Resenha - Ashes - Tristania

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


E o Tristania voltou... após um bem sucedido “World of Glass”, que rendeu inclusive uma turnê por terras brasileiras, a banda foi curtir merecidas férias... após ter mostrado que mesmo com a saída do vocalista e compositor Morten Veiland ainda havia vida útil nesse talentoso septeto norueguês. Agora a história se repete... a banda vem de novo ao Brasil e aproveita para lançar seu novo cd “Ashes”. Se seu antecessor foi um momento de adaptação a nova formação, como sairia o novo cd, com o “line-up” estabilizado e entrosado, principalmente no tocante a gravações?
5000 acessosDiscórdia: alguns dos maiores insultos entre artistas5000 acessosSuzi Quatro: a importância da linda baixista para o rock

“Ashes” não faz feio... mas poderia ser bem melhor. A banda optou por manter a linha gótica presente em seus cd’s e ampliar a expansão sonora mostrada em “World of Glass”. “Libre” é puro heavy metal a lá In Flames e Children of Bodom, com os vocais guturais de Kjetil Ingebrethsen nas passagens mais pesadas e os vocais suaves de Vibeke Stene e os limpos de Osten Bergoy nas passagens mais calmas. O mesmo se repete em “Equilibrium”, com a diferença da boa inclusão de elementos acústicos. Mas ao ouvir “The Wretched” (destaque para a bateria de Kenneth Olson e as guitarras de Anders Hidle numa levada quase a lá Dream Theater) e a suave “Circus”, percebe-se que a banda fugiu bastante do gótico/doom/black que estava presente em seus trabalhos, soando mais comercial... e bem mais acessível, mas não menos talentosa.

Faixas como “Shadowman” e “Endogenesis” ainda carregam elementos do antigo Tristania, mas a mudança de estilo, e a suavizada geral na pegada da banda ficam evidentes. Vibeke praticamente só entra em ação quando os arranjos dão uma acalmada e os teclados de Einar Moen trazem todo um clima atmosférico. Mas é nítido que em alguns momentos a banda abriu mão do gótico para entrar em climas bem mais heavy metal e até mesmo pop... passando por algumas passagens progressivas inimagináveis.

Um cd interessante para ser conferido... só que essa mistura não caiu bem. O Tristania é capaz de algo bem mais poderoso e habilidoso, dado o talento de seus integrantes. De qualquer modo, uma ponte está construída para um próximo disco matador. Encaro “Ashes” como uma transição para uma nova banda...... vai ser interessante vê-los ao vivo, com este material novo e diversificado constrastando com o peso e a pegada gótica de outrora.

Site Oficial: http://www.tristania.com

Hellion Records – 2005

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Ashes - Tristania

2035 acessosResenha - Ashes - Tristania5000 acessosTradução - Ashes - Tristania

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Tristania"

TristaniaTristania
"Eu sou fascinado por extremismo, loucura e caos!"

Feias que me perdoemFeias que me perdoem
Musas do Rock e Heavy Metal

MetalheadMetalhead
As mulheres mais sexys do Heavy Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Tristania"

DiscórdiaDiscórdia
Alguns dos maiores insultos entre artistas

Suzi QuatroSuzi Quatro
A importância da linda baixista para o rock

As I Lay DyingAs I Lay Dying
Banda cristã comenta proximidade com o Behemoth

5000 acessosGhost: De quais bandas brasileiras eles gostam?5000 acessosMetal Brasileiro: 10 bandas recomendáveis fora o Sepultura5000 acessosJim Morrison: ele está vivo e criando cavalos nos EUA?5000 acessosRock Brasileiro da Década de 504274 acessosBlack Metal Name Generator: torne o seu nome muito mais truezão5000 acessosMetalhammer: 10 ridículos anúncios no Heavy Metal

Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online