Vektor: Diversão garantida para fãs de vertentes extremas

Resenha - Outer Isolation - Vektor

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


Os americanos do VEKTOR chegam a seu novo registro, sucessor de "Black Future" (2009), e que vinha sendo aguardado ansiosamente pelos fãs das vertentes mais extremas do metal, vez que a banda sempre foi vista como uma das grandes promessas do underground dos EUA desde sua formação, em 2004.

Embora o som do VEKTOR seja classificado como sendo "old school thrash metal", a verdade é que aqui existem diversas outras influências, principalmente do death metal mais técnico e também de black metal, além de música progressiva, embora o peso e extrema agressividade sejam o carro chefe do material. Não se trata, pois, simplesmete de uma nova banda prestando homenagem ao passado, e sim de um grupo que realmente tem um "algo a mais" para mostrar, com uma fúria que impressiona.

publicidade

E esta dita agressividade é ainda mais realçada pelas vociferações do vocalista/guitarrista David DiSanto, que apesar do nome parece estar possuído quando começa a "cantar". Além disso, o instrumental da banda também é muito bom e técnico, com passagens de grande virtuosimo, mas sem exageros, o que é um bom sinal. Dentre estes, destaque para Blake Anderson, um verdadeiro monstro das baquetas.

publicidade

A faixa de abertura, "Cosmic Cortex", que conta com mais de 10 minutos, já mostra todas essas características citadas, com uma introdução psicodélica e futurística que termina em uma porradaria desenfreada, com direito a muita velocidade e brutalidade, lembrando até algo dos primeiros trabalhos dos suecos do HYPOCRISY. Uma música realmente brilhante. Na sequência, "Echoless Chamber" é um pouco mais cadenciada mas não menos agressiva e técnica, e mostra uma banda muito entrosada. E o disco segue essa toada até seu final, sem grandes variações.

publicidade

No total, são apenas 8 faixas, mas que são muito viciantes e capazes de mostrar bem todo o poder de fogo desses americanos, e como conseguiram evoluir em relação a seu material anterior. Por isso, se você é fã das vertentes mais extremas do metal, não deixe de ouvir o VEKTOR. É diversão garantida.

Outer Isolation - Vektor
(2011 – Heavy Artillery - Importado)

publicidade

Formação:

David DiSanto – guitar/vocals
Erik Nelson – guitar
Frank Chin – bass
Blake Anderson – drums

1. Cosmic Cortex
2. Echoless Chamber
3. Dying World
4. Tetrastructural Minds
5. Venus Project
6. Dark Creations, Dead Creators
7. Fast Paced Society
8. Outer Isolation




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Thrash Metal: os 10 melhores discos do século 21, segundo o LoudwireThrash Metal
Os 10 melhores discos do século 21, segundo o Loudwire

Thrash metal: 20 novas bandas pra atualizar o ouvidoThrash metal
20 novas bandas pra atualizar o ouvido


Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda

Suzi Quatro: a importância da linda baixista para o rockSuzi Quatro
A importância da linda baixista para o rock


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin