos mais antigos da humanidade é a viagem no tempo. Não obstante o deslocamento físico no continuo tempo-espaço ainda ser ficção, o Split Cd das duas bandas paulistas HARPAGO e DECADÊNCIA transfere o ouvinte sonoramente para os primórdios do Heavy e do Thrash metal brasileiro. Esta viagem, entretanto, carrega consigo os pontos altos e baixos da jornada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Do começo ao fim de Futuro Decadente, temos a sensação de que LP's clássicos como SP METAL, ULIMATUM, HEADTHRASHERS e SÃO POWER, para citar alguns, tiveram irmão gêmeo. Em termos objetivos, essa observação significa que o que ouvimos aqui é um som envolvente, dinâmico, empolgante e criativo de Heavy (HARPAGO) e Thrash (DECADÊNCIA) cantando em português; porém mal gravado. Bandas como SELVAGERIA, e outros grupos atuais que seguem a era clássica do som, apresentam discos com sonoridade oitentista, só que com gravação primorosa. O que Futuro Decadênte apresenta, em termos de qualidade de registro, é como Ordem e Progresso do AZUL LIMÃO.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Eis o ponto chave do álbum como um todo e que dividirá opiniões. Os mais saudosistas vão bradar a plenos pulmões que esta é a verdadeira essência do metal brasileiro. Muitos irão discordar. De que lado você está?

Leve em conta na sua audição, que o disco lançado independente, e primeiro de maneira virtual, foi gravado de um único take e em condições precárias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

Com nome inspirado em música instrumental do HARPPIA, já temos uma das grandes influências do HARPAGO. Outros nomes clássicos do metal nacional oitentista, como ASTAROTH, VÊNUS, e SHOCK também não deixam de ter uma cota de participação no que viria a se tornar a sonoridade dos paulistas. Isso não quer dizer que a musicalidade da banda caia na mesmice, pois o HARPAGO soube usar as influência para fazer um som notadamente deles.

A abertura com Nova Ordem Mundial, é incisiva do que podemos esperar do HARPAGO. Música rápida, boas melodias, refrões cativantes e letras críticas. O trabalho de guitarra de Roger é bem apurado, criando ótimos riffs e solos. A cozinha baixo-bateria de Cláudio e Fernando funciona muito bem, 'segurando a onda' e fazendo suas próprias linhas durante os solos, no melhor estilo ÁGUA BRAVA. Os vocais, infelizmente, foram os mais prejudicados pela gravação. Uma outra lástima do disco é a música Gaiola Cerebral, que apresenta o som mais mal tirado de todas as músicas de Futuro Decadente, dificultando sua audição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Então uma vinheta que parece ter sido extraida tal e qual de um documentário sobre a Segunda Guerra Mundial, descrevendo os horrores do transporte de humanos para as desumanidades cometidas pelos nazistas, e começa a pancadaria de Campo de Extermínio, faixa de abertura do DECADÊNCIA. Os vocais guturais, que beiram o black metal, sobre uma base predominantemente Thrash metal oitentista que aumenta a intensidade chegando a beirar o Death Metal; eis uma descrição do som do DECADÊNCIA. Ainda que a banda seja paulista é impossivél não pensar que ela bem poderia ter surgido em Belo Horizonte, fazendo par com CHACKAL, MUTILATOR, WITCHHAMMER etc (assim como o RATOS DE PORÃO que teve discos lançados pela gravadora Cogumelo).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

Façamos aqui a mesma ressalva que já executamos em relação ao HARPAGO: as influências funcionam a favor do DECADÊNCIA, e não o tornam uma réles cópia. A banda prima por tocar em português o mais brutal possivél, abordando temas como guerra, miséria e injustiça social, logrando êxito em sua empreitada. Os músicos estão nivelados tecnicamente, assim como as composições, que vão agradar em cheio quem curte esse filão do metal. É possivél até se imaginar moshs, rodas e os headbangers mergulhando do palco frenéticamente em músicas como Soldado Vermelho (que é uma das mais pesadas do disco). Novamente, a gravação em um take só atrapalha, ainda mais num estilo que precisa das clássicas "paradinhas brutais".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 6

Ironicamente, o que Futuro Decadente delinea é que as duas bandas paulistas (que coincidentemente são power trios em que o baixista canta), apresentam músicas que tem tudo para as levar a um "Amanhã Promissor". Se há argumentos contrários aos saudosistas que a gravação deveria ter sido melhor, o disco então tem serventia como um ótimo cartão de visita do som dos grupos. Após a audição do slipt cd não há headbanger que não ficará "com a orelha coçando" de ansiedade para curtir todas essas porradas sonoras ao vivo.

HARPAGO

Cláudio - Baixo e voz
Roger - Guitarra
Fernando - Bateria

http://www.youtube.com/ClaudioHarpago/

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - WHIP
Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

DECADÊNCIA

Mike Dorsal - baixo/voz
Bruno "Vio-Lence" - guitarra
Vinny - bateria

http://www.facebook.com/Decadencia.Thrash.Metal.SP
[email protected]

Para quem se interessar, o split completo está disponível para download autorizado pelas bandas no link a seguir:

http://www.mediafire.com/?b5z3y0hc0w61siv

DECADÊNCIA & HARPAGO - Futuro Decadente (split)
Ano: 2012 - Independente

Track-list:
1- HARPAGO - Nova Ordem Mundial
2- HARPAGO - Ataque Heavy Metal
3- HARPAGO - Fim da Linha
4- HARPAGO - Gaiola Cerebral
5- DECADÊNCIA - Campo de Extermínio
6- DECADÊNCIA - Dor dos Inocentes
7- DECADÊNCIA - Sociedade Decadente
8- DECADÊNCIA - Soldado Vermelho

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - WHIP
publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Perc3ption: a arte levada ao extremo

Resenha do Álbum do Insânia ao vivo no Underground Nativa III

Sentença de Morte: Death Metal para quem curte Death Metal bem executado

Triumph Of Death, projeto de Tom Warrior, resgata ao vivo parte do passado do Hellhammer

Spiritual Cramp acerta a fórmula, mas álbum satura em 26 minutos

Estreia do Superbloom traz de volta o grunge protagonista dos anos 1990

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Osbourne: pesado, mas antes de tudo moderno

Resenha - Dark Side of The Moon - Pink Floyd

Resenha - Vovin - Therion

Resenha - P.U.L.S.E. - Pink Floyd


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Willba Dissidente

Willba Dissidente é fã das bandas de hard rock dos anos 70 e 80 e de metal oitentista dos mais variados países. Quem quiser saber mais deve acessar seu canal no youtube. Obrigado! Stay Hard (True As Steel)!
Mais matérias de Willba Dissidente.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS