Aborted: Death Metal com alguma dose de melodia

Resenha - Global Flatline - Aborted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collector's Room
Enviar Correções  

publicidade

8


Sétimo álbum da banda belga Aborted, "Global Flatline" desembarca no mercado brasileiro em mais um lançamento exclusivo da Shinigami Records. O play mostra o grupo em grande forma, comprovando o porque da grande reputação que possui junto ao público.

Aborted: baixista Stefano Franceschini toca Gloom and the Art of Tribulation (vídeo)Death Metal: menina de 6 anos detona no America's Got Talent

Com faixas curtas e mais diretas – a exceção é "Endstille", que fecha o disco com uma pancadaria de mais de seis minutos -, "Global Flatline" é uma pancada de respeito. Equilibrando uma agressividade brutal com ótima técnica e algumas doses de melodia, o Aborted mantém a tradição de temperar o seu death metal ríspido com alguns elementos de grindcore – principalmente na parte lírica -, o que torna tudo ainda mais extremo. Os vocais de Sven de Caluwé, guturais e mais agudos, deixam a atmosfera pra lá de perturbadora.

Com uma produção de primeira a cargo de Jacob Hansen (Communic, Mercenary, Volbeat), o disco ficou ainda mais forte devida à forma clara com que os instrumentos soam. Resumindo: apesar da brutalidade do som, tudo soa cristalino, e conseguir esse feito em um álbum de death metal é para poucos.

Os destaques vão para "Coronary Reconstruction", "Vermicular, Obscene, Obese" (com a participação do ótimo Trevor Strnad, vocalista do The Black Dahlia Murder), "Expurgation Euphoria" e "Grime". Merece menção também a já citada "Endstille", que encerra o play em grande estilo com a inclusão de um discurso de Robert Oppenheimer, o pai da primeira bomba atômica, que destruiu Hiroshima em 6 de agosto de 1945.

"Global Flatline" é um grande álbum, com tudo para agradar não apenas os fãs de metal extremo, mas também quem curte death metal com alguma dose de melodia.

Faixas:
Omega Mortis
Global Flatline
The Origin of Disease
Coronary Reconstruction
Fecal Forgery
Of Scabs and Boils
Vermicular, Obscene, Obese
Expurgation Euphoria
From a Tepid Whiff
The Kallinger Theory
Our Father, Who Art of Feces
Grime
Endstille


Outras resenhas de Global Flatline - Aborted

Resenha - Global Flatline - AbortedResenha - Global Flatline - AbortedResenha - Global Flatline - Aborted


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Aborted: baixista Stefano Franceschini toca Gloom and the Art of Tribulation (vídeo)Aborted: ouça La Grande Mascarade, novo EP da banda belga

Death Metal: cinco bateristas do gênero que são insanosDeath Metal
Cinco bateristas do gênero que são insanos


Death Metal: menina de 6 anos detona no America's Got TalentDeath Metal
Menina de 6 anos detona no America's Got Talent

Separados no nascimento: Alice Cooper e Emerson FittipaldiSeparados no nascimento
Alice Cooper e Emerson Fittipaldi


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin