4 Cantos: Pop Rock com música regional e World Music

Resenha - Ao Vivo em Curitiba - 4 Cantos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar Correções  

7


Não há dúvidas de que nenhuma outra banda foi mais ousada na sua estreia do que a 4 CANTOS. O quinteto paranaense realizou um show fechado, exclusivo para convidados e imprensa, onde gravou o seu primeiro álbum, o CD e DVD "Ao Vivo em Curitiba". Embora busque se destacar pelo acentuado profissionalismo, o grupo ainda precisa formatar com maior precisão o seu pop/rock para voos mais distantes.

Deep Purple: o riff de "Smoke on the Water" foi criado por Tom Jobim?Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universo

Com muitas referências da música regional e da world music, Cassyano Correr (vocal/violão), Rogério Bastos (guitarra), Maycon Ananias (piano), Leomaristi dos Santos (baixo) e Guto Teixeira (bateria) misturam uma série de instrumentos inusitados – como a percussão do fandango e o ukelele – no seu pop/rock bem simples. A banda, que antes assinava com o nome ESCOLA DE ROBÔ, emplacou duas músicas nas paradas das rádios do Paraná e realizou uma sequência de shows de sucesso pelo estado. Em sua nova empreitada, os cinco músicos uniram regravações da sua antiga banda e composições recém feitas em "Ao Vivo em Curitiba".

Certamente, Cassyano Correr & Cia. mostram muita qualidade técnica e bom gosto na sua essência mais criativa. Entretanto, a 4 CANTOS necessita incluir em sua música elementos que possam projetar o grupo com mais força dentro do cenário nacional – extremamente competitivo e pouco aberto às novas propostas. De qualquer forma, a sonoridade mais cadenciada do quinteto reflete uma tendência acentuadamente mais pop e destinada às baladas emotivas. As músicas, que definitivamente não possuem a natureza mais crua do rock, podem passar um pouco despercebidas em "Ao Vivo em Curitiba" – mesmo com a complexidade de arranjos e de melodias adotadas pelo grupo.

No entanto, as músicas que compõem "Ao Vivo em Curitiba" são diretas e não ultrapassam os quatro minutos de duração. De um lado, composições como "Seis Cordas" e "Caos de Todo Dia" mostram o lado mais animado e dançante da banda. De outro, "Ser João ou Ser José" e "Extranjero" (essa com letras em espanhol) evidenciam a capacidade do quinteto em construir baladas com melodias bonitas e bem encaixadas. De qualquer modo, são somente essas que – ao lado da enérgica "Menina" – se destacam no disco. O restante das faixas, que parece circular em torno de características simples demais e raros momentos de inspiração ou de impacto sonoro, acaba passando em branco dentro do repertório da 4 CANTOS, sobretudo para os fãs que buscam uma identificação mais particular com o grupo curitibano.

De qualquer forma, a 4 CANTOS é, claramente, mais do que uma aposta para a música brasileira do momento. A banda, que mostrou muita ambição e competência técnica no seu primeiro registro ao vivo, está no caminho para a conquista de certo reconhecimento em todo o Brasil. Com um pouco mais de cuidado no processo criativo e mantendo a boa qualidade em estúdio – que pode ser conferida através de "Caos de Todo Dia" e "Ser João ou Ser José" que encerram o álbum –, a 4 CANTOS definitivamente irá figurar entre os nomes emergentes do nosso pop/rock.

Track-list:

01. Seis Cordas
02. Caos de Todo Dia
03. Menina
04. Luna Y Sol
05. Deusa Star
06. Gasolina
07. Mesmo Lugar
08. De Minha Janela
09. Ser João ou Ser José
10. Extranjero
11. Marina
12. Parece que Foi Ontem
13. Além Alma
14. Por que Não?
15. Caos de Todo Dia
16. Ser João ou Ser José


Outras resenhas de Ao Vivo em Curitiba - 4 Cantos

Resenha - Ao Vivo em Curitiba - 4 Cantos



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Deep Purple: o riff de Smoke on the Water foi criado por Tom Jobim?Deep Purple
O riff de "Smoke on the Water" foi criado por Tom Jobim?

Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoHá quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin