Holy Hell: desafio vai ser evitar comparações com Nightwish

Resenha - Apocalypse - Holy Hell

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago El Cid Cardim
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Holyhell é cria direta do Manowar. Contratados da gravadora Magic Circle Music (não por caso, selo de propriedade de Joey DeMaio, baixista do Manowar), eles são produzidos por DeMaio e o seu baterista é ninguém menos do que Rhino, ex-profissional das baquetas do próprio Manowar. Tornaram-se relativamente conhecidos no meio metálico depois de abrirem os shows da turnê conjunta do Manowar com o Rhapsody of Fire. Mas, com a presença tão forte de seus padrinhos famosos nas credenciais do primeiro single, “Apocalypse”, o maior desafio deste quinteto liderado por Maria Breon não é evitar as comparações com o Manowar em busca de sua própria identidade. O maior desafio vai ser evitar as comparações com o Nightwish.
5000 acessosMetal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais5000 acessosRodolfo Abrantes: "Raimundos como banda não me interessa"

“Apocalypse” e “Resurrection”, duas das três canções inéditas deste single, apresentam o Holyhell como uma eficiente banda de power metal com uma mulher muitíssimo bem afinada nos vocais – mas os latentes salpicos de gothic metal com seus ares de pompa e circunstância, muitos corais, camadas sonoras e afins, trazem os finlandeses do Nightwish à mente sem pestanejar. Em especial se considerarmos o último disco, “Dark Passion Play”. Afinal, assim como a nova vocalista Annete Olzon, Maria Breon evita os tons operísticos de Tarja Turunen e seus filhotes e envereda por um lado mais limpo e menos exagerado, com uma tonalidade pop até. Se for para indicar um caminho menos perigoso e mais próprio, sugiro que o Holyhell experimente músicas como “Last Vision”, que é uma faixa com uma pegada mais acelerada e forte. Vai ajudá-los a criar uma identidade própria.

Completando o disco, vem ainda o cover de “Phantom of The Opera”, clássico do musical de Andrew Lloyd Webber, gravado ao vivo no Masters of Rock Festival 2005 com a participação de Eric Adams (Manowar) nos vocais masculinos. E, novamente, surgem as comparações com o Nightwish – já que justamente este cover, com Tarja e o baixista Marco Hietala no dueto vocal, era um dos pontos altos das apresentações ao vivo da primeira formação do grupo da Finlândia. Pelo menos aqui o Holyhell se sai muito bem, já que a sua reinterpretação é mais heavy metal tradicional e menos teatral do que a de Tarja e sua trupe. Pode ser influência da presença de Adams, tudo bem. Mas, de qualquer jeito, ponto pra eles. E ficamos no aguardo do disco completo.

Line-Up:
Maria Breon – Vocal
Joe Stump – Guitarra
Jay Rigney – Baixo
Rhino – Bateria
Francisco Palomo – Teclado

Tracklist:
01. Apocalypse
02. Resurrection
03. Phantom of Opera (Live)
04. Last Vision

Bônus:
- Electronic Press Kit
- “The Phantom of Opera” performed at the Masters of Rock Festival 2005

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Holy Hell"

Metal/HardMetal/Hard
Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais

Rodolfo AbrantesRodolfo Abrantes
"Raimundos como banda não me interessa"

FamaFama
5 bandas que são grandes no exterior e nem tanto no Brasil

5000 acessosIndústria: atrizes pornô começam a seguir mesmo rumo das bandas5000 acessosSolos: Alguns dos mais bonitos do Heavy Metal5000 acessosÁrvore Genealógica do Metal e do Rock4244 acessosHeadbang: 10 formas de bater cabeça (para iniciantes)5000 acessosGaleria - Musas do rock/metal nacional (Blog Sutil Como Uma Granada)5000 acessosBeatles: como seriam as mensagens por celular entre eles?

Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre Thiago El Cid Cardim

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online