Resenha - Pitch Black Progress - Scar Symmetry

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Em que arte bonita o heavy metal se transformou. O Scar Symmetry foi formado na Suécia em 2004 e traz em sua formação Christian Älvestam (voz), Jonas Kjellgren (guitarra), Per Nilsson (guitarra), Kenneth Seil (baixo) e Henrik Ohlsson (bateria), e chamaram muito a atenção da crítica e público com seu debut "Symmetric In Design".

Agora está chegando no mercado brasileiro seu novo disco, "Pitch Black Progress", que traz faixas do chamado Death Metal Melódico com uma distorção e precisão de cair o queixo e, entre o lado mais agressivo e o mais melódico, há inúmeros momentos em que enveredam pelo metal tradicional, garantindo grande variedade entre as canções. A versatilidade e técnica que o Scar Symmetry expõe em suas canções são facilmente percebidas ao longo das 12 faixas, repletas de melodias dramáticas e arranjos complexos, alguns incluídos de forma bastante sutil e que acabam por fazer tudo soar bem direto.

publicidade

Os músicos são realmente incríveis, mas a habilidade com que Christian domina sua voz é espantosa, ficando a impressão de que são pessoas completamente distintas que cantam as partes guturais e limpas. Com certeza um dos grandes vocalistas do gênero, e seu desempenho cheio de paixão na multifacetada canção "The Kaleidoscopic God" é a grande prova de sua ótima atuação. Aliás, ótima atuação de toda a banda, pois esta é uma música quase épica, praticamente uma síntese de tudo o que é apresentado no CD.

publicidade

A faixa mais pesada é a própria "Pitch Black Progress", 100% rosnada de forma primitiva, que se contrapõe com "Mind Machine", cheia de linhas de vozes limpas e, como conseqüência, com grande carga de emoção. Há momentos inusitados, como em "Dreaming 24/7", que se caracteriza por possuir mais melodias que o usual e acaba por ser a mais amena canção do disco.

publicidade

Em "Pitch Black Progress" tudo soa brutal, melodioso e belo, não existindo canções nem ao menos medianas em quase uma hora de audição. A produção de Jonas Kjellgren ficou perfeita, garantindo uma definição e modernidade como poucas. Em suma: o Scar Symmetry empolga muito e conseguiu sacudir a cena metálica de seu país, liberando um dos melhores álbuns que foram lançados em 2006. Indispensável aos amantes do estilo!

publicidade

Scar Symmetry - Pitch Black Progress
(2006 - Nuclear Blast / Rock Brigade Records – nacional)

01. The Illusionist
02. Slaves To The Subliminal
03. Mind Machine
04. Pitch Black Progress
05. Calculating The Apocalypse
06. Dreaming 24/7
07. Abstracted
08. The Kaleidoscopic God
09. Retaliator
10. Oscilliation Point
11. The Path Of Least Resistance
12. Carved In Stone (bônus)
13. Deviate From The Norm (bônus)

publicidade

Homepage: www.scarsymmetry.com


Outras resenhas de Pitch Black Progress - Scar Symmetry

Resenha - Pitch Black Progress - Scar Symmetry

Resenha - Pitch Black Progress - Scar Symmetry




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ghost: uma foto assustadora dos bastidores do Rock In RioGhost
Uma foto assustadora dos bastidores do Rock In Rio

Roadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraRoadrunner
Os dez melhores vídeo-clipes da gravadora


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin