Matérias Mais Lidas

imagemCinco discos de heavy metal para ouvir sem pular nenhuma faixa

imagemTitãs: traído, o baterista destruiu o quarto; Paulo Ricardo viu na TV a traição

imagemMarko Hietala anuncia retorno ao mundo da música e fãs pedem volta ao Nightwish

imagemWandinha, da Netflix, resgata banda icônica do Rock em canção com letra sacana

imagemO maior álbum de todos os tempos, na opinião do saudoso Ronnie James Dio

imagemMetallica: se você achou caro o pacote do Titãs, fuja dos preços da turnê de Hetfield & Cia

imagemO curioso ritual do Fleetwood Mac antes de subir ao palco, revelado por Christine McVie

imagemEx-vocalista do Mötley Crüe não bota fé na aposentadoria de Mick Mars

imagemTony Iommi não queria mandar Ozzy Osbourne embora, mas demissão foi inevitável

imagem"Não há reunião do Pantera sem Vinnie e Dime", afirma espólio de Vinnie Paul

imagemIggor Cavalera diz que o metal às vezes é muito conservador

imagemFãs não perdoam e reclamam da bateria de Lars Ulrich em novo single do Metallica

imagemJohn Lennon sentia que seu filho Julian "queria que Paul McCartney fosse seu pai"

imagemA bonita homenagem que Angra fará a Andre Matos em novo álbum, segundo Fabio Lione

imagemKiko Zambianchi foi proibido de ir no Silvio Santos após apresentador errar seu nome


Stamp
Summer Breeze

O hit do Scorpions sobre prostituta travesti que contribuiu para Uli Jon Roth deixar banda

Por Gustavo Maiato
Postado em 20 de novembro de 2022

A música "He’s A Woman – She’s A Man" foi composta pelo Scorpions para o álbum "Taken By Force", de 1977. O autor da letra é o baterista Herman Rarebell, que contou no livro "Wind of Change – A História do Scorpions", editado pela Estética Torta", como surgiu a inspiração.

Foto: Polygram
Foto: Polygram

Vale lembrar que músicas como essa, de tema mais descontraído e menos sério, foram responsáveis pela decisão de Uli Jon Roth de deixar o Scorpions e se dedicar a uma sonoridade em que se sentia mais livre.

"No 'Taken By Force', a única coisa que faltava era a 'He's A Woman - She's A Man'. Foi a primeira canção que compus. Naquela época, a banda inteira... era necessário fazer uma promoção para a gravadora francesa. Quando fomos à França, todo mundo disse: 'Vamos ao distrito da luz vermelha, em Paris, onde as prostitutas estão. Vamos dar uma olhada'. Então fomos lá, e tinha uma menina linda que se aproximou do carro, com um vozeirão grave. Ela apareceu e falou: 'Ei, rapazes, não achem que eu sou uma menina. Eu sou um cara, vocês sabem. Eu reconheci vocês, sou um grande fã da banda. Continuem arrebentando'. Ela era uma travesti alemã, sabe? Todos ficamos chocados. Então, ninguém tinha ideia para essa música. Eu adorava o riff que o Rudolf tinha composto e pensei: 'isso não é perfeito?'. Foi assim que me tornei letrista da banda", concluiu.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp