Guilhotina: Thrash Metal cantado em língua portuguesa

Resenha - Guilhotina - Guilhotina

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


Heh! Aqui temos um trio que faz uso de um forte apelo visual, coisa folclórica mesmo, mas que está perfeitamente atrelado ao próprio nome da banda e sua proposta musical. Seus integrantes possuem um uniforme composto por camisetas pretas, coletes jeans cheios de 'patches' e... Capuzes (???) daqueles típicos que os carrascos da Idade Média faziam uso! É mole?!?

Natural de Presidente Prudente (SP), os caras estão tocando juntos desde 2007 e rapidamente incluíram uma música na primeira edição da coletânea Underground Attack, para no ano seguinte liberarem seu primeiro disco auto-intitulado. E todo o bizarro visual complementa perfeitamente o Thrash Metal cantado na língua portuguesa e completamente enraizado na década de 1980 que o Guilhotina executa com pleno conhecimento de causa.

publicidade

"Máquina de Matar" é, com proposital redundância, literalmente matadora. E esta é apenas a faixa de abertura! O resto do álbum eleva a pressão arterial do ouvinte com toda a sua velocidade, cadência e agressividade tipicamente underground. O grande lance do Guilhotina é que, mesmo com o sacrifício da originalidade, tudo continua soando tão bem como os bons e saudosos momentos que o gênero já proporcionou ao público nos velhos tempos.

publicidade

Assim sendo, os quase 30 minutos de audição não contém nada de substancialmente novo em seu conteúdo. No entanto, se você é um destes 'thrashmaníacos' que transpira o estilo feito de forma bem crua, fica a sugestão de conferir estes carrascos do Heavy Metal! E os chamados 'posers' que mantenham suas preciosas e bem cuidadas cabeleiras afastadas do Guilhotina...

http://www.guilhotinathrash.com.br

publicidade

Formação:
Rodrigo Mattos - voz e guitarra
Lincoln Silvestre - baixo
Joey Decurcio - bateria

Guilhotina - Guilhotina
(2008 / independente - nacional)

01. Máquina de Matar
02. Carrasco
03. Bandeira Infernal
04. Escravo do Prazer
05. Guerreiros do Metal
06. Vítimas da Inquisição
07. Traição
08. Império Imortal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guitarra: os melhores solos da história segundo a Guitar WorldGuitarra
Os melhores solos da história segundo a Guitar World

Mulheres no Rock: resistência em um meio machistaMulheres no Rock
Resistência em um meio machista


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin