Resenha - Deuce - Beautiful Creatures

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

6


Confesso que inicialmente fui atraído pela bonita capa deste CD. Porém, quando me dei conta de quem era o vocalista, quase desisti... Os leitores brasileiros devem se lembrar de Joe LeSte. Não? Ele era o vocalista daquela banda chamada Bang Tango, que executava um hard pop insosso de doer. Mas botando "Deuce" para rolar se percebe que a coisa aqui é totalmente diferente e musicalmente bem superior.

Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise City

Aerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro

Beautiful Creatures começou suas atividades no ano de 1999 em Los Angeles e já amargou com várias mudanças em sua formação. Conta atualmente com o fundador Joe LeSte (voz), Anthony Focx (guitarra), Mark Simpson (guitarra), Kenny Kweens (baixo) e Timmy Russell (bateria), todos músicos bastante competentes em suas funções neste seu segundo registro.

Musicalmente "Deuce" dá boa ênfase ao hard rock nervoso e soa moderno em muitos momentos. LeSte canta de maneira bem mais forte se comparado com sua antiga banda, as canções são totalmente orientadas por bons riffs de guitarras com grande distorção, traz solos excelentes e até mesmo nostálgicos. Mas nem tudo são maravilhas, pois "Deuce" peca por não conseguir manter uma homogeneidade em relação ao estilo que deseja seguir.

Se por um lado em vários momentos suas faixas remetem o ouvinte diretamente à época de ouro do hard rock norte americano, em outros tenta soar apenas como uma banda de rock moderno, e ainda flerta descaradamente com o grunge! Exemplo claro desta indecisão musical fica evidente numa comparação entre a irritante e contemporânea canção "Never" com "Ton Of Lead", que segue uma linha bem Soundgarden. Aí fica difícil...

Mesmo assim este registro traz canções espetaculares como "Anyone", "Freedom" e "Thanks", que são pesadas e realmente conseguem mesclar o velho e o novo com um resultado final empolgante. E a distorção não pára por aí: "Straight To Hell" é um rock´n´roll visceral que consegue impressionar neste quesito e, por fim, "Empty" também merece destaque por ser uma bonita semi-balada com um refrão furioso e muito pesado.

Isoladamente, na maioria dos casos as canções são muito boas, mas todas juntas no mesmo CD não há como sua audição fluir de maneira satisfatória, infelizmente. Se o Beautiful Creatures optar por seguir apenas uma linha musical no futuro, podem ter a absoluta certeza de que conquistará muitos fãs, pois potencial realmente não falta por aqui.

BEAUTIFUL CREATURES - Deuce
(2005 / Spitfire Records – importado)

01. Anyone
02. Freedom
03. Unforgiven
04. Save Me
05. Super Fly
06. Empty
07. Never
08. Straight To Hell
09. The Unknown
10. Ton Of Lead
11. Brand New Day
12. Thanks
13. I Won't Be The One

Homepage - www.beautifulcreatures.net




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityGuns e Sabbath
Semelhança entre Zero the Hero e Paradise City

Aerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiroAerosmith
Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin