Treat: banda acertou em cheio com "Coup De Grace"

Resenha - Coup De Grace - Treat

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Quando surgiu na Suécia no distante ano de 1983, o Treat conquistou um grande público com a acessibilidade de seu AOR/Hard Rock. E, ainda que ao longo de sua trajetória tenha havido alguns altos e baixos - o pessoal permaneceu no ostracismo por mais de uma década - o Treat geralmente foi bastante cuidadoso no momento de compor e lançou bons registros, tendo em "Dreamhunter" (87) um de seus mais relevantes momentos. Quer dizer, pelo menos até a chegada deste "Coup De Grace", o sexto álbum de sua discografia.

Iron Maiden: a fotografia de "The Final Frontier"Poison: Bret passou o cambão na mãe da Hannah Montana?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Muita coisa mudou em relação aos áureos tempos, onde o Treat era parte da tendência e fazia uso de um visual carregado, cantando sobre festas regadas a álcool e frequentes conquistas sexuais... Mas, como não poderia deixar de ser nas circunstâncias normais, os músicos seguem com uma aparência mais sóbria e um conteúdo lírico digno de verdadeiros homens de família conscientes das peculiaridades sociais deste novo milênio. Ou seja, souberam como envelhecer com classe.

Porém, mesmo que as novas canções estejam devidamente atualizadas, mais diretas e pesadas, o Treat não despreza seu legado e mantêm muitos dos elementos da década de 1980, é quase como se tivesse parado no tempo. Tudo é simples, mas o astral e elegância das melodias remetem diretamente a este período tão especial para o Rock'n'Roll, e amparados por uma gravação cristalina que é fundamental às necessidades do estilo, nunca comprometendo nenhum instrumento - atentem para o baixo encorpado de "The War Is Over".

Além de os desempenhos individuais serem irretocáveis, com riffs diversificados e marcantes, ótimos solos e teclados majestosos, é impossível deixar de mencionar o poder da combinação dos pré-refrões e os refrões propriamente ditos. Essa é uma característica que explode a cada faixa, tornando a audição um verdadeiro deleite, em especial pela presença de composições grudentas como "Heaven Can Wait" ou a incrível "Skies Of Mongolia", bastante elaborada e com ótimas guitarras, além de "We Own The Night" ser um AOR de primeira linha.

Parece ser uma tendência as bandas oitentistas tentarem um retorno depois de tanto tempo afastadas do cenário musical, mas quantas conseguem liberar bons discos em sua nova fase? Bom, certamente o Treat acertou em cheio com "Coup De Grace", que já pode ser considerado como um de seus melhores álbuns. E, mesmo em tempos onde a mescla de Hard com AOR já não seja mais tão relevante como há 25 anos, este é um trabalho essencial ao fiel público que está em busca de música alto-astral!

Contato:
http://www.treatnews.com
http://www.myspace.com/thebandtreat

Formação:
Robert Ernlund - voz
Anders Wikstrom - guitarra
Patrick Appelgren - teclados e guitarra
Nalle Pahlsson - baixo
Jamie Borger - bateria

Treat - Coup De Grace
(2010 / Frontiers Records - importado)

01. Prelude: Coup De Grace
02. The War Is Over
03. All In
04. Papertiger
05. Roar
06. Life To Die For
07. Tangled Up
08. Skies Of Mongolia
09. Heaven Can Wait
10. I'm Not Runnin'
11. No Way Without You
12. We Own The Night
13. All For Love
14. Breathless


Outras resenhas de Coup De Grace - Treat

Treat: Hard rock épico brilhante da banda sueca




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Treat"


Iron Maiden: a fotografia de The Final FrontierIron Maiden
A fotografia de "The Final Frontier"

Poison: Bret passou o cambão na mãe da Hannah Montana?Poison
Bret passou o cambão na mãe da Hannah Montana?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336