Dragonheart: coletânea explora os 10 anos da banda

Resenha - When the Dragons are Kings: The First Ten Years - Dragonheart

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Clóvis Eduardo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após dez anos de estrada, os paranaenses do Dragonheart passaram a integrar a seleta lista das bandas brasileiras que estão conquistando cada vez mais fãs, pela alta qualidade dos trabalhos já lançados. E para crescer ainda mais no cenário metálico nacional, e comemorar a primeira década de guerras e batalhas, uma coletânea recheada de novidades é colocada no mercado.
5000 acessosDream Theater: Rudess lista álbuns que mudaram sua vida5000 acessosTrue Metal: como ele deve agir na hora da foto

“When the Dragons are Kings: The First Ten Years” tem de tudo que o fã do bom Heavy Metal precisa. O CD duplo trás toda a visão fantasiosa de Marco Caporasso (guitarra e vocais), Maurício Taborda (baixo e vocais), André Mendes (guitarra e vocais) e Marcelo Caporasso (bateria), com versões melhoradas, ao vivo, e antiguidades como as registradas em CD demo nos primeiros anos de carreira, lá por 1998 e 1999.

Notaram como tem vocalista nesta banda? Pois acredite, esta é uma das melhores virtudes do grupo, que, pretensioso, faz com que todos os três assumam o microfone, seja cantando as estrofes ou fazendo coro aos refrões sempre para cima. Cada um possui uma característica diferente no gogó, o que garante uma mudança constante de uma canção para outra.

“Eyes of Hell” e The Blacksmith”, duas das mais famosas composições do Dragonheart ganharam versões ao vivo. A primeira, uma verdadeira pedrada, foi gravada no Curitiba Master Hall, popular casa de shows de Curitiba. Já a segunda estremeceu o Brasil Metal Union (BMU) de 2002, onde o Dragonheart foi uma das bandas mais comemoradas.

E são nestas versões ao vivo que sentimos qual a força da banda curitibana no cenário nacional. Inspirados em grandes nomes do Heavy Metal, o grupo se concentra nas letras estilo guerreiros e dragões, mas sem se tornar um clichê, por jogar para longe as passagens enjoativas do gênero. É peso na certa, com bumbos fortes, guitarras estridentes e refrões cada vez mais encorajadores.

O segundo disco trás toda uma remixagem de “Underdark”. São mais 11 canções com uma nova roupagem, e ainda mais pesadas. Inclusive, a banda não deixou de lado as letras, e a menção ao ex-membro do grupo, o guitarrista Eduardo Marques, que também cantava e tocava guitarra até o ano 2002, antes de ser substituído por André Mendes que permanece até a atualidade.

Por essas e outras é que vale a pena conferir esta coletânea. Mais do que um simples registro da passagem dos 10 anos do Dragonheart, os dois discos são muito bons e bem estruturados, tanto nas letras, como nas composições. Só resta esperar agora, um próximo álbum com inéditas.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de When the Dragons are Kings: The First Ten Years - Dragonheart

1520 acessosDragonheart: interessante compilação para fãs

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "DragonHeart"

Café com ÓcioCafé com Ócio
Os melhores discos do Metal Nacional de 2000 a 2010

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "DragonHeart"

Dream TheaterDream Theater
Rudess lista os álbuns que mudaram sua vida

True MetalTrue Metal
Como ele deve agir na hora da foto

Tony IommiTony Iommi
"Não sei como criei aqueles riffs"

5000 acessosGuns N' Roses: os 10 melhores não-clássicos da banda5000 acessosTradução - Heaven And Hell - Black Sabbath5000 acessosSlipknot: Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreira4221 acessosRandy Rhoads: O Garoto Kiko faz tributo na NAMM 20165000 acessosMetal Extremo: algumas bandas que você precisa ouvir!5000 acessosBlack Metal: como eram os antigos logos de algumas bandas

Sobre Clóvis Eduardo

Clóvis Eduardo Cuco é catarinense, jornalista e metaleiro.

Mais matérias de Clóvis Eduardo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online