Gorgoroth: "Para a Grande Glória de Satanás"

Resenha - Ad Majorem Sathanas Gloriam - Gorgoroth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Dehò
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Confusão vai, confusão vem, e o GORGOROTH está de volta com o seu sétimo CD de estúdio, entitulado “Ad Majorem Sathanas Gloriam”, que significa “Para a Grande Glória de Satanás”, em latim, e lançado no Brasil, pela Hellion Records. As gravações, que foram feitas entre 2005 e 2006, tiveram Gaahl no vocal, o membro fundador Infernus na guitarra, King no baixo, além do baterista contratado Frost (SATYRICON), que já figurou entre os noruegueses em outras ocasiões.
5000 acessosFotos de Infância: Robert Plant, do Led Zeppelin5000 acessosBatismo: Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal

Depois do bem sucedido “Twilight of the Idols – In Conspiracy With Satan”, de 2003, este álbum não vem para decepcionar, e, pelo contrário, já entra na lista dos melhores do GORGOROTH. A fórmula continua a mesma: um black metal sombrio (o que se percebe bem na arte gráfica e na bela capa, recheada de símbolos escondidos), cheio de variações e com um trabalho destacado dos polêmicos Infernus e Gaahl.

A produção ficou a cargo da própria banda e, como é de se esperar, reforça a imagem e a sonoridade da “violência sonora e espiritual” pregada pelo trio. As polêmicas letras foram escritas pelo próprio vocalista, enquanto as composições são todas de King. Isso poderia ser um problema, já que o baixista anunciara a saída da banda em 2006, por divergências ideológicas. Mas, como os noruegueses escrevem por linhas bem tortas, o baixista já aparece novamente no line-up, para os shows da nova turnê (o calendário ainda não está definido).

Quanto ao álbum, todo o peso e agressividade estão de volta, com um som mais direto que no anterior. A abertura, “Wounds Upon Wounds” chega ‘chutando’, com bons riffs, e a bateria na velocidade máxima. As variações de tempo não ficam fora e o vocal de Gaahl também é um destaque. "Carving A Giant" segue na mesma levada e aparece como uma das melhores do CD.

Outros destaques são a quase instrumental “Sign of An Open Eye”, mais lenta e pesada, e a apocalíptica “White Seed”, que em alguns momentos (no começo e no fim) fica numa barulheira só, meio que apenas para dizer para os headbangers “sim, Gorgoroth é isso, True Norwegian Black Metal”. A faixa de encerramento, “Prosperity And Beauty” também é muito boa, com um climão épico, alternando velocidade e cadência.

Vale um parentese para a atuação dos músicos. Gaahl surpreende com seus vários vocais durante as oito faixas, ora mais graves, ora bem gritados. O melhor exemplo são os quase agudos do fim de “Exit” e a levada mais death da seguinte, “Untamed Forces”. Já Infernus e King seguram o instrumental com primor, como no riff central de “God Seed (Twilight of the Idols)”, mais que perfeito para os bangers de plantão.

O único problema, mais uma vez é que, com apenas 30 minutos de som, fica aquele “gostinho de quero mais” e a impressão de que eles poderiam colocar uma ou duas músicas a mais, ao menos para agradar aos fãs. Em todo o caso, outra opção é apertar o “repeat” e escutar toda a pancadaria de novo.

O problema é ficar no aguardo do que acontecerá no sempre incerto futuro da banda, já que Gaahl acaba de ser liberto após quatro meses de prisão — por agressão, e, nada mais black metal que ameaçar uma pessoa de beber seu sangue — e Infernus ainda enfrenta a justiça por uma acusação de estupro. A última notícia é que o guitarrista está em liberdade condicional e já fala em começar as novas composições e sair em turnê.

É, confusão vai, e confusão ainda está por vir... Senão, não é o GORGOROTH!

Track List:
01. Wound Upon Wound
02. Carving A Giant
03. God Seed (Twilight Of The Idols)
04. Sign Of An Open Eye
05. White Seed
06. Exit
07. Untamed Forces
08. Prosperity and Beauty

Formação no álbum:
Gaahl - vocal
Infernus - guitarra
King - baixo
Frost - bateria (apenas chamado para as gravações)

Lançamento Hellion Records - nacional - 2006

Site oficial: www.gorgoroth.org

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Ad Majorem Sathanas Gloriam - Gorgoroth

3259 acessosGorgoroth: mais radical a cada ano3937 acessosGorgoroth: pancadaria, blasfêmias e vociferações

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Gorgoroth"

TolkienTolkien
A influência do autor no rock e no heavy metal

MetalMetal
Em vídeo, 10 bandas satanistas de fato

GorgorothGorgoroth
Infernus: "Prefiro veneno de rato a abrir para o Anthrax!"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Gorgoroth"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Robert Plant, do Led Zeppelin, muito antes da fama

Nomes de BatismoNomes de Batismo
Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal

TatuagensTatuagens
Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãs

5000 acessosMais Alto!: A diferença entre headbangers e humanos comuns5000 acessosCapas de álbuns com ilusões de ótica5000 acessosEm 21/08/1989: Morre Raul Seixas, que seria encontrado morto no dia seguinte5000 acessosEm cana: bandas que gravaram video clipes em presídios de verdade5000 acessosIron Maiden: a outra banda anterior ao grupo de Steve Harris5000 acessosAlice In Chains: "está cada vez mais difícil manter este negócio"

Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online