Gorgoroth: mais radical a cada ano

Resenha - Ad Majorem Sathanas Gloriam - Gorgoroth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O Gorgoroth, uma das últimas bandas remanescentes da cena norueguesa de black metal que sacudiu a música pesada na primeira metade dos anos 90, está com um trabalho novo na praça. "Ad Marjorem Sathanas Gloriam" é o primeiro álbum com faixas inéditas desde "Twilight Of The Idols (In Conspiracy With Satan)", de 2003. O atraso se explica devido à passagens pela prisão e inúmeros problemas com a justiça enfrentados tanto pelo guitarrista Infernus quanto pelo vocalista Gaahl.

Metallica: a letra que fez Hammett e Hetfield choraremKiss: Perguntas, respostas e curiosidades diversas

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Hoje, provavelmente não exista um grupo que defenda e seja tão alinhado com as propostas filosóficas propagadas pelos grupos da cena norueguesa quanto o Gorgoroth. Apesar de ter surgido naquela época, parece que o grupo foi ficando mais radical a cada ano, defendendo suas crenças satanistas e anti-cristãs com unhas e dentes pelo mundo. Atos como o já mítico show em Krakow, aliados às declarações recentes de Infernus e Gaahl, mostram que o grupo acredita piamente no que está falando, e está disposto a divulgar isso para todos.

Na parte musical, o que se ouve em "Ad Marjorem Sathanas Gloriam" é um black metal gélido, calcado na tradição do chamado "true norwegian black metal", o que não impede o grupo de evoluir e levar a sua música além a cada novo lançamento. Neste disco, esta evolução responde por um trabalho vocal mais variado apresentado por Gaahl, pelo criativo trabalho de guitarra construído por Infernus e pelas mudanças de andamento nas músicas. Ou seja, o som está muito mais focado no peso e no clima das composições do que somente na correria desenfreada dos blast beats.

Como destaque, cito "Wound Upon Wound", "Carving A Giant", a cadenciada "Sign Of A Open Eye" e "God Seed (Twilight Of The Idols)", mas todas as oito faixas do álbum são fiéis à tradição do grupo . Entre os músicos, além de Gaahl e Infernus, merece menção o excelente trabalho realizado pelo baterista convidado Frost, ex-Satyricon. Completa a banda o baixista King, autor de todas as faixas.

"Ad Marjorem Sathanas Gloriam" é um grande lançamento, que mantém viva a tradição das chamadas bandas clássicas norueguesas e mostra que o black metal cru ainda tem seus apreciadores ao redor do mundo, apesar de grande parte da mídia especializada se preocupar em julgar os grupos muito mais pelas suas declarações polêmicas do que pela música que fazem.

Nos dois sentidos, o Gorgoroth continua muito relevante.

Faixas:
1. Wound Upon Wound
2. Carving A Giant
3. God Seed (Twilight Of The Idols)
4. Sign Of An Open Eye
5. White Seed
6. Exit
7. Untamed Forces
8. Prosperity And Beauty


Outras resenhas de Ad Majorem Sathanas Gloriam - Gorgoroth

Gorgoroth: pancadaria, blasfêmias e vociferaçõesGorgoroth: "Para a Grande Glória de Satanás"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Gorgoroth"


Sai pra lá, capiroto!: as músicas mais demoníacas do MetalSai pra lá, capiroto!
As músicas mais demoníacas do Metal

Tolkien: A influência do autor no rock e no heavy metalTolkien
A influência do autor no rock e no heavy metal


Metallica: a letra que fez Hammett e Hetfield choraremMetallica
A letra que fez Hammett e Hetfield chorarem

Kiss: Perguntas, respostas e curiosidades diversasKiss
Perguntas, respostas e curiosidades diversas


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336