Tristania: Sonoridade bem diferente de trabalhos anteriores

Resenha - Rubicon - Tristania

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por José Antonio Alves
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Quando vi que os noruegueses do Tristania se preparavam para lançar um novo álbum, sem Morten Veland ou mesmo Vibeke Stene, já imaginava que os tempos de "Beyond The Veil" e "Widow´s Weeds" não voltariam, mas fiquei curioso para ver o que teríamos desta vez. "Rubicon" é o sexto trabalho da banda e conta com a novata Mariangela Demurtas nos vocais, trazendo uma banda com sonoridade bem diferente de trabalhos anteriores.
5000 acessosFotos de Infância: Slayer5000 acessosPlágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metal

Logo de cara, a abertura com "Year Of The Rat", nos mostra certo peso, além de um refrão bem encaixado e grudento, juntamente com bons teclados, o que a torna uma das melhores do disco. "Protection" pode até ter uma pegada mais "dark" em raros momentos, com um bom instrumental, surgindo também os primeiros guturais, mas ainda nos causa a impressão de faltar algo.

"Patriot Games" nos mostra os vocais masculinos de Kjetil Nordhus, com agressividade no refrão e com Mariangela em um tom mais diferenciado de voz, no conjunto, uma faixa mais pesada. "Exile" proporciona similar experiência, com um bom casamento das vozes masculina e feminina, mas talvez muitos sentem falta daquela coisa mais lírica que Vibeke Stene proporcionava.

Não temos em "Rubicon" aquele peso característico do metal, o que coloca a banda um pouco distante do gothic metal que a caracterizou em trabalhos anteriores. Por mais que esta afirmação seja fato, a faixa "Amnesia" até apresenta uma atmosfera mais doom/gothic, com bons arranjos de teclado e a ótima "Illumination" pode ser considerada a melhor composição do álbum, com um ritmo mais lento e com alguma complexidade.

Talvez no álbum falte a melancolia e os vocais líricos das fases anteriores, a voz de Mariangela é ótima, mas definitivamente falta algo, uma abordagem mais comercial se seguiu neste trabalho. Se você não conhece a fase antiga da banda, provavelmente irá adorar o álbum, mas para os fãs que já tiveram o prazer de ter trabalhos como "Widow´s Weeds" e "World Of Glass", "Rubicon" é bem diferente e com alguns poucos (e raros) elementos antigos.

Faixas de "Rubicon":

01. Year of the Rat
02. Protection
03. Patriot Games
04. The Passing
05. Exile
06. Sirens
07. Vulture
08. Amnesia
09. Magical Fix
10. Illumination

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Rubicon - Tristania

2290 acessosTristania: Não espere por aquele som melancólico de antes2571 acessosTristania: Banda mais uma vez muda o som em novo trabalho

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Tristania"

Musas do MetalMusas do Metal
Confira as 10 mais lindas atualmente

TristaniaTristania
"Eu sou fascinado por extremismo, loucura e caos!"

Feias que me perdoemFeias que me perdoem
Musas do Rock e Heavy Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Tristania"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Os membros do Slayer muito antes da fama

Coincidência?Coincidência?
Riffs e trechos de músicas semelhantes no rock/metal

EmosEmos
23 músicas que já estiveram na sua playlist

5000 acessosOrtografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?5000 acessosPiadas sobre músicos5000 acessosMetallica: Lars Ulrich quase saiu no tapa com Lou Reed5000 acessosLobão: show mais curto da história do Rock não pertence a ele5000 acessosBullet For My Valentine: Baterista conta o inferno que é abrir para o Iron Maiden3114 acessosUltraje a Rigor: Pastor Adelio entrevista Roger

Sobre José Antonio Alves

Aventureiro, mochileiro, amante da cultura latina e claro, fã de um dos estilos mais fascinantes deste universo musical: o Heavy Metal!

Mais matérias de José Antonio Alves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online