Matérias Mais Lidas

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemAndreas Kisser pede doação de sangue para sua esposa Patricia

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagem"Ninguém imaginava que o Metallica seria maior que o Iron Maiden", diz Scott Ian

imagemJohn Frusciante responde qual foi o motivo de seu retorno ao Red Hot Chili Peppers

imagemRafael Bittencourt, do Angra, explica por quê está usando unhas postiças

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemNoel Gallagher sobre sua preferida do Pink Floyd: "Adoraria conhecer Roger Waters"


In-Edit

Slayer: Raízes do Black Metal em Show No Mercy

Resenha - Show No Mercy - Slayer

Por Vitor Franceschini
Em 19/06/12

publicidade

O que dizer deste clássico do Metal mundial? Além da grande iniciativa do selo Shinigami Records em relançá-lo por aqui, todo remasterizado e com um novo encarte, esse petardo faz parte da história do Heavy Metal, mais especificamente do Thrash e Metal extremo em geral.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Este trabalho, o primeiro full length dos monstros do Slayer, influenciou toda uma geração (pode contar aí que Death – certa vez Chuck Schuldiner afirmou ser um de seus discos preferidos – Sepultura e Morbid Angel foram muito influenciados por este disco) e virou um marco do Thrash Metal mundial.

"Show No Mercy" pode não ter o reconhecimento de álbuns como "Reign In Blood" (1986) por exemplo, mas representa uma fase mais ‘inocente’ e satânica da banda, que na época abusava de tarraxas, pregos, couro e maquiagem em seu visual. A sonoridade era mais direta, menos técnica e mais crua, chegando a certos momentos soar praticamente como raízes do Black Metal.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que dizer de clássicos como The Antichrist, Die By The Sword e Black Magic (executados até hoje nos shows da banda)? E o que dizer de hinos como Evil Has No Boundaries que abre o disco de forma triunfal, onde o ouvinte já sai cantando o refrão de cara, Tormentor (acho que todas as bandas clássicas de Thrash têm uma música com esse nome) e Crionics?! Composições eternizadas na mente até de quem já se converteu!

O instrumental já mostrava sinais de brutalidade pura e simples, com riffs cortantes e solos ultra rápidos, além do baixão reto de Tom Araya, que cantava quase gutural e mandava ver nos gritinhos que marcaram época. Dave Lombardo já arregaçava e não escondia que seria um dos maiores de todos os tempos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tudo isso você pode conferir remasterizado, onde dá pra captar até algumas ‘engrossadas’ (os caras são humanos) e tudo com nitidez, sem falar que o encarte está mais informativo e bem elaborado, com nomes que vão desde o co-produtor (a própria banda produziu o disco) até os roadies.

"Show No Mercy" não é o tipo de trabalho que merece ser resenhado assim simplesmente. O disco já está marcado na história do Metal e tem que ser avaliado como um clássico, portanto clássico não tem nota, é acima de 10 e ponto!

Maravilhoso!

http://www.slayer.net/us/home

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Show No Mercy - Slayer

Resenha - Show No Mercy - Slayer

Resenha - Show No Mercy - Slayer

Resenha - Show no Mercy - Slayer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Equipe da Roadie Crew ranqueia Slayer em primeiro episódio de nova série


Ultimate Classic Rock: dez músicos com tatuagem na cabeça/rosto


Garimpeiro das Galáxias: Beldades globais e sua paixão pelo rock


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini.