Lake Of Tears: Híbrido de Doom, Psicodélico e Gótico

Resenha - Illwill - Lake Of Tears

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6


Já adentrando em sua segunda década, o sueco Lake Of Tears pode ser um nome relativamente desconhecido do grande público no Brasil - por aqui aportou somente o álbum "Black Brick Road" de 2004. De qualquer forma, o mentor, vocalista e guitarrista Daniel Brennare tem feito um grande trabalho com seu híbrido de Doom, Psicodélico e Gótico, encontrando nos europeus seus maiores fãs.

Por pouco: 15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhorAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon Scott

"Illwill" é o oitavo álbum de estúdio e que marca a estreia da banda na conceituada AFM Records. Seus discos sempre mantiveram um mesmo núcleo ligado à década de 1970, mas o Lake Of Tears geralmente soube como experimentar e soar positivamente diferente a cada lançamento, e é exatamente isso o que ocorre por aqui, ainda que o resultado final não seja tão eficaz como muitos desejariam.

Simples em sua concepção e mantendo algumas das conhecidas características melódicas, "Illwill" segue em uma abordagem muito mais pesada e direta do que o oferecido no passado. E talvez seja aí que resida um dos maiores problemas... Além de tudo ser demasiadamente convencional - "Parasite" é praticamente um punk, pô! - toda essa progressiva distorção rapidamente inibe aquele fator emocional, fundamental na proposta da banda.

Ainda que a bonita e facilmente reconhecível voz de Brenare continue contribuindo positivamente, é como se esses pioneiros suecos estivessem cansados a ponto de começar perder a faceta melancólica de sua personalidade, aqui ilustrada pela viagem de "House Of The Setting Sun", e seguida a considerável distância pela apenas interessante "Out Of Control", ambas irritantemente deslocadas em função da citada abordagem mais pesada do repertório.

Mesmo não sendo o melhor que o Lake Of Tears tenha para oferecer, "Illwill" poderá ser bem visto aos olhos dos reais fãs, mas não é um registro indicado aos que não conhecem a banda. Se bem que, como dito, seus discos diferem tanto entre si... Bom, talvez essa seja uma boa oportunidade para o leitor conhecer essa versátil discografia, toda comentada no link abaixo:

Raio-X: Lake Of Tears na estréia da nova coluna do Whiplash.NetRaio-X
Lake Of Tears na estréia da nova coluna do Whiplash.Net

Contato:
http://www.lakeoftears.net
http://www.myspace.com/thelakeoftears

Formação:
Daniel Brennare - voz e guitarra
Johan Oudhuis - bateria
Fredrik Jordanius - baixo

Lake Of Tears - Illwill (2011 / AFM Records - importado)

01. Floating In Darkness
02. Illwill
03. The Hating
04. U.N.S.A.N.E.
05. House Of The Setting Sun
06. Behind The Green Door
07. Parasites
08. Out Of Control
09. Taste Of Hell
10. Midnight Madness




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Lake Of Tears"


Por pouco: 15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhorPor pouco
15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhor

AC/DC: os últimos dias do vocalista Bon ScottAC/DC
Os últimos dias do vocalista Bon Scott

Creed: nomeada pior banda dos anos 1990 pela Rolling StoneCreed
Nomeada pior banda dos anos 1990 pela Rolling Stone

Oh, não!: clássicos que foram estragados pelo tempoOh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Débil Metal: quando os fãs assustam os ídolosDébil Metal
Quando os fãs assustam os ídolos

Slayer: Araya nunca volta atrás nas decisões, diz esposa sobre aposentadoriaSlayer
Araya "nunca volta atrás nas decisões", diz esposa sobre aposentadoria

Rock In Rio Lisboa 2014: O balanço final oficial do eventoRock In Rio Lisboa 2014
O balanço final oficial do evento


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336