Resenha - Global Flatline - Aborted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Falando na cara: este CD certamente já está entre os melhores lançamentos de Metal extremo de 2012. E graças à Shinigami Records (www.shinigamirecords.com.br) o álbum saiu em versão nacional! Sim, um dos grandes nomes do underground está de volta "ao normal", esmurrando tudo o que encontra no caminho.

Judas Priest: 10 fatos que comprovam que eles são Heavy MetalShow de Rock: as diferenças entre os anos 80 e 2010

Quem acompanha o grupo desde o começo sabe das mudanças musicais ocorridas em sua trajetória: eram mais Death/Gore nos primórdios; depois, passaram por um som mais limpo e melódico, mas agora, com "Global Flatline", é possível afirmar tranquilamente que este CD esteja calcado no Brutal Death com temática Splatter (letras doentes e apocalípticas), tudo sem firula nenhuma. E a opção de seguir por esse caminho certamente foi a melhor alternativa.

Agora os caras estão absurdamente violentos e inegavelmente no auge! É petardo atrás de petardo, somando treze músicas pesadíssimas e velozes, enfim, imperdíveis.

E haja tanto gogó "from hell" que faz participação especial no disco: tem-se Trevor Strnad (The Black Dahlia Murder), Keiijo Niinima ( Rotten Sound), Julien Truchan (Benighted) e Jason Netherton (Misery Index). Devastação é pouco!

Falando nos vocais, duas coisas prendem (mais) a atenção no álbum: a excelente voz de Sven "Svencho" de Caluwé, que trabalha tanto o gutural quanto o rasgado de forma impressionante, e o trabalho espetacular do baterista Ken Bedene. Seja nos mutiladores 'blast beats', seja nos momentos mais trabalhados, o cara simplesmente domina. E a rapidez de seus bumbos faz o queixo desabar.

Quanto às composições, podem esquecer, não dá para dizer que uma é melhor do que a outra. O conjunto da obra é dotado de muita qualidade e todas as faixas são impiedosas.

A capa é um espetáculo à parte. Horrendamente bela e detalhada, exprime perfeitamente o caos musical da Aborted. Juntamente com ela, o restante do material gráfico recebeu uma estética caprichada que remete aos antigos filmes de terror. Só tem ilustrações fantásticas!

Se o mundo acabar mesmo em 2012, não há melhor trilha sonora. Mas se não for o fim, bem, sorte dos headbangers, que poderão curtir essa sanguinolência para o resto da vida! Muita gente já viu, mas sempre vale a pena assistir novamente ao clipe de "Источник Болезни (The Origin Of Disease)" e ao aflitivo trailer de lançamento do play.

Aborted - Global Flatline
Shinigami Records - 2012 - Bélgica
http://www.myspace.com/abortedmetal

TRACK LIST
1. Omega Mortis
2. Global Flatline
3. Источник Болезни (The Origin Of Disease)
4. Coronary Reconstruction
5. Fecal Forgery
6. Of Scabs and Boils
7. Vermicular, Obscene, Obese
8. Expurgation Euphoria
9. From a Tepid Whiff
10. The Kallinger Theory
11. Our Father, Who Art of Feces
12. Grime
13. Endstille

Fonte: Som Extremo
http://somextremo.blogspot.com


Outras resenhas de Global Flatline - Aborted

Aborted: Death Metal com alguma dose de melodiaAborted: Quinze anos lapidando seu somAborted: Global Flatline é o apocalipse feito música




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Aborted"


Death Metal: cinco bateristas do gênero que são insanosDeath Metal
Cinco bateristas do gênero que são insanos


Judas Priest: 10 fatos que comprovam que eles são Heavy MetalJudas Priest
10 fatos que comprovam que eles são Heavy Metal

Show de Rock: as diferenças entre os anos 80 e 2010Show de Rock
As diferenças entre os anos 80 e 2010

Metallica: ouça Nothing Else Matters em escala maiorMetallica
Ouça "Nothing Else Matters" em escala maior

Fotos de Infância: Jon Bon JoviChester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellGuns N Roses: Bon Jovi fez com Steven Tyler o que ele fez com AxlIron Maiden: Jimmy Page relembra Rock in Rio de 2001

Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.