Michael: Bandas brasileiras em tributo ao rei do pop

Resenha - Michael - Um Tributo Brasileiro a Michael Jackson

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Dois anos após a morte de MICHAEL JACKSON, uma série de homenagens ao cantor permanece invadindo as lojas ao redor do mundo. Do disco póstumo "Michael" (2010) ao filme "This Is It", nenhum outro lançamento é mais surpreendente do que "Michael: Um Tributo Brasileiro a Michael Jackson", do selo Discobertas. O CD, que não reproduz o repertório clássico do cantor, investe em bandas nacionais até certo ponto desconhecidas - mas que indicam um certo quê de personalidade em suas versões.

Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityQueen: Bowie, Mercury e a história de Under Pressure

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Embora não tenham sido pensadas como uma unidade, as versões que compõem "Michael: Um Tributo Brasileiro a Michael Jackson" mantêm um nível extremamente padronizado (e excelente) de qualidade. As músicas, que foram gravadas em diferentes estúdios entre 2009 e 2010, contam com a mesma pré-edição e a mesma masterização, assinadas por Marcelo Froés e Ricardo Cavalheira, respectivamente. Com o apoio das editoras que detêm os direitos sobre as músicas, os artistas nacionais puderam trabalhar livremente em cima das músicas de MICHAEL JACKSON sem abrir mão de suas características próprias.

O repertório, que faz um panorama bastante completo da trajetória do rei do pop, apresenta artistas até certo ponto desconhecidos - mas de muito talento. A abertura do álbum ficou por conta de JORGE AILTON, cantor e baixista carioca. O músico assina uma versão até mais vibrante e contagiante de "Blame It on the Boogie", do THE JACKSONS FIVE. Na sequência, o MOOBWA (banda do multi-instrumentista Duca Mendes) evidencia bom gosto em uma versão mais dramática e densa de "Don't Stop 'til You Get Enough", que usa e abusa de sintetizadores. Os fãs mais ortodoxos podem até torcer o nariz, mas é nítida a maneira interessantíssima que Duca reconstruiu a faixa.

As outras bandas que completam o repertório de "Michael: Um Tributo Brasileiro a Michael Jackson" exploram muitas referências da música brasileira em suas contribuições. Os cariocas da AMPLEXOS uniram o gingue do pop/rock nacional à sonoridade típica do rei do pop em "Off the Wall". Por outro lado, a acentuada vertente indie do ELETRO deu uma cara nova a "Rock With You". No entanto, a aposta mais tradicional do FUZZCAS (com um certo ar vintage e indie) dá a "The Way You Make Me Feel" o rótulo de outro inegável destaque do tributo, sobretudo pela interpretação da cantora Carol Lima frente ao (mais um) quarteto carioca.

Com as mesmas referências do pop/rock indie, o power-trio por trás do FILHOS DA JUDITH trouxe ao tributo uma interessante releitura de "Wanna Be Startin' Somethin'", com uma cara bem mais rock e alternativa do que a sua gravação original e verdadeiramente dançante. Do mesmo modo, "Ben" - outra música do THE JACKSONS FIVE - ganhou uma sutileza extra, através unicamente da voz e dos violões da dupla TWIGGY & LUCINHA TURNBULL, o que a sua versão original não possui. Entretanto, "One Day in Your Life", interpretada pela gaúcha HEVELYN COSTA em formato acústico, pode não aparentar as mesmas virtudes que as demais composições do CD possuem.

Infelizmente, a dupla MÁRCIO BIASO & APOENA não soube dar a "The Girl is Mine" o mesmo toque particular à música de MICHAEL JACKSON que os outros artistas do tributo proporcionaram aos fãs do rei do pop. O disco, que parece perder um pouco da sua intensidade nessa sequência de pouco brilho que vai até "The Man", assinada por RODRIGO SANTOS - se recupera brilhantemente na absoluta "Black or White". A carioca JEHANE, além de se mostrar uma cantora muito competente, recriou as guitarras indefectíveis da faixa no piano. O rock n' roll se transformou em uma balada muito bonita. Por fim, "Bad" - outro clássico do cantor norte-americano - ganhou uma interessante roupagem indie rock com o LES POPS, que chegou a incluir um inusitado banjo na sua releitura.

Certamente, "Michael: Um Tributo Brasileiro a Michael Jackson" é uma sincera e uma homenagem musicalmente rica a um dos maiores artistas pop (e por que não rock?) de todos os tempos. A iniciativa do selo Discobertas em juntar bandas de pouca expressão no cenário brasileiro (e de qualidades inegáveis) em versões muitas vezes diferenciadas, merece o nosso reconhecimento. Não deve ter surgido em todo o mundo um tributo mais interessante do que esse.

Track-list:

01. Blame It on the Boogie (Jorge Ailton)
02. Don't Stop 'til You Get Enough (Moobwa)
03. Off the Wall (Amplexos)
04. Rock With You (Eletro)
05. The Way You Make Me Feel (Fuzzcas)
06. Wanna Be Startin' Somethin' (Filhos da Judith)
07. Ben (Twiggy & Lucinha Turnbull)
08. One Day in Your Life (Hevelyn Costa)
09. The Girl is Mine (Márcio Biaso & Apoena)
10. The Man (Rodrigo Santos)
11. Black or White (Jehane)
12. Bad (Les Pops)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Michael Jackson"


Slash: qual o maior vocalista de todos os tempos?Slash
Qual o maior vocalista de todos os tempos?

Slash: Ele não tocou em Black or White de Michael JacksonSlash
Ele não tocou em "Black or White" de Michael Jackson


Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityGuns e Sabbath
Semelhança entre Zero the Hero e Paradise City

Queen: Bowie, Mercury e a história de Under PressureQueen
Bowie, Mercury e a história de Under Pressure


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336